Caixa Cultural Rio exibe retrospectiva do ícone do cinema francês Jacques Demy

Além de 15 filmes, programação da mostra conta com palestras e contação de histórias para crianças

Pele de Asno
Pele de Asno

A CAIXA Cultural Rio de Janeiro recebe, de 10 a 22 de outubro de 2017 (terça-feira a domingo), a mostra de cinema Jacques Demy: entre o realismo e a fantasia, que abrange um amplo painel da carreira do cineasta francês,  associada à música marcante de compositores como Michel Legrand e ao talento de estrelas como Catherine Deneuve, Anouk Aimée, Marcello Mastroianni e Gene Kelly. Serão apresentados 11 filmes do cineasta, cinco dos quais serão projetados em sua bitola original 35 mm e três ainda inéditos no Brasil, além de quatro produções relacionadas ou influenciadas por seu trabalho.

Na seleção, o curador Sylvio Gonçalves incluiu obras bastante conhecidas, como Os Guarda-Chuvas do Amor (1964), estrelado por Catherine Deneuve e vencedor da Palma de Ouro de Cannes. Outras duas produções com Deneuve ganharão exibição: o musical Duas Garotas Românticas (1967) e a fábula Pele de Asno (1970).

O público carioca também terá a oportunidade de conferir longas do início da carreira de Demy, como Lola, a Flor Proibida (1961) e A Baía dos Anjos (1963), que, ainda que estivessem inseridas no célebre movimento da Nouvelle Vague, acabaram sendo pouco conhecidas por aqui. O mesmo ocorre com títulos como Um Quarto na Cidade (1982), Parking (1985) e Trois Place Pour Le 26 (1986), que, por conta do declínio da distribuição de filmes europeus a partir dos anos 1980, permanecem inéditos nos cinemas brasileiros.

Agnès Varda, viúva de Demy e cineasta igualmente influente, participa da temporada com os documentários Les Demoiselles ont eu 25 ans (1993), O Universo de Jacques Demy (1995) e o drama Jacquot de Nantes (1991), inspirado na infância do homenageado. Destaca-se, por fim, a presença do aclamado musical La La Land – Cantando Estações (2016), amplamente influenciado por Demy.

O mergulho na trajetória do diretor francês será complementado por palestras e debates acerca de diferentes aspectos de sua obra, bem como por uma série de sessões comentadas, com a presença de cineastas, críticos e acadêmicos. Já os pequenos poderão participar de uma sessão de contação de histórias no Dia das Crianças (12 de outubro), logo após o filme infantil Pele de Asno (1970), às 15h.

Ao longo de toda a temporada, um catálogo com textos inéditos será distribuído gratuitamente. Em paralelo à programação na CAIXA Cultural Rio de Janeiro, a mostra inclui exibições gratuitas no Cinemaison, cineclube do Consulado da França no Rio, no dia 16 de outubro (segunda-feira). O projeto tem patrocínio da Caixa Econômica Federal e do Governo Federal.

O cineasta:
A obra de Jacques Demy (1931-1990) é de suma importância no cinema francês por ter estabelecido uma ponte entre o realismo de seus contemporâneos e o cinema fantástico de pioneiros como Jean Cocteau (A Bela e a Fera, 1946). Inicialmente identificado como membro do movimento da Nouvelle Vague, Demy, a exemplo de François Truffaut (Jules e Jim – Uma Mulher Para Dois, 1962), criou ao longo de sua carreira um universo pessoal, baseado em suas experiências de juventude, no qual podemos encontrar personagens recorrentes, como a cantora de cabaré Lola. Em 1964, Demy inaugurou um estilo próprio de cinema cantado, espécie de ópera moderna, que retirou o gênero musical do domínio do cinema hollywoodiano e da língua inglesa.

Os Guarda-Chuvas do Amor (1964) conquistou o mundo com sua história melancólica inteiramente cantada em francês ao som das belas melodias de Michel Legrand. Lançados respectivamente em 1967 e 1970, Duas Garotas Românticas e Pele de Asno embeveceram os fãs de musicais justamente no período em que Hollywood amargava fracassos no gênero. Numa vertente paralela, Demy investiu no cinema fantástico, revisitando os contos de fadas em filmes como A Lenda da Flauta Mágica (1972) e a mitologia grega, como em Parking (1985). É a essa transição serena entre realismo e fantasia que faz referência o subtítulo da retrospectiva. Atualmente, Jacques Demy é tido como influência de realizadores como François Ozon e Damien Chazelle.

Programação:

10 de outubro (terça-feira)

19h – Os Guarda-Chuvas do Amor (1964), de Jacques Demy, França, 91 min, 35mm, 12 anos

11 de outubro (quarta-feira)

16h – A Lenda da Flauta Mágica (1972), de Jacques Demy, Inglaterra, 86 min, Digital, Livre

18h – Lola, a Flor Proibida (1960), de Jacques Demy, França, 90 min, 35 mm, 14 anos + Palestra Introdução ao cinema de Jacques Demy, com João Luiz Vieira *sessão gratuita

12 de outubro (quinta-feira)

14h – A Baía dos Anjos (1963), de Jacques Demy, França, 90 min, 35mm, 14 anos

15h – Pele de Asno (1970), de Jacques Demy, França, 91 min, Digital, Livre + Contação de histórias *sessão gratuita

18h –Jacquot de Nantes (1991), de Agnès Varda, França, 118 min, 35mm, Livre 

13 de outubro (sexta-feira)

16h –  Les Demoiselles ont eu 25 Ans (1993), de Agnès Varda, França, 1993, 64 min, Digital, 10 anos

17h30 – Sessão comentada Duas Garotas Românticas (1967), de Jacques Demy, França,125 min, 35mm, 10 anos, com a presença do curador da mostra Sylvio Gonçalves *sessão gratuita

14 de outubro (sábado)

14h – Pele de Asno (1970), de Jacques Demy, França, 91 min, Digital, Livre

16h – Lola, a Flor Proibida (1960), de Jacques Demy, França, 90 min, 35 mm, 14 anos

18h – Um Quarto Na Cidade (1982), de Jacques Demy, 90 min, Digital, 14 anos

15 de outubro (domingo)

15h – Um homem em estado…Interessante (1973), de Jacques Demy, Itália, 92 min, Digital, 14 anos

17h – Duas Garotas Românticas (1967), de Jacques Demy, França, 125 min, 35mm, 10 anos

16 de outubro (segunda-feira)

*Excepcionalmente a programação acontecerá no Cine Maison – Avenida Presidente Antônio Carlos, 58 – Centro

18h – Sessão comentada Os Guarda-Chuvas do Amor (1964), de Jacques Demy, França, 91 min, 35mm, 12 anos, com presença do curador da mostra Sylvio Gonçalves e do crítico Leonardo Luiz Ferreira

20h30 – Pele de Asno (1970), de Jacques Demy, França, 91 min, Digital, Livre

17 de outubro (terça-feira)

16 h – O Segredo Íntimo de Lola (1969), de Jacques Demy, EUA, 97 min, Digital, 14 anos

18h – A Baía dos Anjos (1963), de Jacques Demy, França, 90 min, 35mm, 14 anos + Palestra A música no cinema de Jacques Demy, com Ricardo Leão

18 de outubro (quarta-feira)

15h – Duas Garotas Românticas (1967), de Jacques Demy, França, 125 min, 35mm, 10 anos

17h30 – La La Land – Cantando Estações (2016), de Damien Chazelle, EUA, 124 min, Digital, Livre + Palestra A influência de Jacques Demy no cinema contemporâneo, com o crítico de cinema Mario Abbade.

19 de outubro (quinta-feira)

16h – Os Guarda-Chuvas do Amor (1964), de Jacques Demy, França, 91 min, 35mm, 12 anos

18h – O Universo de Jacques Demy (1964), de Agnès Varda, França, 91 min, 35 mm, 14  anos + Debate Jacques Demy: Entre o realismo e a fantasia, com Sylvio Gonçalves, Leonardo Luiz Ferreira e Moisés Liporage

20 de outubro (sexta-feira)

16h30 – Lola, a Flor Proibida (1960), de Jacques Demy, França, 90 min, 35 mm, 14 anos

18h30 – Jacquot de Nantes (1991), de Agnès Varda, França, 118 min, 35mm, Livre    

21 de outubro (sábado)

14h – O Segredo Íntimo de Lola (1969), de Jacques Demy, EUA, 97 min, Digital, 14 anos

16h – A Baía dos Anjos (1963), de Jacques Demy, França, 90 min, 35mm, 14 anos

18h – Parking (1985), de Jacques Demy, França, 95 min, Digital, 14 anos

22 de outubro  (domingo)

14h – Pele de Asno (1970), de Jacques Demy, França, 91 min, Digital, Livre 16h – Jacquot de Nantes (1991), de Agnès Varda, França, 118 min, 35mm, Livre 

18h – Trois Places Por Le 26 (1986), de Jacques Demy,106 min, Digital, 10 anos

Serviço:

Jacques Demy: entre o realismo e a fantasia

Local: CAIXA Cultural Rio de Janeiro

Endereço: Av. Almirante Barroso, 25 – Centro (Metrô e VLT: Estação Carioca)

Telefone: (21) 3980-3815

Data: de 10 a 22 de outubro de 2017 (terça a domingo)

Horários: Consultar programação

Ingressos: R$ 4,00 (inteira) e R$ 2,00 (meia). Além dos casos previstos em lei, clientes CAIXA pagam meia

Lotação: Cinema 1 – 78 lugares (mais três para cadeirantes) / Cinema 2 – 80 lugares (mais dois para cadeirantes)

Acesso para pessoas com deficiência

Classificação indicativa: Consultar programação

Patrocínio: Caixa Econômica Federal e Governo Federal