25 C
Rio de Janeiro
dezembro 17, 2018
Exposição Featured

Exposição Celacanto traz fotos do Rio de Janeiro visto a partir do mar

Sala imersiva Mar em Moto
Sala imersiva Mar em Moto

A exposição “Celacanto”, do fotógrafo Odir Almeida, entra na sua última semana em cartaz no Oi Futuro Flamengo. As obras podem ser vistas até o dia 5 de agosto. Com curadoria de Maria Arlete Gonçalves, a mostra traz 21 fotografias inéditas em grande formato, além de 150 imagens projetadas na sala imersiva “Mar em Moto”. No espaço, o público pode se sentir parte do mar carioca de Odir enquanto aprecia a trilha sonora exclusiva feita por Cauê Leal.

Nesses tempos marcados por alterações climáticas, transformações e incertezas, a mostra convida o público a lançar um novo olhar sobre a cidade, a partir do mar em constante movimento. Em monitores, são mostrados depoimentos sobre o trabalho do artista nadador, como o do poeta Guilherme Zarvos, do psicanalista Paulo Próspero, do cineasta Silvio Tendler e da curadora Maria Arlete Gonçalves. São exibidos, ainda, trechos do episódio “Celacanto Provoca Maremoto” da antológica série de TV National Kid, dos anos 60, de onde saiu a frase que inspirou o o primeiro grafite que se espalhou pelos muros e tapumes cariocas nos anos 70, do jornalista Carlos Alberto Teixeira, e que até hoje desperta curiosidade sobre seu significado. Além da exposição Celacanto, Odir mostrou, simultaneamente, na Galeria Artur Fidalgo, outras faces de sua obra, na exposição “Tambor de Vidro Líquido”.

Odir Almeida
De Julio Bressane, ele absorveu o olhar para o cinema de arte, e do mestre da Fotografia Milan Alran, herdou a sensibilidade e a técnica. Odir Almeida iniciou sua carreira há 20 anos, desde que começou a  registrar, documentar e produzir imagens para diferentes instituições como o Arquivo Nacional, Secretaria de Educação e Santa Casa da Misericórdia, ao mesmo tempo em que foi se tornando um dos mais solicitados fotógrafos do Rio de Janeiro para exposições, livros, catálogos e revistas especializadas em artes visuais. Foi assim, com a cobertura  fotográfica do que mais significativo se produziu em mostras e processos criativos da cena  carioca, que Odir  construiu um acervo único, que o levou a criar, em 2002,  o “Sóartecontemporanea”,  considerado o maior site de imagens de eventos artísticos visuais do Rio – com mais de 100 mil clics e cerca de 15 mil fotos, disponibilizadas na web para todos os públicos.

Paralelamente ao trabalho como fotógrafo profissional, Odir Almeida foi experimentando novas linguagens e olhares e construindo uma obra autoral potente e singular, de circulação restrita a colecionadores, e que só em 2016 começou a ser descoberta a partir três mostras-ensaios sucessivas, com imagens produzidas de dentro do mar:  “Rio Noir”, apresentada durante as Olimpíadas na Escola de Cinema Darcy Ribeiro , “Rio que Mora no Mar”, durante o Festival Internacional Intercâmbio de Linguagens, e a Feira de Arte do Rio – Artigo. Atualmente, além da exposição Celacanto, Odir mostra outras faces de sua obra, na exposição “Tambor de Vidro Líquido”, na Galeria Artur Fidalgo, no Rio de Janeiro, com abertura prevista para 11 de julho.

Ficha técnica
Artista – Odir Almeida
Coordenação – Nara Reis
Curadoria – Maria Arlete Gonçalves
Design – Nina Gaul
Iluminação – Antônio Mendel
Produção executiva – Izabel Ferreira
Som – Cauê Leal
Vídeos – Odir Almeida
Patrocínio – Oi Futuro e Secretaria de Cultura
Realização – Oi Futuro
Produção – Coletiva Projetos Culturais

Serviço:

Exposição Celacanto

Entrada Franca
Local: Centro Cultural Oi Futuro Flamengo – Galeria 4
Endereço: Rua Dois de Dezembro, 63 – Flamengo
Telefone: (21) 3131-3060
Abertura: 6 de julho, sexta-feira, às 19h
Visitação: de 7 de julho a 5 de agosto de 2018
Horário: de terça-feira a domingo, das 11h às 22h
Classificação
Indicativa:
 Livre

Posts relacionados

Passarinho me contou

Redação

Evento gratuito homenageia vikings com música, hidromel e mais

Redação

Rafael Portugal com a comédia ‘Eu comigo mesmo’

Redação

Deixe um comentário