Clássico da boemia paulistana, Bar Léo Ouvidor chega ao Rio de Janeiro em casarão tombado no Centro

Um dos bares mais famosos do Centro de São Paulo e com mais dois endereços na capital paulista, o Bar Léo aterrissa na movimentada esquina da Rua do Mercado com a Rua do Ouvidor, no Centro do Rio. O bar traz para solo carioca os três pilares que lhe renderam fama: o chope da casa, o ambiente hospitaleiro e a gastronomia com influência alemã combinada com receitas do típico botequim brasileiro.

Fundado nos idos anos de 1940, na Rua Aurora, no Centro de São Paulo, o Bar Léo ficou conhecido pelo chope geladíssimo e seu colarinho cremoso. A bebida chega à mesa entre 0º e 3º C, com colarinho de três dedos de espessura – está no creme o segredo para reter o gás por mais tempo e conservar aroma e sabor da bebida. A chopeira é exclusiva, desenvolvida especialmente para a casa, e fica exposta no meio do balcão, ligado ao barril dentro de uma câmara fria. A importância da forma e sabor é tanta que foi no Bar Léo que nasceu a caldereta. Hermes de Rosa, então sócio do bar, inventou este formato de copo, perfeito para servir um legítimo chope ao cliente. Nem precisa dizer que o sucesso foi tamanho que o copo passou a ser usado em uma infinidade de bares e restaurantes ao redor do país.

A cozinha alemã é outro ponto alto do bar. É difícil resistir a linguiça Blumenau e o Hackepeter de carne crua, ou ao Zufrieden, filet mignon grelhado, panaché de legumes e arroz. O cardápio com influências alemãs oferece ótimas opções para o almoço executivo. Assim como nas casas de São Paulo, a cada dia da semana são servidos diferentes pratos como sugestão do dia, são opções como o Eisbein, joelho de porco, chucrute, arroz e feijão branco, disponível às quartas e um dos carros-chefes do cardápio. Outro prato já conhecido do bar, o Casa Nostra surpreende por sua porção farta de filet mignon à parmegiana com molho de tomate fresco queijo. O cardápio traz opções de canapés, petiscos e sanduíches, além do menu executivo durante a semana.

A esquina escolhida para se instalar no Rio, assim como o sobrado de três andares, tombado pelo Patrimônio Histórico, dá ainda mais relevância à chegada do Bar Léo à cidade. “O local estava abandonado há oito anos e foi completamente restaurado pelo arquiteto João Velloso. Revitalizar uma área com tanta história é muito gratificante. Sou apaixonado pelo Centro do Rio, especificamente por essa esquina. Mantivemos a atmosfera do bar, mas cultivando as características do prédio”, conta o sócio carioca, Ricardo Moraes. Jornalista veterano e amante de um bom samba, Ricardo também promete uma programação musical para o espaço.

A decoração é fiel ao ambiente paulista. Lá estão o vitral colorido nas portas do sobrado, a madeira escura presente nas estantes e no balcão, e réplicas idênticas dos lustres originais da Rua Aurora. As paredes são revestidas com os azulejos com a marca do Bar Léo, e, tem mais uma curiosidade: “Vamos manter a tradição que começou há muito tempo”, diz Ricardo. “Os clientes iam deixando (ou esquecendo) suas canecas de chope no bar e elas começaram a fazer parte da decoração. Hoje em dia, elas se misturam com as canecas próprio bar e que estarão à venda”, completa.

Serviço Bar Léo

Rua do Ouvidor, 18, centro. Tel.: 2509-5730. (350 lugares). Horário de segunda a quarta, das 11h às 20h; quinta e sexta das 11h à 00h, sábado das 11h às 18h.. C.c: todos. C. d.: todoshttps://www.barleo.com.br/

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.