Capitão América é mesmo o vilão que todos estavam esperando ser?

Os dois últimos meses foram polêmicos para a Marvel Comics. Depois da declaração de um dos seus diretores sobre impacto nas vendas e a relação com a diversidade, um grande evento foi anunciado, deixando muitos fãs, inclusive este que vos fala (pelo menos inicialmente), de cabelo em pé. Capitão América nunca deixara de ser um soldado da Hydra. A internet explodiu em discussões e manifestações de raiva contra a editora, que começou esse mês nos Estados Unidos o arco “Secret Empire” (Império Secreto).

Steve Rogers como soldado da Hydra não era novidade, fato mostrado na segunda edição de “Captain America: Steve Rogers”, publicada ano passado. A explicação apresentada foi que seu Arqui-inimigo Caveira Vermelha tinha utilizado o Cubo Cósmico (ferramenta de grande poder) para modificar as memórias do herói americano e com isso faze-lo acreditar que sempre havia sido um soldado da Hydra infiltrado no governo americano.

Porém, logo no começo da saga, foi mostrado que na realidade o Capitão América era originalmente da Hydra, fazendo parte do time vencedor da 2ª Guerra Mundial, juntamente com os Nazistas. Os Aliados, em situação de desespero, utilizaram o Cubo Cósmico e modificaram a realidade, fazendo com que o Eixo fosse o lado derrotado e Steve Rogers se tornasse o herói americano como era conhecido até o momento. Tal fato poderia acabar com vários anos de história da editora, colocando em xeque todo o senso moral de um personagem conhecido como um defensor da liberdade e tornando-o um vilão sem alma, aliado a uma ideologia totalitária. Será mesmo?

Steve Rogers conseguiu em um movimento retirar várias peças do tabuleiro, demonstrando seu potencial estrategista, fato que nunca foi muito explorado. Durante a invasão dos Chitauri, um escudo protetor foi ativado ao redor do planeta, deixando vários heróis do lado de fora isolados, como por exemplo, a Capitã Marvel. Tudo uma estratégia calculada para fechar o acesso ao planeta. Além disso, com a ajuda de outros membros da Hydra, prendeu os heróis que lutavam em Manhattan, praticamente anulando a resistência, permitindo que a organização criminosa controlasse os Estados Unidos rapidamente. Tudo isso foi mostrado no número #0 da série.

Lançado essa semana, a edição #1 de “Secret Empire”, apresenta uma distopia na qual os Estados Unidos são um regime totalitário, depois de alguns meses (ou anos) após a edição anterior. O Capitão é o presidente do país e comanda a Hydra, considerada uma grande heroína, inclusive com argumentos de redução da violência, etc. Obviamente que tudo faz parte de uma política baseada no medo. Há um grupo de resistência em Las Vegas, formado por diversos heróis como “Os Campeões”, sendo orientados por Gavião Arqueiro e Viúva negra. A trama não deixa claro por quanto tempo eles estão lutando. Tudo que se percebe é que há uma nítida perseguição e censura do governo.

A partir desse ponto as coisas ficam mais interessantes, mostrando o que está acontecendo também na cúpula de poder da organização dominante. Alguns heróis estão presos, enquanto outros se uniram ao Capitão e se intitulam como “Vingadores”. É mostrado o dilema do próprio Rogers, pois como traiu seus amigos de longa data, é atormentado pela culpa, ao mesmo tempo em que sua lealdade à Hydra é questionada e colocada à prova. Percebe-se seu sofrimento ao ordenar certas ações, humanizando o personagem e jogando por terra alguns conceitos e teorias que tinham sido estipuladas anteriormente. Vale lembrar que mesmo ele sendo um agente duplo, passou anos lutando ao lado de companheiros como Homem de Ferro, Gavião Arqueiro e os demais Vingadores.

O roteiro de Nick Spencer (Morning Glories, Capitão America: Steve Rogers) e a arte de Steve McNiven (Guerra Civil, O Velho Logan) fazem dessa edição uma das mais bem escritas nos últimos meses. Spencer cria diálogos interessantes e trabalha bem a trama, apresentando um Capitão América humano, com dilemas existenciais que poderão culminar em algo maior futuramente, tanto para o bem quanto para o mal. Porém não era o que todos estavam esperando, um herói que se tornou um vilão da noite para o dia. Inclusive isso já estava sendo trabalhado nas edições mensais de sua própria revista. Tomara que a saga continue com essa qualidade, mostrando que nem tudo era apenas uma jogada de marketing da editora.

 

Ficha Técnica

Título: Império Secreto (Não oficial)
Título Original: Secret Empire #0, #1. (Edições lançadas até o momento).
Escritor(es): Nick Spencer
Desenhistas: Daniel Acuna (#0), Steve McNiven (#1)

Patrick “Rick” Ribeiro – Arquivista nas horas vagas. Viciado em Games, Cinema, Séries de TV e Livros. Escreve sobre games aqui pois acha que são a maior sopa cultural de todas.