Chapada Diamantina, na Bahia, é cenário de A Caverna Cristalina

Graduada, mestre e doutora em Psicologia Clínica pela Universidade de São Paulo, com especialização em psicodrama e orientação profissional, Christiane Isabelle Couve de Murville dedicou sua carreira ao atendimento psicológico individual e grupal de crianças, jovens e adultos, oferecendo oficinas de teatro espontâneo em contextos variados. Bacharel em Ciência da Computação pela USP, sua dissertação de mestrado foi publicada pela editora Casa do Psicólogo. Morou sempre no Brasil, apesar da dupla nacionalidade brasileira e francesa. Publicou a trilogia “A Caverna Cristalina” e a novela “A vida como ela é”, no Brasil e na França, além de livros e artigos acadêmicos. Tem experiência artística em escultura, desenho, pintura e cerâmica e faz as ilustrações de seus livros.

“Além da aventura, da ficção e do conteúdo histórico apresentado, a trilogia também revela um lado espiritual, que vai se tornando mais evidente ao longo da história, promovendo reflexões sobre o mundo onde vivemos e o que estamos fazendo aqui.”

Boa Leitura!

Escritora Christiane de Murville, é um prazer contarmos com a sua participação na Revista Divulga Escritor. Conte-nos, como surgiu inspiração para escrever a trilogia “A Caverna Cristalina”?

Christiane de Murville – A trilogia “A Caverna Cristalina” surgiu da vontade de compartilhar algumas ideias e reflexões que considero interessantes a respeito da vida e do mundo no qual vivemos. Por meio de uma leitura agradável e fluida, imaginei proporcionar aos meus leitores momentos de descontração, inspirando-os a buscar realidades mais alegres, leves e vibrantes, contribuindo de algum modo para tornar o nosso mundo mais luminoso.

Apresente-nos a trilogia.

Christiane de Murville – Trata-se de um romance de aventura e ficção que conta a história de um grupo de pesquisadores que vivem experiências de portais dimensionais em uma caverna cristalina, situada na Chapada Diamantina, na Bahia. A formação geológica do local, o poço de águas transparentes no centro, a janela no alto e os efeitos acústicos e luminosos que invadem o ambiente cristalino ocasionam viagens no tempo, levando a turma ao passado do vilarejo de Igatu. Nessas idas e vindas no tempo, são sempre as mesmas pessoas se reencontrando nas diferentes realidades visitadas. Passado, presente, futuro, morte e renascimento se entrelaçam, conferindo à vida uma nova dimensão, trazendo à tona um mundo invisível, muitas vezes desconsiderado ou esquecido, e convidando o leitor a considerar diversas realidades possíveis coexistindo.

De que forma se apresenta o enredo em cada trama que compõe a trilogia?

“A Caverna Cristalina – Uma aventura no tempo” – Acompanhando as aventuras dos viajantes do tempo da Chapada Diamantina, o leitor descobre a história da região, desde o apogeu da extração do ouro e dos diamantes, passando pela decadência da mineração, até os dias de hoje. Houve um tempo em que Xique-Xique de Igatu chegou a ter 10 mil habitantes, cassinos, cabarés e bairros de escravos na periferia. Hoje, Igatu é um povoado de aproximadamente 600 habitantes que vive essencialmente do turismo. Ao se deparar com cenários absolutamente estranhos e, em alguns casos, até mesmo hostis, a turma que se percebe no passado de Igatu terá que encontrar um meio de retornar ao seu tempo, para a realidade de onde veio.

“A Caverna Cristalina – O desafio do labirinto” – Inveja, incompreensão, medo e curiosidade se espalham entre os habitantes da região, e a situação se tumultua com o surgimento de movimentos contrários à realização dos experimentos na caverna cristalina, tornando ainda mais desafiadora e instigante a aventura na Chapada Diamantina. Uma velha mina de ouro e diamantes abandonada, cuja entrada secreta se dá por uma cachoeira, torna-se um refúgio seguro para aqueles que anseiam por desvendar os mistérios dessas idas e vindas no tempo. Porém, eles terão que explorar os corredores da velha mina, que esconde um labirinto cheio de surpresas, para reencontrar o caminho de volta para a caverna cristalina e o portal de saída da realidade na qual se encontram.

“A Caverna Cristalina – Capturados no tempo” –  Não se trata mais de ir ao passado ou futuro de Igatu, mas de lidar com realidades alternativas possíveis coexistindo no tempo. Ora a turma se percebe em um mundo onde tudo acontece de forma mais lenta, ora em outromais acelerado, ou ainda onde não parece haver distâncias a percorrer ou separação entre uns e outros. A sensação de passagem de tempo varia conforme a realidade visitada, sendo que esta última ganha evidência em função das intenções, dos sentimentos e pensamentos emitidos. As emoções experimentadas a cada instante e as escolhas feitas abrem novos caminhos e realidades possíveis, levando alguns a se perguntarem se seria possível fugir de realidades sofridas e se bandear para um mundo alternativo mais de acordo com suas expectativas e seus sonhos particulares. Percebendo-se capturado no tempo, cada integrante do grupo dos viajantes da Chapada Diamantina terá que descobrir como se libertar de suas projeções pessoais e desses mundos paralelos.

Quais os principais personagens que compõem“A Caverna Cristalina”?

Christiane de Murville – Samuel é um professor universitário, biólogo e historiador, que coordena um grupo de estudos transdisciplinares. Integram esse grupo o engenheiro Eli, a psicóloga Sofia, o veterinário Tobias, as estudantes Isa, Theodora e Hannah, Victor, da área de informática, e sua namorada, Flora. Também participam dos estudos o geólogo Dan, sua esposa arquiteta e seus filhos Benjamin e Rafaela.Em Igatu, a turma encontra Noel, o supervisor do Parque Nacional da Chapada Diamantina, o índio Ibiajara, o pajé Acauã, o Sr. Alvino, funcionário da pousada; dona Mathilda, da casa de especialidades regionais, entre outros. São muitas personagens, e cada uma delas ganha evidência conforme os desafios que se apresentam.

De que forma eles se apresentam em cada volume da trilogia?

Christiane de Murville – Cada personagem tem suas características e seus interesses particulares, e passa por provas que as estimulam a refletir sobre sua vida, suas escolhas e a visão de mundo. Ao longo dos experimentos realizados na caverna cristalina, o leitor acompanha o desenvolvimento das personagens que são constantemente chamadas a lidar com diferentes realidades acontecendo simultaneamente e até mesmo, eventualmente, a gerenciar a possibilidade de topar com algum sósia seu em alguma realidade alternativa visitada.

Qual a mensagem que deseja transmitir ao leitor pelo enredo que envolve a trama?

Christiane de Murville – Além da aventura, da ficção e do conteúdo histórico apresentado, a trilogia também revela um lado espiritual, que vai se tornando mais evidente ao longo da história, promovendo reflexões sobre o mundo onde vivemos e o que estamos fazendo aqui. Considerando que tudo é vibração e que há uma parcela enorme da realidade que escapa à percepção humana, existiriam diferentes mundos imbricados acontecendo em faixas vibracionais distintas? Estaríamos condicionados a perceber apenas uma fatia específica da realidade, momentaneamente sintonizada e eleita como real e única? Será que podemos pensar em termos de níveis de percepção e consciência da realidade ou de diferentes planos emocionais e/ou vibracionais de manifestação? O que, de fato,é sonho ou realidade, tendo em vista a qualidade efêmera e mutante de toda realidade vivida, sensível a cada intenção, pensamento ou sentimento emitido? Seríamos nós os capturados no tempo?

Quais os principais desafios para a escrita de “A Caverna Cristalina”?

Christiane de Murville – Circulei durante vários anos no meio universitário, participando de grupos de estudos, de pesquisas e produzindo textos acadêmicos. Nunca havia escrito um romance, de modo que foi um grande desafio me lançar no projeto da trilogia “A Caverna Cristalina”. Eu tinha uma ideia dos temas que gostaria de abordar, mas não tinha as personagens e um enredo definidos na cabeça. Mas logo percebi que, assim que escrevia um capítulo, a ideia para o próximo aparecia. Assim foi surgindo a história dos viajantes do tempo da Chapada Diamantina, cujo desfecho também só descobri no fim desse processo, ao escrever o último capítulo!

Onde podemos comprar os seus livros?

Chiado Editora: https://www.chiadoeditora.com/autores/christiane-de-murville

Livraria Martins Fontes Paulista: http://www.martinsfontespaulista.com.br/busca/3/0/0/MaisVendidos/Decrescente/20/1////a-caverna-cristalina.aspx

Livraria Cultura:https://www.livrariacultura.com.br/busca;_lcid=2cuyxIVAhOy1zoQrR9yUKDm6-OThnXfSfcy4sPCmDskI2Sel18U6!-1373902084?N=0&Ntk=AutoComplete&Ntt=caverna+cristalina

Pois bem, estamos chegando ao fim da entrevista. Muito bom conhecer melhor a escritora Christiane de Murville. Agradecemos sua participação na Revista Divulga Escritor. Que mensagem você deixa para nossos leitores?

Christiane de Murville – Agradeço muitíssimo a oportunidade de apresentar aos leitores da Revista Divulga Escritor a trilogia “A Caverna Cristalina” que, no limiar entre realidade e ficção, leva muitos leitores a se perguntarem se a história não poderia mesmo ser de verdade.

Minha mensagem para todos: tenham coragem de ouvir e seguir seus corações, de dizer não a tudo que os afasta de si e os impede de serem vocês mesmos. Respeitem os outros e a si mesmos. Busquem o que os faz se sentirem mais leves, livres e em paz consigo mesmos. Sejam felizes e aproveitem suas aventuras no tempo para ser luz.

Divulga Escritor, unindo você ao mundo através da Literatura

https://www.facebook.com/DivulgaEscritor

Contato: divulga@divulgaescritor.com

 

Shirley M. Cavalcante, jornalista e radialista, é administradora do projeto Divulga Escritor, Editora da Revista Acadêmica Online, Revista Literária da Lusofonia.
Graduada em Comunicação Social pela UFPB, é especialista em gestão empresarial e de pessoas.
Acadêmica Correspondente da Academia de Artes Ciências e Letras de Iguaba Grande – RJ, e do CONINTER – Conselho Internacional dos Acadêmicos de Ciências, Letras e Arte, tendo recebido a comenda da Ordem do Mérito Histórico – Literário Castro Alves, por relevantes serviços prestados ao desenvolvimento da literatura Lusófona.
Autora do livro: Manual Estratégico de Comunicação Empresarial/Organizacional.

http://www.divulgaescritor.com/ ​