19 C
New York
junho 19, 2019
Livros

Criança e Natureza apresenta publicação “Desemparedamento e ressignificação do espaço escolar” na Flip 2018

Estudos recentes apontam que ambientes ricos em natureza, incluindo as escolas com pátios e áreas verdes, praças, parques e espaços livres para o brincar, ajudam na promoção da saúde física, mental e no desenvolvimento de habilidades cognitivas, sociais, motoras e emocionais das crianças. Este foi o ponto de partida para que o programa Criança e Natureza, do Instituto Alana, desenvolvesse a publicação “Desemparedamento e ressignificação do espaço escolar”, que será apresentada durante a Festa Literária Internacional de Paraty (Flip), dia 26 de julho, às 18h, na Tenda da Superintendência de Leitura e do Conhecimento da Secretaria de Cultura do RJ, em Paraty.

Pelos quatro cantos do Brasil e do mundo, já existem experiências de escolas que permitiram que as crianças aproveitassem os pátios escolares e outros territórios educativos como ambientes de aprendizado e brincar livre. Esses exemplos são apresentados na publicação e colocam às escolas uma reflexão importante sobre como contribuir para mudar a atual realidade e desemparedar a infância.

Para falar sobre esses temas durante a apresentação da publicação, participam de uma roda de conversa durante o evento: Paula Mendonça, assessora pedagógica do Criança e Natureza e co-autora da publicação; Beatriz Goulart, arquiteta, urbanista, é curadora pedagógica da FLIP e do Prêmio Territórios Educativos do Instituto Tomie Ohtake e Nina Silva, diretora da educação infantil da Secretaria Municipal de Educação de Paraty, que atua na formação de professores do município em projetos que inclui a valorização do pátio escolar como espaço para o aprendizado e para livre brincar, como o projeto Pés de Quintais. A mediação será feita por Gabriela Romeu, jornalista, documentarista e escritora, especializada em produção cultural para a infância, com vinte anos de atuação em projetos que abordam temáticas infantis e desenvolvidos em diferentes plataformas.

“Urge pensarmos no desemparedamento da infância para que todas as crianças possam ter um desenvolvimento saudável e com maior liberdade nos espaços abertos das cidades. Por isso nos inspiramos nos conceitos proposto por especialistas em diversas áreas da infância, para sistematizarmos alguns caminhos para promover a resignificação dos espaços escolares como local potente para o aprender com e na natureza. Queremos reverberar essas ideias para ampliar as possibilidade de conectar a educação com a vida que pulsa do lado de fora”, comenta Laís Fleury, coordenadora do Criança e Natureza.

Instituto Alana
O Instituto Alana é uma organização da sociedade civil, sem fins lucrativos, que aposta em programas que buscam a garantia de condições para a vivência plena da infância. Criado em 1994, é mantido pelos rendimentos de um fundo patrimonial desde 2013. Tem como missão “honrar a criança”.

Posts relacionados

A arte de contar histórias: biblioteca comunitária, em Botafogo, promove oficinas de leitura, gratuitamente

Redação

De doente terminal à autora de livros, Denise Medeiros conta como foi possível contrariar as expectativas de pouco tempo de vida depois de um diagnóstico devastador

Redação

Sessão Biblioterapia em Icaraí

Redação

Silvana Gontijo lança o livro “Como Tudo Começou” durante a Primavera Literária, no Museu da República

Redação

 O Mistério da Montanha Azul: aventura, suspense e uma mensagem de esperança

Redação

Emoção guardada em pote

Redação

Deixe um comentário