Coletivo As Minas reestreia espetáculo autoral em Julho na Sede das Cias

‘Eu (Quase) Morri Afogada Várias Vezes’ traz dez jovens atrizes no elenco e aborda temas importantes sobre o universo feminin

O Coletivo As Minas, grupo teatral idealizado pela jovem atriz Rayza Noia, reestreia seu primeiro espetáculo Eu (Quase) Morri Afogada Várias Vezes, no dia 4 de julho, às 20h, na Sede das Cias. A peça é um convite à reflexão acerca da desigualdade de gênero e a dramaturgia permeia pelo tema durante todo o espetáculo, misturando ficção e realidade. “Quando você entende a urgência e a beleza da luta feminista, passa a enxergar o mundo com outros olhos. É difícil ver como ainda é um termo distorcido pelas pessoas. Através da arte encontrei a melhor maneira de tocar o coração do outro. Entendi que, além do ataque, é necessário o acolhimento. Nesta peça, temos o embate, a poesia, a reflexão e a comicidade. Contamos histórias de mulheres que passam por provações e não se deixam afundar. Acredito que esta seja a luta de toda a mulher desde que se levanta da cama. Superar, se provar e não se permitir afogar num mundo em que ela é constantemente subjulgada”, afirma Rayza.

O espetáculo, que apresenta músicas e texto inéditos e autorais, conta com uma equipe criativa e técnica composta apenas por mulheres. A peça é desenvolvida por fios condutores que se interligam, levantando diferentes pontos de vista acerca das questões abordadas. As trajetórias pessoais das atrizes também estão inseridas nesse contexto além de casos que viraram notícia, por isso a mistura entre a realidade e ficção. “O nosso processo criativo se deu de forma muito natural. Elas foram se abrindo com suas histórias, com histórias de amigas, com histórias que leram na internet e, a partir daí, tudo virou um grande material. Aqueles corpos começaram a se desenhar no espaço virando poesia. Era muita força vinda dessas jovens atrizes que, mesmo entre intempéries, parecem já saber qual o caminho seguir. Não sei se mulher é mais questionadora, ou se as mulheres desse Coletivo que tem isso em comum. Para elas não existe uma resposta fechada para nada, tudo é passível de entendimento e de possibilidades, desde que primordialmente a mulher seja respeitada e seja livre para decidir o que fazer”, conta a Diretora, Brunna Napoleão.

Serviço

Eu (Quase) Morri Afogada Várias Vezes

Local: Sede das Cias.

Endereço: R. Manuel Carneiro, 10 – Escadaria Selarón – Lapa, Rio de Janeiro.

Inteira: R$40 / Meia: R$20.

**Ingresso-amigo (para todos que levarem 1kg de alimento não perecível a ser doado para instituição de caridade de apoio à mulheres): R$20.

**Ingressos vendidos somente na bilheteria do local.
Temporada: De 4 de julho a 27 de julho – De terça a quinta, sempre às 20h.