35.7 C
New York
julho 21, 2019
Teatro & Dança

Espetáculo “#Fakenelson”faz parte da mostra “OST 18 Anos – A Vida como Palco!”

Fakenelson - Foto: Bernardo Marques
Fakenelson - Foto: Bernardo Marques

“#Fakenelson”, adaptação da obra “A Vida Como Ela É…”, de Nelson Rodrigues, será apresentada no próximo dia 21 de fevereiro no Teatro Eduardo Kraichete, como parte da mostra “OST 18 Anos – A Vida como Palco!”. A nova versão do texto é uma criação do diretor Thales Coutinho em conjunto com seus alunos.

Inspirado nas quase duas mil histórias de amor, sua maioria com o tema do adultério, escritas entre 1951 e 1961 na coluna de Nelson no jornal Última Hora, a adaptação tem, então, como pano de fundo o Rio de Janeiro dos anos 1950. Uma cidade em que se flertava nos ônibus e bondes, em que poucos tinham carro, em que os vizinhos vigiavam-se uns aos outros, e em que maridos e mulheres viviam sob o mesmo teto com as primas e os cunhados. Uma cidade em que, como não havia motéis, os encontros amorosos se davam em apartamentos emprestados por amigos — donde o pecado, de tão complicado, tornava-se uma obsessão. E uma época em que a vida sexual, para se realizar, exigia o vestido de noiva, a noite de núpcias, a lua-de-mel. E em que o casal típico — e, de certa forma, perfeito — compunha-se do marido, da mulher e do amante.

Com esta montagem especial, o diretor Thales Coutinho busca explorar a inocência do primeiro olhar de seus alunos, ainda no início de seu contato com o teatro, experimentando uma alternância entre o domínio da narrativa (o ator como narrador) e a entrega à cena. “Com este espetáculo buscamos compreender as imagens do feminino, do masculino, do casamento e do amor produzidas pela narrativa de Nelson. Os contos versam sobre casamentos e sua principal característica é a recorrência da infidelidade feminina ou o desejo das esposas por outros homens que não são seus maridos. Justamente porque a infidelidade feminina pertencia, nesse período, à esfera da vergonha, do tabu e da polêmica, as histórias de ‘A vida como ela é…’, que davam publicidade ao assunto, apresentam muitos elementos que nos permitem analisar os significados atribuídos ao feminino, ao masculino e às relações amorosas. Alguns fatores demonstram porque essas histórias são um meio privilegiado para pensarmos sobre o imaginário social a respeito das relações amorosas e sobre os discursos de gênero”, explica o diretor Thales Coutinho.

Em consonância com o atual cenário social do Brasil, “#Fakenelson” contempla a relação entre o tema da infidelidade feminina e as tensões sociais ocasionadas por uma série de mudanças nas relações de gênero e na definição de papéis de homens e de mulheres na sociedade.

SERVIÇO:

21 de fevereiro de 2019 – 19h30

Classificação etária: 16 anos

Local do Espetáculo: Av. Roberto Silveira, 123, Icaraí – Niterói/RJ

Ingressos: R$15 (VENDA SOMENTE NA SEDE DA OST)

Rua Saldanha Marinho 14 – Centro/ Niterói.

Informações: (21) 2721-0468

Posts relacionados

“Avesso – uma releitura de três textos de William Shakespeare” na Casa de Cultura Laura Alvim

Redação

Em homenagem à escultora francesa, o espetáculo feminista ‘Camille Claudel – Uma mulher’ encerra temporada neste domingo  na Casa de Cultura Laura Alvim

Redação

“Luz Vermelha” estreia temporada em Ipanema

Redação

Quais as viagens mais procuradas em 2019

Redação

Comédia “Mamãe voltou” faz seu último final de semana no Norte Shopping

Redação

Construção de famílias homoafetivas é tema central de peça LGBTI+ inédita

Redação

Deixe um comentário