Conservatória recebe Instituto Waldir Azevedo no dia em que o mestre do cavaquinho faria aniversário

Nesta sexta-feira, 27 de janeiro, o Instituto Waldir Azevedo realiza sua pré-inauguração na cidade de Conservatória no dia em que uma das maiores referências da música brasileira faria aniversário. A solenidade de abertura, para artistas e convidados, acontece a partir das 20h30 no local. O sábado do dia 28 promete ser recheado de atrações já pela manhã, a partir das 11h, a roda de chorinho na casa com o músico e diretor do Instituto, Ronaldo do Cavaquinho, ao lado do grupo Choro em Conserva homenageia o mestre e abre suas portas para receber o público. Às 20h o bandolinista Déo Rian divide o palco com o amigo e parceiro Ronaldinho – compositor e autodidata apontado por alguns críticos como o herdeiro musical do mestre do cavaquinho obtendo maior parte do acervo de Waldir da própria viúva, dona Olinda.

O espaço, com aproximadamente 300m², no coração da ”Terra da seresta” é dedicado à preservação da memória, história e talento de uns músicos que mais representam a riqueza e excelência da música brasileira. Fotografias, o quadro ”Minhas mãos, meu cavaquinho” da artista Cléa Maria Novelino, partituras, guitarra, vitrola, mobiliário e, é claro, um cavaco também estão entre os elementos que ficam expostos permanentemente no local.

O músico com mais de 130 canções e 30 anos de carreira foi criado no subúrbio do Rio de Janeiro, onde aprendeu cavaquinho, flauta e violão na infância. João de Barro, o Braguinha, após ouvir os acordes e solos de Waldir, o convidou para gravar um disco com o hit “Brasileirinho” e “Carioquinha” pela gravadora Continental. Além de mais dois discos com músicas de sua autoria entre “O que é que há”, “Quintandinha” e “Vai por Mim”, compôs e gravou o baião “Delicado” em seu quarto disco e no ano seguinte ”Pedacinho do Céu”. O sucesso foi garantido ao vender mais de 500 mil cópias no Brasil, tendo sido gravado por artistas estrangeiros como Percy Faith e Ray Coniff. Campeão de vendas de discos e empatia do público, Waldir Azevedo percorreu Europa, Japão e Estados Unidos nos anos 50 levando sua música somando mais de 20 LPs gravados ao longo da carreira.

Conservatória, a cidade escolhida pela família Azevedo
Em 2008 a viúva de Waldir, dona Olinda Azevedo, visitou a pequena cidade no interior do estado do Rio e acabou se encantando pela atmosfera musical do lugar. Revelou, na ocasião, sua vontade de ver um espaço dedicado a celebrar a vida e a obra de seu marido. Por vontade da própria e também da filha de Waldir, Marly Azevedo, o diretor do Instituto atendeu então ao pedido da família. Para Ronaldinho do Cavaquinho, uma das melhores maneiras de homenagear o mestre, além de estar em um local todo dedicado à música, é manter sua obra ao alcance do público. ”O Instituto veio só para consolidar ainda mais todo o legado de um dos maiores expoentes e ícones da cultura brasileira preservando sua memória com a exposição permanente de seus objetos pessoais, móveis e demais artigos ligados à sua criação artística. Em breve o espaço também disponibilizará oficinas de choro e, é claro, cavaquinho”, conclui o responsável pelo IWA. O Instituto Waldir Azevedo fica na Rua das Flores, n° 145, no Centro de Conservatória. A entrada é franca e a classificação livre com visitação de sexta a domingo.

Serviço
Inauguração: Instituto Waldir Azevedo – Conservatória
ENTRADA FRANCA
Data: 27/01 (SEX) | Hora: 20h30
28/01 (SAB) | Hora: 11h e 20h
Endereço: Rua das Flores, nº 145, no Centro

1 comentário
  1. Gildo Contar Diz

    Quem se interessar por dicas e Técnicas essa é a hora!

    Tudo Free…

    http://cursodecavaquinho.tk/

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.