26.9 C
Rio de Janeiro
novembro 15, 2018
Featured Teatro & Dança

Edwin Luisi em “Nossas Mulheres”, de Eric Assous estreia Teatro Ipanema

foto: Nana Moraes
foto: Nana Moraes

“Maria: quando?” Foi num telefonema do ator Edwin Luisi com a produtora Maria Siman, que aconteceu a parceria tão desejada. “Eu tinha acabado de comprar os direitos de Agosto, um drama para 11 atores. Desta vez queria encenar uma comédia de qualidade”, revela Siman.  Edwin que interpreta o personagem MAX, na comédia de Assous é ganhador de 25 prêmios de melhor ator, entre eles: 1APTR, 2 Moliére, 2 MAMBEMBE, 2 APCA, 1 FAZ DIFERENÇA e 3 SHELL. Na montagem de André Paes Leme, Luisi está acompanhado no palco pelos atores Ísio Ghelman – Paulo, Marcio Vito e Edmilson Barros, que se revezam no personagem Simão. “É uma comédia elegante, onde a comicidade está na atuação dos atores. Ganhamos a partida cênica com este elenco talentoso e experiente de teatro”, detalha Paes Leme. A estreia será dia 11 de agosto. “NOSSAS MULHERES” ficará em cartaz aos sábados, domingos e segundas às 20 horas, no Teatro Ipanema. Temporada até 24 de setembro.

Max (Edwin Luisi) e Paulo (Ísio Ghelman) são radiologista e reumatologista, amigos há 30 anos. No início da noite começam um jogo de cartas. Max adora música clássica, os cantores mortos – os vivos não o interessam – e vive um relacionamento que não é realmente realizado com Magali. Ele não teve filhos. Paulo, “mais moderno”, é casado e tem dois filhos com a esposa Carine. Chega Simão (Marcio Vito/Edmilson Barros) completamente bêbado e dizendo ter matado a mulher, Estela. Ele pede a seus dois amigos para inventar uma história com a polícia. Drama anunciado e as verdades começam a vir à tona. “O jogo de três “homens/ atores de teatro, que brincam e se divertem por várias vertentes da emoção. Apesar de não estarem em cena, durante toda a peça, as mulheres são onipresentes, quase palpáveis e responsáveis pelos sonhos, risos e choros” revela o diretor.

Em “NOSSAS MULHERES” a trama narra o que acontece com a cabeça de um homem a partir das relações afetivas e como se comporta o “olhar masculino” nos relacionamentos amorosos e casamentos. Além disso, o espetáculo confronta os personagens em situações limites e questiona até onde a intensidade de uma amizade pode ser cúmplice numa situação indefensável.

ÉRIC ASSOUS é um autor francês contemporâneo, inédito no Brasil e vencedor de vários prêmios como dramaturgo, roteirista e diretor de cinema, entre eles: 2010 – Moliére Francophone – por “Ilusion Civil”; 2014 – Prêmio da Academia Francesa de Teatro por toda sua obra dramática e 2015, Moliére na categoria melhor autor autor francês vivo por “On ne se mentira jamais”. No teatro, escreveu e dirigiu mais de 30 peças.

“O texto é realista, ao mesmo tempo muito teatral, exagerado. O diretor está optando por não usar a linguagem naturalista. André tem um temperamento que não compete com o ator. Ele é generoso, talentoso e cuidadoso. Eu tenho todas as angústias dos artistas. Todas as elucubrações dos artistas. Sou um artista do século passado”, brinca Edwin, que aos 71 anos de idade, comemora 45 de profissão, tendo sido dirigido no teatro por Antunes Filho, Hélio Eichbauer, Flávio Rangel, Bibi Ferreira, entre outros. ”Desde o início, tentamos romper um certo realismo do texto, buscando uma relação direta com o público e selecionando algumas frases que são colocadas como uma confidência dos personagem à plateia” finaliza o diretor André Paes Leme.

Serviço:
Teatro Ipanema
Rua Prudente de Morais, 824 – Ipanema
Bilheteria: 2267-3750 (Vendas TicketMais)
Estreia dia 11 de agosto
Temporada: Até 24 de setembro
Dias e horários: Sábados, domingo e segundas às 20h.
(Dia 13/8 – segunda-feira 20h – sessão para convidados)
Ingressos:R$50,00 inteira / R$25,00 meia
Duração: 80 minutos
Classificação: Livre
Gênero: Comédia

Ficha Técnica
Elenco:  Edwin Luisi, Isio Ghelman, Marcio Vito e Edmilson Barros.
Texto – Éric Assous
Tradução – Beatriz Ittah
Direção – André Paes Leme
Diretor assistente: Anderson Aragon

Direção de produção – Maria Siman
Iluminação: Renato Machado
Trilha Sonora: Ricco Viana
Figurinos: Bruno Perlatto
Cenografia: Miguel Pinto Guimaraes
Projeto Grafico: Daniel de Jesus
Fotos: Nana Moraes
Produção executiva: Fernanda Silva e Felipe Valle
Realização: Primeira Página Produções e  Brain+

 

Posts relacionados

Luiza Possi convida Elba Ramalho no Teatro Riachuelo Rio

Redação

Jorge Aragão e Bom Gosto no Vivo Rio

Redação

“O Caos Reina” estreia nova temporada no Teatro Cândido Mendes

Redação

Deixe um comentário