Clarice Assad e André Muato – Tributo a João Bosco

O Duo formado pelos músicos Clarice Assad e André Muato teve início em 2016, com o show Os sonhos não envelhecem, um Tributo a Milton Nascimento, realizado em Janeiro, na Sala Cecília Meireles, RJ. A performance conduziu o clima do show e resultou em um grande sucesso de público e crítica. 

Dessa vez, a parceria homenageia o compositor e intérprete João Bosco, também na Sala Cecília Meireles, no dia 27 de Janeiro de 2017, e conta com um repertório eclético da obra de João Bosco, passeando pelos mais diversos gêneros como samba, tango e canções. O piano de Clarice Assad  e o violão de 8 cordas de André Muato somado às suas vozes, nos apresentam arranjos inéditos para esse show através de uma sonoridade única e original do Duo: Uma parceria que sintetiza a união de linguagens musicais, como o Jazz, música erudita, MPB,  além de acrobáticas improvisações vocais.

Composições como Linha de Passe, Corsário e Papel Machê ganham vida através da expressividade do Duo, acompanhado pelo contrabaixo de Bruno Repsold e bateria de Felipe Cotta. O show conta com a participação especial de Ordinarius – Grupo vocal e Trio Capitu – Flauta, Oboé e Fagote.

Clarice Assad
Radicada nos Estados Unidos há 20 anos. Nascida no Rio de Janeiro, em uma família musical, filha de Sergio, do Duo Assad e sobrinha de Odair e Badi Assad, Clarice cresceu cercada de música – desde os 7 anos já desenvolvia seus dons profissionalmente. Hoje, Assad é compositora, arranjadora, bandleader, cantora e pianista. Sua eclética música – sinfônica, teatral ou de câmara – percorre as salas de concertos do mundo. Foi indicada ao Grammy e já recebeu vários prêmios, incluindo o prestigiado McKnight Fellowship e Prêmio Aaron Copland de Composição. Além de encomendas da OSESP, Carnegie Hall e Lincoln Center.

André Muato
Compositor, arranjador, diretor musical, ator, cantor e Bacharel em violão pela UNIRIO, onde participou como concertista do I Simpósio Brasil-Alemanha de violão, na série Young Artist in Concert. Começou a explorar o violão de oito cordas em 2009, instrumento de muitas possibilidades, que junto com sua voz, se tornou o principal meio para promover sua expressividade. Vem se destacando, também, na cena do teatro musical, tendo participado dos espetáculos Andança – Beth Carvalho e Cartola – O mundo é um Moinho.

Serviço
Local: Sala Cecília Meireles, Largo da Lapa, n.47, Centro, Rio de Janeiro
Data: 27/01/2017        
Horário: 20h
Ingresso: R$40,00
Vendas: Bilheteria da Sala Cecília Meireles ou através do site www.ingressorapido.com.br

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.