21.8 C
Rio de Janeiro
setembro 24, 2018
  • Home
  • Cinema
  • Caixa Cultural Rio apresenta mostra inédita de filmes da América Central
Cinema

Caixa Cultural Rio apresenta mostra inédita de filmes da América Central

Abrázame como Antes
Abrázame como Antes

A CAIXA Cultural Rio de Janeiro recebe, de 14 a 26 de agosto de 2018 (terça-feira a domingo), a mostra Cinema Centroamérica, que apresenta um panorama da produção recente dos países da América Central Continental. Serão exibidos 20 filmes, quase todos inéditos, selecionados pela curadora brasileira-hondurenha Laura Bermúdez, entre curtas, médias e longas-metragens de ficção e documentário. São produções de Belice, Costa Rica, El Salvador, Guatemala, Honduras, Nicarágua e Panamá.

Temos pouco contato com a cultura e, especialmente, com o cinema dos países da América Central. Produzir filmes naquela parte do continente é um desafio para cineastas e produtores, pois poucos países contam com escolas de cinema e financiamento governamental. Mas, apesar de todas as dificuldades, o audiovisual centroamericano vive um ótimo momento, com destaque para os documentários. Nos últimos anos, houve um crescimento no número e na qualidade das produções. O resultado pode ser visto na participação em importantes festivais internacionais como Berlim, Rotterdam, Havana e Visions Du Reel.

“A Centroamérica é uma região quase invisível dentro do nosso próprio continente americano. Às vezes, parece que é um pedaço de terra incorpórea e imaginária, flutuando no vazio entre o sul e o norte. Mas a realidade é que nosso pequeno istmo permanece em constante estado de convulsão. Na atmosfera da América Central, foram respiradas guerras, ditaduras, golpes de estado e desastres naturais. O cenário está tingido de vermelho com o atual período do pós-guerra, as gangues, o drama dos migrantes, o tráfico de drogas, a extrema violência e a total inconsciência da ideologia de gênero. A tudo isso, somamos a corrupção assustadora e a absoluta impunidade que caracteriza nossos sistemas políticos. Com essa seleção de filmes, nos afastamos completamente do exótico e nos aproximamos da única coisa que realmente une a Centroamérica ao Brasil: nossas histórias humanas”, comenta a curadora Laura Bermúdez.

Entre os destaques da mostra estão os documentários La Parka(2013), curta-metragem de Gabriel Serra, primeiro filme indicado pela Nicarágua a concorrer ao Oscar; o premiado curta Berta Vive (2016), de Katia Lara, sobre a vida de Berta Cáceres, indígena que se tornou, após seu assassinato, um ícone da luta e da resistência em Honduras; A Felicidade do Som(2016), de Ana Andara, vencedor do doctv Panamá e que estreou no Festival Internacional de Documentário de Amsterdã (IDFA), na Holanda, apresentando uma viagem através de nossos sentidos com incríveis personagens que mostram um outro lado do Panamá; e Os ofendidos(2016), Menção Especial do Júri Latitude DocsBarcelona e principal obra de Marcela Zamora, que explora a relação entre memória e a busca pela verdade sobre a guerra e a tortura em El Salvador. E, ainda, os longas-metragens de ficção Distancia(2012), premiado filme de estreia de Sergio Ramírez, que conta a história verdadeira do reencontro de um pai com uma filha que foi capturada pelo exército 20 anos depois da guerra civil na Guatemala; e o também premiado Medea(2017), de Alexandra Latishev, um dos filmes mais recentes da Costa Rica, que nos convida a refletir sobre a relação das mulheres com seus corpos.

Atividades extras
A mostra promoverá, no dia 18 de agosto (sábado), às 14h, a masterclass Um olhar para o cinema da América Central, sobre a produção cinematográfica e os principais festivais na América Central com a cineasta (diretora do filme Negra Soy) e curadora da mostra Laura Bermúdez. A masterclass tem entrada franca, com senhas distribuídas a partir das 13h.

E no dia 21 de agosto (terça-feira), às 16h30, haverá uma sessão especial dos filmes La Parka (2013) e La Felicidade del Sonido (2016), seguida do debate A Imagem Centro-americana do Século XXI, com a Prof. Maria Celina Ibazeta, da PUC Rio, e a curadora Laura Bermúdez, com mediação de Célia Freitas, montadora e idealizadora da mostra, com entrada franca.

Outras informações sobre a mostra podem ser acessadas no endereço www.facebook.com/pg/khoraproducao.

A CAIXA investiu mais de R$ 385 milhões em cultura nos últimos cinco anos. Em 2018, nas unidades da CAIXA Cultural em Brasília, Curitiba, Fortaleza, Recife, Rio de Janeiro, Salvador e São Paulo, está prevista a realização de 244 projetos de Artes Visuais, Cinema, Dança, Música, Teatro e Vivências.

Programação:

14 de agosto(terça)
17h – La Felicidad del Sonido(2016), de Ana Andara, Panamá, 60 min, Livre

19h –Distancia(2012), de Sergio Ramírez, Guatemala, 84 min, 18 anos

15 de agosto (quarta)

17h – Berta Vive (2016), de Katia Lara, Honduras, 2016, 30 min + La Leona(2017), de Jessica Guifarro, Honduras, 14 min, Livre + Merlo(2016), de Samantha Hernández, Honduras, 12 min + Negra soy(2017), de Laura Bermúdez, Honduras, 12 min – 14 anos

19h – Olancho(2017), de Chris Valdes e Ted Griswold, Honduras, 72 min, 18 anos + Irene(2013), de Alexandra Latishev, Costa Rica, 28 min, 16 anos

16 de agosto (quinta)

17h – Ergonomía para Diana(2012), de Marcos Machado, Costa Rica, 52 min, Livre

19h – Abrázame como antes(2016), de Jurgen Ureña, Costa Rica, 63 min, 16 anos

17 de agosto (sexta)

17h – La yuma(2009), deFlorence Jaugey, Nicarágua, 90 min, 16 anos

19h –Marimbas del infierno (2010), de Julio Hernández, Guatemala/México/França,74 min, 18 anos

18 de agosto (sábado)

14h – MasterclassUm olhar para o cinema da América Central,com Laura Bermúdez

17h – Medea(2017), de Alexandra Latishev, Costa Rica, 78 min, 16 anos

19h – Los Ofendidos(2016), de Marcela Zamora, El Salvador, 85 min, 16 anos

19 de agosto (domingo)

15h – Los tres reyes de Belice(2007), de Katia Paradis, Belice/Canadá, 88 min, Livre

17h – Historias del canal(2014), de Pituka Ortega-Heilbron, Abner Benaim, Carolina Borrero, Luis Franco Brantley, Pinky Mon, Panamá, 106 min, 16 anos

19h – Lubaraun(2014), de Martha Clarissa Hernández, Nicaragua, 65 min, 14 anos.

21 de agosto(terça)

16h – El cuarto de los Huesos(2015), de Marcela Zamora, El Salvador, 52 min, 16 anos

17h30 – La Parka (2013), de Gabriel Serra, Nicarágua, 29 min, 12 anos + La Felicidad del Sonido(2016), de Ana Andara, Panamá, 60 min, Livre + Debate A Imagem Centroamericana do Século XXI,com a Prof. Maria Celina Ibazeta, da PUC Rio, Laura Bermúdez, curadora e cineasta e mediação de Célia Freitas, montadora e idealizadora da mostra

22 de agosto (quarta)

17h – Distancia(2012), de Sergio Ramírez, Guatemala, 84 min, 18 anos

19h – Ergonomía para Diana(2012), de Marcos Machado, Costa Rica, 52 min, Livre

23 de agosto (quinta)

17h – Los Ofendidos(2016), de Marcela Zamora, El Salvador, 85 min, 16 anos

19h – Medea(2017), de Alexandra Latishev, Costa Rica, 78 min, 16 anos

24 de agosto (sexta)

17h – Lubaraun(2014), de Martha Clarissa Hernández, Nicarágua, 65 min, 14 anos

19h- Los tres reyes de Belice(2007), de Katia Paradis, Belice/Canadá, 88 min, livre

25 de agosto (sábado)

15h – Abrázame como antes(2016), de Jurgen Ureña, Costa Rica, 63 min, 16 anos

17h – La yuma(2009), deFlorence Jaugey, Nicarágua, 90 min, 16 anos

19h –Historias del canal(2014), de Pituka Ortega-Heilbron, Abner Benaim, Carolina Borrero, Luis Franco Brantley, Pinky Mon, Panamá, 106 min, 16 anos

26 de agosto (domingo)

15h – Berta Vive (2016), de Katia Lara, Honduras, 2016, 30 min + La Leona(2017), de Jessica Guifarro, Honduras, 14 min, Livre + Merlo(2016), de Samantha Hernández, Honduras, 12 min + Negra soy(2017), de Laura Bermúdez, Honduras, 12 min – 14 anos

17h – Olancho(2017), de Chris Valdes e Ted Griswold, Honduras, 72 min, 18 anos

19h – Ixcanul(2015), de Jayro Bustamante, Guatemala/França, 93 min, 14 anos

Serviço:

Mostra Cinema Centroamérica

Local: CAIXA Cultural Rio de Janeiro – Cinema 1 (Endereço: Av. Almirante Barroso, 25, Centro – Metrô e VLT: Estação Carioca)

Data:de 14 a 26 de agosto de 2018 (terça-feira a domingo)

Horários:Consultar programação

Informações:(21) 3980-3815

Ingressos: R$ 6,00 (inteira) e R$ 3,00 (meia). Além dos casos previstos em lei, clientes CAIXA pagam meia.

Bilheteria:terça-feira a domingo, das 13h às 20h

Duração: consultar programação

Classificação Indicativa:Consultar programação

Capacidade:78 lugares (mais 3 para cadeirantes)

Realização: Khora Produção e Comunicação

Acesso para pessoas com deficiência

Patrocínio:CAIXA e Governo Federal

Posts relacionados

A festa do cinema vai começar

Redação

Missão: Impossível – Efeito Fallout | Assista ao filme nas salas especiais da Rede UCI

Alyson Fonseca

Lázaro Ramos, Zezé Motta e Ailton Graça em ‘M8’, novo filme de Jeferson De

Redação

Deixe um comentário