Ecomuseu Ilha Grande da UERJ reabre com mostra sobre diversidade marinha

O Ecomuseu Ilha Grande reabre dia 15 de dezembro para visitação, depois de ficar fechado por nove meses por falta de recursos para manutenção. Uma parceria entre Fundação Parques e Jardins, UERJ e a empresa Dell’Arte Soluções Culturais vai permitir a retomada das atividades do Museu do Cárcere, Parque Botânico, Museu do Meio Ambiente e Centro Multimídia. Como contrapartida, botânicos da universidade fazem um estudo nas árvores do Campo de Santana e  do Passeio Público. 

Para a reabertura está prevista a inauguração da mostra “Conhecendo e divulgando a biodiversidade marinha da Ilha Grande”, às 11h30, no Museu do Cárcere, em Vila Dois Rios. A exposição reúne cem fotos de diferentes espécies que ocorrem na baía da região, com curadoria do biólogo marinho, Luis Skinner, professor do Departamento de Ciências da instituição.

Booking.com

São algas, esponjas, ascídias, vertebrados, invertebrados, entre outros, somando um total de 300 registros.  O material faz parte de pesquisa  realizada por mais de quatro anos pelo grupo de docentes formado por Alexandre Pedrini, Alexandra Rizzo, Eduardo Esteves, Gisele Hajdu (IBRAG/UERJ), André Breves (UFRJ), além de Luis Skinner (FFP/UERJ), coordenador do projeto.

“É uma região com grande riqueza ambiental, tanto dentro, quanto fora d’água. A idéia é mostrar através  da fotografia um pouco dessa diversidade, com o objetivo de gerar reflexão e ações de preservação”, afirma Skinner.

Ainda no prédio do MuCa, memória e história estão presentes. “100 anos de presídio” traça um panorama das diferentes unidades prisionais implantadas na Ilha Grande, a partir de 1894 e “Sistema Penitenciário do Rio de Janeiro: ontem e hoje” apresenta imagens e documentos sobre o cotidiano das prisões estaduais. 

No lugar onde funcionava a padaria do antigo Instituto Penal Candido Mendes, implodido em 1994, a mostra “Comida e Cárcere” reproduz a rotina alimentar da instituição.  O espaço permanente “Ecomuseu Recicla” exibe vários objetos elaborados com garrafas pets, madeiras e tecidos pelos artesãos de Vila Dois Rios.

No Museu do Meio Ambiente, o destaque é a exposição “Certos Modos de Ser Caiçara”, sobre o universo das comunidades situadas no litoral sul fluminense, tais como saberes, fazeres, crenças, valores, ambiente de trabalho, lazer, entre outros. 

Já no Parque Botânico, nova vegetação floresce entre as ruínas das antigas instalações, após replantio de espécies nativas.  A área conta com laboratório de  produção, cultivo e aclimatação de mudas.

 Oficinas sazonais sobre o mundo digital, fotografia e vídeo são realizadas pelo Centro  Multimídia, que vem se ocupando de projetos de grande interesse da população local, como a criação de bibliotecas comunitárias nas comunidades da região, como a da Enseada de Palmas, recém-inaugurada em maio último.

Os núcleos do Ecomuseu Ilha Grande funcionam de terça a domingo, das 10h às 16h. O endereço é Rua Amapá, s/nº, Vila Dois Rios, Ilha Grande, Angra dos Reis. Para chegar ao vilarejo, é preciso pegar uma trilha de 11km que faz a ligação de Abraão ao local. A caminhada é de média intensidade, com duração de 2h30, aproximadamente.

UERJ/SR-3/DECULT/ECOMUSEU ILHA GRANDE apresentam:
Exposição Conhecendo e divulgando a biodiversidade marinha da Ilha Grande
Inauguração: 15 de dezembro de 2016
Duração:  Até 12 de março de 2017
Visitação: das 10h às 16h, de terça  a domingo
Local: Museu do Cárcere
Rua Amapá s/nº Vila Dois Rios – Ilha Grande – Angra dos Reis
Informações: (21) 2334-0938

Booking.com