A edição do Dida Afro de Junho Presta homenagem a Benin e Cabo Verde

Afro Dida - Mufete - foto: Fabiana Cavalcante
Afro Dida - Mufete - foto: Fabiana Cavalcante

As iguarias de Benin e Cabo Verde são as estrelas do Dida Afro de junho, que acontece sempre na terceira semana de cada mês – sábado e domingo, na Praça da Bandeira. Tem o intuito de realizar uma grande invasão afro no Rio. E a cada edição um pais africano é homenageado.

Dida dessa vez convidou dois estudantes para representar seus países de origem, promovendo um grande intercâmbio cultural gastronômico. A inspiração veio do I Encontro Celebrando a África Comendo Cultura, elaborado pelo curso de gastronomia e parceria com o restaurante universitário da UFRJ, em comemoração pelo Dia da África, com alunos e professores da UFRJ, onde a chef Dida estava como ouvinte, ficou tão encantada com o encontro que resolveu estender a homenagem aos países africanos e convidou Elodie Lokossou, de Benin e Ernani Morais, que é cabo-verdiano, e com eles, traz quitutes tradicionais para o encontro.

Funciona assim:  entradinha + prato principal + sobremesa, por R$ 49.00

DJ Bieta
DJ Bieta
  • O sábado (17) será dedicado a Cabo Verde – e Ernani Morais montou o cardápio, abre com a entradinha Xerém, que é com canjiquinha, cebolinha, salsinha, alho poró, pimentão vermelho e amarelo, cebola roxa e azeite. Seguido do prato principal: Katchupa, prato típico, elaborada com vários tipos de carne de porco, que ganha reforço com feijão, milho e legumes.
  • Há também a opção da Katchupa Vegetariana, sem as carnes, que também é ótima pedida.
  • Ou ainda Guisod d’ karne d’boie, elaborado carne bovina, inhame, batata inglesa, cenoura, mandioca, cebola, alho, pimenta do reino, coentro, cebolinha, tomate molho e pimentão. De sobremesa: Pudim d’ kéje e kreme de goiava (pudim de leite com creme de goiaba). Hummmm, é uma sabor incrível.   
  • Já o domingo (18), predominam as delícias de Benin, elaborados por Elodie Lokossou, para começar, entradinha com o Couscous Créol (derivado do couscous marroquino) temperado com moela. O prato principal é o Djèwo ou Amiwo:  é uma massa de farinha de molho acompanhado de molho feito à base de cebola e tomate e frango assada + pimenta.  Ou a opção Èba –  feito à base de farinha de mandioca temperado acompanhado de molho feito com cebola e tomate + frango assado e pimenta. De sobremesa: cocada angolana.

Sabores diferentes e incríveis, e quem disse que acabou?

  • A chef Dida selecionou o Mufete para o sábado e domingo (17 e 18). Prato tradicionalmente consumido em Luanda. Preparado com peixe assado, acompanhado de molho vinagre de cebola, além de feijão de óleo de palma, mandioca, batata doce e farofa. Por R$ 79,00 / para 2 pessoas. 
Dida com os alunos africanos
Dida com os alunos africanos

E como essa edição vem especial, a DJ Bieta assina o som dessa fusão cultura. É no domingo (18), marca presença das 16h às 20h.  Pesquisadora das culturas de matrizes afro-brasileiras e africanas, transita pelos sons da África Diáspora desde as batidas de raiz da música negra de todo o mundo até as letras e rimas dos clássicos da MPB “Música Preta Brasileira”.

O feriado promete sabores aprazíveis e descobertas musicais muito interessantes.

Dida Bar e Restaurante

Rua Barão de Iguatemi, 408 / Praça da Bandeira
Telefone: 2504 0841

Aberto de: terça e quarta: das 12h até 0h / quinta, sexta e sábado: das 12h até 0h. E domingo: das 12h até 20h

Formas de Pagamento: Cartões de débito: Visa e Mastercard
Cartão de Credito: Visa e Mastercard / Ticket Restaurante / Sodexo / Alelo

Capacidade: 40 lugares (sentados)​