Como nascem os avós

Emoção e medo, felicidade e angústia, fraqueza e força. Esse turbilhão de sentimentos antagônicos invadiu, ao mesmo tempo, a vida de José Inácio Parente e Maria Inês Delorme em diferentes épocas mas numa mesma situação: o momento em que descobriram que seriam avós.

Amigos de longa data, o psicanalista José Inácio e a professora Maria Inês tiveram a ideia de reunir as experiências afetivas que o primeiro netinho – e os que vieram em seguida – proporcionaram. O resultado foi o livro “Como nascem os avós” (Interior Produções/Editora Multifoco), que será lançado no dia 18 de dezembro, às 17h, na Livraria Argumento, no Leblon.

“Comecei a escrever este livro quando foi anunciada a chegada do meu primeiro neto. Depois dele, vieram mais dois e sei que outros ainda virão. Todos têm um espaço bem guardado no meu coração e nas histórias contadas nesse livro”, conta Maria Inês. José Inácio lembra que se assustou quando soube da gravidez de sua filha: “Quando minha filha me falou que estava grávida, tomei um grande susto e senti que estava iniciando uma nova etapa de minha vida. Ouvi uma sentença dupla. Uma dizia: você está ficando velho e vai morrer. A outra dizia: você tem que ser cada vez mais jovem para acompanhar seus netos com força e sabedoria”.

O livro é composto por 62 textos curtos escritos ao longo dos anos, de forma espontânea e fluída. Palavras resultantes dos acontecimentos familiares, expectativas e reflexões dos autores. “Com ternura e profundidade, leveza e humor, me dediquei a escrever durante seis anos, com meu coração aberto, sobre a intimidade e as vivências de me tornar avô, vivências que resultaram em mudanças e crescimento para toda a minha família”, explica José Inácio.

Um tom mais interiorizado, onde sentimentos ora aflitivos sobre a própria finitude ora enternecidos diante da filha cuidando do netinho, ou ainda em relação ao seu papel importante e dificil de ser avo e pai simultaneamente, permeiam a coletânea de José Inácio. “Situações simples do cotidiano serviram para eu criar um livro de histórias verdadeiras, cheias de descobertas e reflexões para serem compartilhadas com pais, filhos, avós, futuros avós e com toda a família”, resume.

Maria Inês expõe de forma mais descritiva as situações do dia a dia. Por vezes ela busca em suas memórias explicações para experiências atuais, ora revela a dor necessária para deixar de ser mãe e assumir o irrevogável papel de avó. “Acho que a maternidade intensa, de quatro filhos, junto com a vida profissional que precisava seguir, não me deixaram tempo para pensar tão profundamente sobre a mãe que fui e sobre a avó que, um dia,  eu seria. Hoje vejo que não é simples ser uma avó ativa e amorosa, embora sinta os tempos e espaços das avós como mais suaves, mas não menos intensos. Ser avó é uma experiencia tão diferente, quanto inimaginável enquanto somos mães. E como é bom!”, conclui. 

José Inacio Parente é avô de Tom (5 anos) e Eric (2 anos), filhos de Luciana, e Isabela (6 meses), filha de Fábio. Psicanalista e fotógrafo, é autor de diversos livros e diretor de vários filmes com prêmios nacionais e internacionais.

Maria Inês Delorme é avó de Benjamin (4 anos) e Conrado (6 meses), filhos de Artur, e Antonio (1 ano), filho de Eduardo. Doutora em Pedagogia, com pós-doutorado em Portugal em Educação Infantil, é professora na Universidade Estadual do Rio de Janeiro e autora de diversos artigos e livros.

COMO NASCEM OS AVÓS (Interior Produções/Editora Multifoco) – De José Inácio Parente e Maria Inês Delorme. 232 páginas. R$ 45,00

Lançamento dia 18 de dezembro (domingo), das 17h às 23h. Livraria Argumento (Rua Dias Ferreira, 417 – Leblon – 2239-5294)

2 Comentários
  1. Liris Diz

    Quando fiz esse texto não pensava que seria para mim mesma…

    Seria vitupério me auto intitular Mestra agora?

    Como nascem as avós?

    Liris Letieres

    Quando Mãe, ela aprimora-se na arte da maternidade e vaga imprecisa e ardente, entre soluços, cólicas, fraldas, dentinhos, quedas, chupetas, papinhas, insônias, choros, carinhos, zangas e beicinhos e destes, vai aos livros, às dúvidas, às zangas, conselhos, diplomas, genros e noras… e segue intrépida nesse aprender constante!
    Daí, nessa altura da vida, após longos anos de aprendizado, ela se depara com um novo desafio: Os filhos ingressam na maternidade, passam de filhos a Pais e tudo recomeça.. Agora é com eles….
    E ela, sem pestanejar, esquece conceitos, ideias, anos de estudo e desaprende de vez a ser Mãe e, como uma autoditada, passa a ser uma Mestra Maior:

    UMA AVÓ!

  2. Liris Letieres Diz

    Quando fiz esse texto não pensava que seria para mim mesma…

    Seria vitupério me auto intitular Mestra agora?

    Como nascem as avós?

    Liris Letieres

    Quando Mãe, ela aprimora-se na arte da maternidade e vaga imprecisa e ardente, entre soluços, cólicas, fraldas, dentinhos, quedas, chupetas, papinhas, insônias, choros, carinhos, zangas e beicinhos e destes, vai aos livros, às dúvidas, às zangas, conselhos, diplomas, genros e noras… e segue intrépida nesse aprender constante!
    Daí, nessa altura da vida, após longos anos de aprendizado, ela se depara com um novo desafio: Os filhos ingressam na maternidade, passam de filhos a Pais e tudo recomeça.. Agora é com eles….
    E ela, sem pestanejar, esquece conceitos, ideias, anos de estudo e desaprende de vez a ser Mãe e, como uma autoditada, passa a ser uma Mestra Maior:

    UMA AVÓ!

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.