Casa França-Brasil realiza Mostra de Cinema e inaura o “Espaço Rio 40º”, em homenagem a Nelson Pereira dos Santos

Mostra Cinema Novo & Nouvelle Vague, em parceria com o Institut Français, Consulado da França e Escola de Cinema Darcy Ribeiro, homenageia Nelson Pereira dos Santos, sob a curadoria de Silvio Tendler e Marcia Pereira dos Santos

A inauguração do “Espaço Rio 40º” em homenagem a  Nelson Pereira dos Santos será realizada no dia 4/10 na Casa França-Brasil, equipamento da Secretaria de Estado de Cultura. O espaço destina-se a exibição e debates com estudantes de cinema e público em geral sobre o cinema brasileiro, incluindo filmes que não conseguiram ser exibidos no circuito comercial. Dois dos principais movimentos de cinema do Século XX, o Cinema Novo e a Nouvelle Vague, estarão em cartaz durante as exibições. A programação se estende pelos dias 5 e 7 de outubro.

AS INFLUÊNCIAS

Ambos os movimentos foram influenciados pelo Neo-realismo italiano que, por sua vez, influenciou-se pelo Realismo poético francês. Na Itália, após a Segunda Guerra Mundial, criava-se no cinema e na crítica cinematográfica um contraponto à estética nazifascista  evidenciando-se a celebração da liberdade e criando-se o herói popular,  a exemplo de “Roma Cidade Aberta” de Roberto Rosselini e “Ladrões de Bicicletas” de Vittorio De Cica.

 

O Neo-realismo italiano, além de Rossellini e De Cica, trouxe ao cinema pensadores como Luchino Visconti e Pier Paulo Pasolini que deram ao diretor a autonomia sobre o filme e romperam com o modelo industrial hollywoodiano que dava ao produtor o poder de decisão final sobre a obra cinematográfica.

 

Na linha do Neo-realismo italiano, tanto o Cinema Novo quanto a Nouvelle Vague surgiram como cinema autoral de militantes na imprensa, críticos de cinema que se transformaram em cineastas para colocar suas ideias na tela. Na França, os fundadores da revista “Cahiers de Cinéma” se tornaram os principais diretores da Nouvelle Vague.”Nós descobrimos o cinema vendo os clássicos, mas foi com a Nouvelle Vague e a leitura do Cahiers que começamos a fazer filmes”, resumiu a questão Cacá Diegues, numa entrevista ao próprio Cahiers (nº 225, novembro-dezembro de 1970).

 

Glauber Rocha, em seu livro “Revisão Crítica do Cinema Brasileiro” fala da inauguração do cinema de autor no Brasil: “O autor no cinema brasileiro se define em Nelson Pereira dos Santos. De certa forma, Humberto Mauro, no seu realismo poético, não busca interferir no mundo fechado da pequeno-burguesia industrial ou agrária. É neste ponto muito próximo ao italiano Mário Camerini, no pré-fascismo. Sendo mais jovem, e saindo das ideias de Alex Viany, com quem trabalhou em “O saci” (de Rodolfo Nanni, bucolismo de linha mauriana, já superado na época, 1953) e em “Agulha no palheiro”, Nelson Pereira dos Santos realizou em “Rio 40°”, o primeiro filme brasileiro verdadeiramente engajado.

O adjetivo é válido e significa uma tomada de posição corajosa, solitária e consequente. A censura investiu furiosamente: não era um filme para a burguesia, porque a burguesia só aplaude e premia filmes sociais quando eles são evasivos. “Rio 40°” era um filme popular, mas não era populista; não denunciava o povo às classes dirigentes, mas revelava o povo ao povo”.

MOSTRA CINEMA NOVO & NOUVELLE VAGUE

Curadoria: Silvio Tendler e Márcia Pereira dos Santos

Dia 4 de outubro
18h30
COMO ERA GOSTOSO MEU FRANCÊS, de Nelson Pereira dos Santos, com Arduino Colassanti e Ana Maria Magalhães Inauguração do Espaço Rio 40°

Dia 5 de outubro
16h
PIERROT LE FOU, de Jean-Luc Godard, com Jean-Paul Belmondo e Anna Karina

18h
A GRANDE CIDADE, de Cacá Diegues, com Anecy Rocha, Leonardo Villar e Antônio Pitanga.

Dia 6 de outubro
16h
OS GUARDA CHUVAS DO AMOR, de Jaques Demy.

18h
VIDAS SECAS, de Nelson Pereira dos Santos, com Átila Iório, Maria Ribeiro e Jofre Soares.

Dia 7 de outubro
16h
FRANÇOIS TRUFFAUT, UMA AUTOBIOGRAFIA, de Anne Andreu, com Wood Allen e Fanny Ardant.

18h 
GLAUBER, O FILME – LABIRINTO DO BRASIL, de Silvio Tendler

Serviço:

Entrada Franca

Local: Casa França-Brasil

EndereçoRua Visconde de Itaborai, 78 – Centro (Metrô: Estação Uruguaiana Telefone: (21) 2332-5275

Data: de 4 a 7 de outubro

Horário: sessões de 16h e de 18h

Classificação indicativa: 14 anos

Acesso para pessoas com deficiência

Parceria: Institut Français, Consulado da França e Escola de Cinema Darcy Ribeiro.