Duas mães, muitos relógios e a descoberta da empatia

Três mocinhas elegantes narra, de forma delicada e arguta, o dia a dia de uma família diferente, mostrando como o preconceito é lido pelos olhos de uma menina

CapaCuca é uma garota esperta, alegre e curiosa. Ela só não consegue entender por que a vizinhança torce o nariz para sua família. Suas duas mães, Ana e Lia, nem ligam para os comentários maldosos, que fingem não escutar. Mas Cuca fica intrigada. Por que os vizinhos não gostam delas se nunca fizeram mal a ninguém?  

Em Três mocinhas elegantes, a narrativa de Cristina Villaça e os desenhos de Rafa Anton descrevem com argúcia e delicadeza o dia a dia de uma família diferente. E, ao mesmo tempo, refletem como essa ideia de “diferença” incide sobre as relações sociais. Fazem isso, porém, com graça e otimismo, na contramão da atmosfera pesada que, em geral, habita as histórias sobre preconceito. Neste livro, a discriminação pela qual passa um casal homo afetivo é descrita pelo olhar de uma criança que cresce imersa no amor e no zelo de suas duas mães. Um olhar que, repleto de frescor e empatia, faz com que Três mocinhas elegantes consiga fugir de estereótipos ao tratar do tema.

Booking.com

Na rua, só seu Chiquinho e dona Sinhá, já idosos, são amigos de Cuca e de suas duas mães. A menina gosta de visitar a coleção de relógios daquele que considera seu bisavô — daí, aliás, vem o apelido dela. Pois é justamente no convívio afetuoso das duas famílias que nasce a reviravolta dessa história. Uma mudança brusca que tem sua gênese no real significado da palavra “empatia”. Uma guinada construída pelo poder do afeto e da solidariedade, pela beleza e pelas surpresas do tempo. Uma situação inusitada que, descrita de forma sutil e onírica por Cristina Villaça e Rafa Anton, é um sopro de esperança rumo a uma sociedade mais tolerante e feliz.

Três mocinhas elegantes, aliás, não chega às livrarias sozinho. O irmão do meu irmão, assinado pela mesma dupla de autores, conta a história de uma menina com duas mães, e também acaba de vir a lume pela ZIT Editora.

Trecho

Temos outros vizinhos também. A dona Carola e a dona Carlota são duas faladeiras. Quando se encontram na rua, passam horas falando sobre a vida dos outros.

Antes elas não gostavam nem um pouco da gente. Uma vez eu ouvi:

– Já se viu? Criar a menina sem pai!

– Pouca vergonha, isso sim!

Ana e Lia nem ligaram, já estavam acostumadas, fingiram não escutar. Mas eu ouvi muito bem. Por que elas falam essas coisas? Somos uma família. Somos as Três Mocinhas Elegantes. Juntas, somos invencíveis!

Os autores
Cristina Villaça nasceu no Rio de Janeiro, onde mora até hoje. É mestra e especialista em Literatura Infantojuvenil (UFRJ). Tem diversos livros publicados, entre eles Viva eu viva tu, viva o rabo do Tatu e Gato Mia.  A partir do projeto Um trem de histórias, criou um CD de músicas para crianças.

Rafa Anton nasceu em Vigo (Espanha) e morou também em Madri e Munique (Alemanha). Atualmente reside em São Paulo. Além de ilustrar e escrever livros infantis, trabalha para produtoras de cinema e animação. Seu livro A incrível história do homem que não sonhava – em que é autor do texto e das ilustrações – foi publicado em 2014.

Ficha técnica

Título: Três mocinhas elegantes
Escritora: Cristina Villaça
Ilustrador: Rafa Anton
Público-alvo: a partir de 8 anos
Páginas: 32
ISBN: 978-85-7933-102-2
Preço: R$ 26,90
Dimensões: 16x23cm

SERVIÇO LANÇAMENTO:

Data: 10 de dezembro, sábado
Horário: a partir das 15h
Local:  Blooks Livraria,
End.: Praia de Botafogo, 316 Botafogo, RJ
Tel.: (21)2237.7974

 

Booking.com