Espetáculo da OCTSP marca abertura da 11ª Bienal do Mercosul

Apresentação gratuita inicia as atividades culturais permanentes da mostra

A Bienal do Mercosul está desembarcando em Porto Alegre! Um grandioso espetáculo com a Orquestra de Câmara Theatro São Pedro e convidados abre os trabalhos no dia 26 de março, na escadaria da Igreja Nossa Senhora das Dores. Pela primeira vez na história de nossas Bienais, será oferecida uma programação cultural e educativa contínua, com o objetivo de aprofundar a discussão sobre o seu tema central e desdobramentos em outras áreas da cultura. Da mesma forma, serão feitas ações educativas, para que o público conheça o tema da Bienal, os artistas e obras que serão expostas, para assim desfrutar melhor da mostra que começará em abril de 2018.

Para inaugurar as atividades culturais permanentes a Orquestra de Câmara Theatro São Pedro vai receber a Banda Municipal de Porto Alegre, o coro jovem da escola da OSPA, Ìliú Akin e Grupo Ìbejí (com percussão e dança nigeriana) e solistas renomados: a pianista Olinda Allessandrini, Carllitos Magallanes com seu bandoneon e o cantor Nei Lisboa. No repertório estão obras de Chico Buarque, Ary Barroso, Carlos Gomes, Villa- Lobos, Astor Piazolla, Roger Waters e outros. Durante o espetáculo serão projetadas, na fachada da igreja, imagens selecionadas especialmente para as temáticas criadas, como a “Biblioteca do Infinito”, da argentina Patricia Linenberg; “Faces do Triângulo”, de Leopoldo Plentz e Fernando Bueno; “América de Zorávia”, que homenageia a artista gaúcha Zorávia Bettiol, criada por Gilberto Perin; uma seleção de trabalhos de artistas gaúchos, feita por Paulo Amaral, diretor do MARGS e uma retrospectiva das Bienais do Mercosul, organizada por Jose Francisco Alves.

   O evento terá o apoio do Comando Militar do Sul, que vai recepcionar os convidados com os “Lanceiros do Regimento Osório, cuja Banda executará o Hino Nacional ao início e o Hino Rio-grandense ao final do espetáculo. Haverá uma benção ecumênica feita pelo padre Luis Carlos Almeida. O espetáculo será uma celebração popular aberta ao público, na igreja mais antiga da cidade, proporcionando uma experiência inesquecível e mostrando que “O triângulo do Atlântico” é feito por todos nós.

No cronograma das atividades culturais permanentes estão simpósios, seminários, conferências, exposições, oficinas com crianças e adultos, encontros educativos para iniciantes e especialistas em arte e concertos. As atividades serão mensais e com entrada franca.

A Bienal do Mercosul:

“O triângulo do Atlântico” é o tema escolhido para esta Bienal do Mercosul. Ele faz referência às origens do povo gaúcho, resultado da mistura de raças, credos e culturas da Europa, África e da América do Sul, influenciando também na arte contemporânea. O continente africano ganhará destaque.

O objetivo do presidente da Fundação Bienal das Artes Visuais do Mercosul, Gilberto Schwartsmann, é unir todas as áreas da arte: música, cinema, teatro, exposições e incentivar a participação de artistas locais. Grande parte da programação será na rua, em praças, com o objetivo de desacelerar quem passa apressado e convidar para a arte trazida pela mostra. As exposições, que têm curadoria do artista alemão Alfons Hug acontecem entre abril e junho de 2018, mas as atividades culturais permanentes começam neste mês.

 A programação do “triângulo do Atlântico” abrange as áreas da filosofia, história, música, arquitetura, direito e a medicina. Aspectos de inclusão social vão ganhar destaque, como o acesso à educação e à cultura por minorias raciais, população de baixa renda e pessoas com deficiência. A arte também será acessível: algumas obras serão feitas com texturas especiais, alto relevo e linguagem braile, assim como a transmissão virtual através do site para qualquer instituição ou interessados em conferir os trabalhos, incluindo universidades estrangeiras. Esta Bienal tem como meta ser a mais internacional de todas, pois vai contar com a participação de muitos artistas e personalidades vindos de fora do país. Outro destaque é a iniciativa inédita de preparar estudantes de ensino fundamental e médio para as exposições, discutindo o tema, artistas e obras da Bienal em sala de aula com os professores, além de atividades lúdicas, como pinturas em praças da cidade.

ABERTURA DAS ATIVIDADES CULTURAIS PERMANTES DA 11ª  BIENAL:

QUANDO: 26 de março, domingo.

ONDE: escadaria da Igreja das Dores (Rua dos Andradas, 387 – Centro, Porto Alegre)

HORÁRIO: às 20h.

ENTRADA FRANCA

Em caso de chuva o espetáculo será realizado dentro da igreja.

Vídeo da Orquestra: https://www.youtube.com/watch?v=gjVfmbtQaro