29.9 C
Rio de Janeiro
setembro 24, 2018
  • Home
  • Livros
  • Criança e Natureza apresenta publicação “Desemparedamento e ressignificação do espaço escolar” na Flip 2018
Livros

Criança e Natureza apresenta publicação “Desemparedamento e ressignificação do espaço escolar” na Flip 2018

Estudos recentes apontam que ambientes ricos em natureza, incluindo as escolas com pátios e áreas verdes, praças, parques e espaços livres para o brincar, ajudam na promoção da saúde física, mental e no desenvolvimento de habilidades cognitivas, sociais, motoras e emocionais das crianças. Este foi o ponto de partida para que o programa Criança e Natureza, do Instituto Alana, desenvolvesse a publicação “Desemparedamento e ressignificação do espaço escolar”, que será apresentada durante a Festa Literária Internacional de Paraty (Flip), dia 26 de julho, às 18h, na Tenda da Superintendência de Leitura e do Conhecimento da Secretaria de Cultura do RJ, em Paraty.

Pelos quatro cantos do Brasil e do mundo, já existem experiências de escolas que permitiram que as crianças aproveitassem os pátios escolares e outros territórios educativos como ambientes de aprendizado e brincar livre. Esses exemplos são apresentados na publicação e colocam às escolas uma reflexão importante sobre como contribuir para mudar a atual realidade e desemparedar a infância.

Para falar sobre esses temas durante a apresentação da publicação, participam de uma roda de conversa durante o evento: Paula Mendonça, assessora pedagógica do Criança e Natureza e co-autora da publicação; Beatriz Goulart, arquiteta, urbanista, é curadora pedagógica da FLIP e do Prêmio Territórios Educativos do Instituto Tomie Ohtake e Nina Silva, diretora da educação infantil da Secretaria Municipal de Educação de Paraty, que atua na formação de professores do município em projetos que inclui a valorização do pátio escolar como espaço para o aprendizado e para livre brincar, como o projeto Pés de Quintais. A mediação será feita por Gabriela Romeu, jornalista, documentarista e escritora, especializada em produção cultural para a infância, com vinte anos de atuação em projetos que abordam temáticas infantis e desenvolvidos em diferentes plataformas.

“Urge pensarmos no desemparedamento da infância para que todas as crianças possam ter um desenvolvimento saudável e com maior liberdade nos espaços abertos das cidades. Por isso nos inspiramos nos conceitos proposto por especialistas em diversas áreas da infância, para sistematizarmos alguns caminhos para promover a resignificação dos espaços escolares como local potente para o aprender com e na natureza. Queremos reverberar essas ideias para ampliar as possibilidade de conectar a educação com a vida que pulsa do lado de fora”, comenta Laís Fleury, coordenadora do Criança e Natureza.

Instituto Alana
O Instituto Alana é uma organização da sociedade civil, sem fins lucrativos, que aposta em programas que buscam a garantia de condições para a vivência plena da infância. Criado em 1994, é mantido pelos rendimentos de um fundo patrimonial desde 2013. Tem como missão “honrar a criança”.

Posts relacionados

Virgílio Rigonatti estará na programação parelela da Festa Literária Internacional de Paraty

Redação

 O Mistério da Montanha Azul: aventura, suspense e uma mensagem de esperança

Redação

Livro “As Cidades Invisíveis” é  escolhido para Clube de Leitura do Museu do Amanhã neste sábado

Redação

Deixe um comentário