Conheça harmonizações de vinhos ideais para o seu almoço de Páscoa

De acordo com Natália Cacioli, sommelière da Evino, peixes, frutos do mar, legumes e vegetais são apostas que harmonizam bem com vinhos brancos e rosés

O almoço de Páscoa é considerado tradição entre as famílias. Símbolo da celebração, o vinho é presença garantida na mesa. Para não errar nas escolhas é preciso levar em conta a harmonização do cardápio que será servido. Muitas pessoas abdicam da carne vermelha durante o almoço de sexta-feira. Como opção, além do tradicional bacalhau, peixes, frutos do mar, legumes e vegetais – presentes principalmente em cardápios veganos e vegetarianos – podem ser boas apostas.

De acordo com Natália Cacioli, sommelière da Evino, vale lembrar que esse estilo de comida harmoniza muito bem com vinhos brancos e rosés, que também combinam com o calor brasileiro persistente durante a época.

Mas se engana quem pensa que os tintos não têm vez. Separamos algumas dicas especiais para te ajudar nessa escolha:

Bacalhau à Gomes de Sá

Apesar de peixe, o bacalhau não é exatamente uma carne leve. Com aromas e sabores intensos, o principal desafio é driblar o sal. A versão Gomes de Sá ainda tem ingredientes igualmente intensos como azeitonas e pimentão, além de muito azeite. Vinhos brancos portugueses são uma boa escolha: os da região de Vinho Verde são aromáticos e com baixo teor alcoólico, o que ajuda na missão de apaziguar o sal. Entre os tintos, a dica é escolher um vinho do Dão. Essa região portuguesa, não tão famosa quanto Douro e Alentejo, produz vinhos de corpo mais leve, frutados e menos alcoólicos.

Namorado recheado com banana e pesto

Carne tenra e saborosa, o peixe Namorado vai bem praticamente com qualquer rótulo branco ou rosé. Como essa receita leva banana e pesto, a dica é apostar num vinho mais aromático e com notas vegetais e de especiarias, como é o caso do Sauvignon Blanc ou um rosé feito com a uva Syrah.

Moqueca baiana

Intensa, aromática e levemente apimentada, a moqueca é o tipo de prato que combina perfeitamente com espumantes ou frisantes. Isso porque esse estilo de vinho tem bastante acidez, característica vital para limpar a gordura e preparar a boca para a próxima garfada. Aqui o cuidado é com a pimenta: vinhos mais alcoólicos vão ampliar a ardência. Com Moscatel e espumantes demi-sec não tem como errar.

Já os veganos e vegetarianos não precisam ficar restritos à salada durante o almoço de Páscoa. Confira algumas sugestões diferentes para quem não consome carne e/ou peixe:

Canelone de abobrinha com recheio de pupunha

Para a opção vegana do cardápio, brancos jovens, como um Chardonnay sem barrica, ou tintos leves, como Beaujolais, vão fazer bonito. São vinhos frutados e aromáticos que vão casar bem com os ingredientes vegetais.

Estrogonofe de cogumelos

Para acertar em cheio na harmonização de cogumelos, a dica é apostar nos clássicos. No caso dos tintos, escolha um Pinot Noir ou um italiano do Piemonte, como um Nebbiolo ou um Barbera. Se for de branco, escolha um vinho mais untuoso para parear com o molho, com um feito com a uva Viogner ou um Chardonnay com estágio em barrica.

Lasanha de berinjela com queijo e molho vermelho

Molho de tomate pede vinhos com acidez para parear com a acidez natural da fruta. Um clássico são os italianos da uva Sangiovese – desde um Toscana Rosso até um Chianti. Outra opção é um Carménère, vinho com aromas frutados e vegetais e taninos macios – características que casam bem com os ingredientes do prato.

Site: www.evino.com.br

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.