“A Chegada de Lampião no Inferno” no Teatro Dulcina

foto: Simone Rodrigues
foto: Simone Rodrigues

Para encerrar a programação do Projeto de Ocupação 3º Sinal entra em cena de 21 a 30 de dezembro, quarta a domingo, às 19h, no Teatro Dulcina, na Cinelândia, A Chegada de Lampião no Inferno, indicado ao Prêmio Shell de Teatro (Categorias Cenografia e Iluminação).  Criado em 2009, este consagrado espetáculo de bonecos mergulha de cabeça na cultura brasileira. Funde com radicalidade tradição e modernidade.

Livremente inspirada no cordel homônimo, a montagem também cita a Divina Comédia, de Dante Alighieri. A trilha sonora é assinada por André Abujamra e a locução é do ator Othon Bastos. “Buscamos nos desamarrar da região Sudeste, da nossa vivência de zona sul do Rio de Janeiro para descobrir o nordestino que há em cada um de nós.” Assim resume o diretor Miguel Vellinho a criação do espetáculo A Chegada de Lampião no Inferno, um dos mais importantes do repertório da Cia PeQuod. Vale destacar que, em 2011, os cenários, adereços e figurinos de A Chegada de Lampião no Inferno integraram a representação brasileira na Quadrienal de Cenografia de Praga.

Vellinho foi fundo na pesquisa. Fez uma imersão no Alto do Moura, em Caruaru, interior de Pernambuco, para ver de perto os bonecos de barro e a herança de Mestre Vitalino. Baseado em um cordel conhecido, A Chegada de Lampião no Inferno, o espetáculo é dividido em duas partes. A primeira se passa em uma olaria como em Caruaru. “Desenvolvemos bonecos com cara de argila e até usamos argila em cena”, destaca o diretor. Ali, entre os artesãos, a Cia. PeQuod conta o ciclo do cangaço até chegar ao último dia de vida de Lampião. No entanto, não tem a preocupação de contar a história da vida de Lampião, mas sim entender a sombra que ele produziu e ainda produz em todo o Nordeste.

Após a morte, o cangaceiro vai para o Inferno e começa a segunda parte da peça que ganha ares de Divina Comédia. “Na segunda parte só usamos atores, mais um desafio para o elenco e um aprofundamento em nossas técnicas, mesclando atores e bonecos”, explica o diretor. No Inferno, Lampião encontra semelhanças com o sertão. Ele tenta enfrentar o Diabo para dominar aquele lugar. Mas ali Lampião se depara com a impossibilidade de matar, já que todos estão mortos. “Puxamos pelo lado humano no Inferno e por isso não há bonecos, achamos que aquele texto na boca de um boneco soaria pueril”, conclui Vellinho.

Auxílios luxuosos
A PeQuod, como sempre, traz uma ficha técnica impecável e desta vez, para encontrar a sonoridade necessária de um Nordeste “pequodiano” trouxe o músico André Abujamra para criar especialmente a trilha sonora desta nova produção. “O Nordeste do Abujamra é extremamente rico de informações e principalmente não se fecha em um purismo que não existe mais. Há desde rock pesado até influências do oriente médio na trilha. E eu queria exatamente isso, um Nordeste contaminado de influências. Sou fã do André desde Os Mulheres Negras e sabia que ele era o cara certo para criar a atmosfera sonora do espetáculo” conta o diretor da companhia.

A outra participação é do ator Othon Bastos que empresta sua voz para conduzir o público aos confins do sertão e às artimanhas do cangaço. “O Othon era a amarração conceitual que eu precisava e fiquei muito feliz pela sua disponibilidade e empenho, durante o processo. Sempre achei que a voz dele, a voz de Corisco, era a voz que faria a narração do espetáculo e assim foi” revela Vellinho.

A PeQuod
Com 18 anos de existência, a PeQuod é uma das mais destacadas companhias de teatro de animação do país, com um repertório sólido e reconhecido em todo o Brasil e no exterior. Desde sua primeira montagem, a PeQuod procura trabalhar dentro de uma metodologia que propicie um aglutinamento visual e estético muito peculiar de linguagens variadas como o Cinema, o desenho animado e a dança, sendo esta uma das principais características do trabalho desta companhia.

Serviço:
A Chegada de Lampião no Inferno
Com a Cia. PeQuod – Teatro de Animação – 21 a 30 de dezembro (exceto dia 24/12)
Direção: Miguel Vellinho
Elenco: Liliane Xavier, Raquel Botafogo, Gustavo Barros, Márcio Nascimento e André Gracindo.
Classificação etária: 16 anos
Duração: 70 minutos
Serviço: Projeto de Ocupação 3º Sinal

Teatro Dulcina – Rua Alcindo Guanabara, 17 – Cinelândia, Rio de Janeiro | CEP 20031-130
Lotação: 429 lugares | Horário: 19h | Ingresso: R$ 30 (inteira) e R$ 15 (meia)
INFORMAÇÕES: 21. 2240-4879