CRAB Sotaque Carregado tem nova edição gratuita na Praça Tiradentes

Evento dá continuidade ao projeto Sotaque Carregado Festival, produzido por DJ MAM, e traz pluralidade artística com encontros musicais, artes visuais, artesanato e outras linguagens em segunda edição realizada em parceria com o CRAB

Alabê Ketujazz (Foto: Stéphane Munnier)
Alabê Ketujazz (Foto: Stéphane Munnier)

Conectar culturas, sons, línguas e arte é a ideia central do CRAB Sotaque Carregado, projeto idealizado pelo produtor musical, performer e curador DJ MAM. A ação dá continuidade ao trabalho do Sotaque Carregado Festival, que já teve cinco edições realizadas durante as Olimpíadas e Paraolimpíadas 2016, no mesmo local, a Praça Tiradentes, recentemente revitalizada e cartão-postal do centro antigo do Rio de Janeiro.

Gratuito, o evento tem nove atrações e promove o encontro e a sinergia da world music, do jazz e da eletrônica com gêneros afro-brasileiros como o samba, o carimbó e o funk carioca. O festival agrega também dança, artes visuais, artesanato e outras linguagens, como o mapping produzido por VJ Notívago exclusivamente para o dia. O CRAB Sotaque Carregado leva para a rua o melhor que nossa cultura proporciona: a diversidade.
 
DJ MAM, reconhecido internacionalmente por seu trabalho com música eletrônica de roupagem brasileira, inova com a proposta do festival, querendo misturar os sotaques do Brasil e associar, através da arte, culturas distintas que possam se tornar híbridas. Para esta edição do CRAB Sotaque Carregado, o diálogo regional dos grupos se funde à linguagem urbana e cosmopolita da capital carioca, tendo como cenário o centro histórico da cidade do Rio de Janeiro. Na Praça Tiradentes, local escolhido para sediar a festa, não vai faltar sotaque de todas as partes do Brasil aproximando costumes e estilos.
André Sampaio e Os Afromandinga (Foto João Paulo Racy)
André Sampaio e Os Afromandinga (Foto João Paulo Racy)
 

Pensada para valorizar a cultura negra e dar destaque às produções mais originais do ano, a programação abrange artistas como as dançarinas do Bonde Babalakina (que usam danças contemporâneas e música negra como base de trabalho) em sintonia com a versatilidade do Som das Artes. Tem encontros ocasionais de idiomas como o afro e o jazz na reunião de André Sampaio & Os Afromandinga com Alabê Ketujazz e até um paralelo de gerações com Afrojazz e Banda Black Rio dividindo o palco em repertório mais que especial.

Booking.com

O baile todo também chega para a festa: o combo CL∆PS traz o verdadeiro baile funk livre para incrementar a apresentação de DJ MAM com toques de cumbia, reggaeton, kuduro, dancehall e uma infinidade de vertentes da música periférica.

A ideia do CRAB Sotaque Carregado surgiu para reunir ações inovadoras que fomentam a música regional brasileira e valorizam a riqueza cultural do país. Idealizada por DJ MAM, esta é a segunda edição com apoio do Sebrae através do CRAB (Centro de Referência do Artesanato Brasileiro).

DJ MAM ( Foto- Juan Russo)
DJ MAM ( Foto- Juan Russo)

Atrações:
Bonde Babalakina: surgiu para celebrar os dez anos da Cia de Dança Babalakina. A bailarina Aline Valentim convida duas mulheres negras, Vall Neves e DJ Beta, expoentes por seus trabalhos artísticos e empreendedores em moda e música. De forte impacto estético e alta energia das danças afro-brasileiras, somados ao repertório de música preta para dançar e empoderar, o Bonde  Babalakina passa deixando um recado de luz, alegria, respeito e valorização das artes negras no corpo contemporâneo. Dança, música, moda, performance e oficina relâmpago de dança afro.

Som das Artes: Associação sediada no Largo de São Francisco da Prainha (RJ) que realiza ações culturais com moradores do bairro. O Som das Artes tem atividades com música, teatro, explora temas do folclore e promove a inclusão do público como agente produtor da cultura local.
 

André Sampaio & Os AfroMandinga: André Sampaio mergulha de cabeça em seu trabalho solo. Com 17 anos de carreira e conhecido como fundador do grupo Ponto de Equilíbrio, André agora se junta aos AfroMandinga no álbum Desaguou (2013) para mostrar as inúmeras possibilidades que a combinação de blues, jazz e música africana pode resultar. André Sampaio & Os AfroMandinga usam a tradição e a modernidade para transmitir um som único, viajando pelo Brasil, África e Europa.

Alabê Ketujazz: Alabê é um grupo musical que apresenta a percussão tradicional do candomblé da nação Ketu em uma linguagem jazzística. As composições são diálogos da percussão com o saxofone, como no Candomblé dialogam o Rum (o atabaque que conduz o ritual) com o Orixá. O grupo foi fundado por Antoine Olivier, percussionista francês que se radicou no Brasil, formado em “Ogã” nos terreiros tradicionais de Candomblé do Rio de Janeiro, e pelo Saxofonista e compositor brasileiro Glaucus Linx (Carlinhos Brown, Isaac Hayes, Salif Keita, Elza Soares).
 

Afrojazz: Música Brasileira com todas as influências do mundo: este é o som do Afrojazz. Seja jazz com trompete e sax, como nos tradicionais combos, ou com a guitarra elétrica do rock e do afrobeat, passando pelo percussão e bateria que trazem os toques ancestrais dos tambores, a miscelânea de ritmos e estilos do grupo é uma verdadeira imersão na ancestralidade musical afro-brasileira.

Banda Black Rio: Com quase quatro décadas de música e história, a Banda Black Rio traz em sua essência inúmeras etnias e idiomas musicais. Criações sem fronteiras, que unem os tradicionais toques de samba, soul, jazz e funk e atravessa gerações, dialogando com a música moderna, o rap e groove de sobra.
 

DJ MAM: Na ativa desde 2002, DJ MAM é um consagrado DJ, produtor e artista carioca na vanguarda da nova MPB. O artista mixa o tradicional groove brasileiro com as novidades das pistas de dança mundiais. DJ MAM já se apresentou no Roskilde Festival na Dinamarca, na Atlântic Music Expo em Cabo Verde, no WOMAD no Chile e no Cielo Club em Nova York, além de tocar para mais de 2 milhões de pessoas no Réveillon de Copacabana. MAM recebeu o Prêmio Noite Rio de melhor DJ MPB / Regional em 2012 e 2014.

CL∆PS: Idealizada por MouChoque e Baré (Ritmo de Favela) e batizada pela DJ Ruby, o Baile CL∆PS teve sua primeira edição em maio de 2014 em uma boate em Copacabana. A CL∆PS é um baile funk livre e itinerante que ocupa lugares públicos e/ou privados tocando ritmos oriundos das favelas e periferias do mundo como dancehall, reggaeton, cumbia, kuduro e o funk carioca.
 

VJ Notívago: Desenvolve soluções e projetos relacionados às artes visuais e projeções de diversos tipos para eventos, espetáculos, festivais e instalações. É percussionista, diretor de arte e produtor audiovisual. Tem forte interesse em iluminação, cultura popular regional, video-dança, ciclo/vídeo-ativismo e ocupação de espaços públicos.

Programação:
 
  • Bonde Babalakina encontra Som das Artes
  • André Sampaio & Os AfroMandinga encontra Alabê Ketujazz
  • Afrojazz encontra Banda Black Rio
  • DJ MAM encontra CL∆PS
  • Mapping por VJ Notívago
Serviço:
 
CRAB Sotaque Carregado

Sexta-feira, 16 de dezembro
Local: CRAB – Centro de Referência do Artesanato Brasileiro
Endereço: Praça Tiradentes, 67 | Centro | Rio de Janeiro (RJ)
Horário: A partir das 17h
Gratuito
Classificação: 18 anos

Booking.com