20.5 C
New York
junho 26, 2019
Música

CaetanoMorenoZecaTomVeloso no Vivo Rio

foto: Hercules Rakauskas
foto: Hercules Rakauskas

Há muito tempo tenho vontade de fazer música junto a meus filhos publicamente. Desde a infância de cada um deles gosto de ficar perto. Cada um é um. Sempre cantei para eles dormirem. Moreno e Zeca gostavam. Tom me pedia pra parar de cantar. Indo por caminhos diferentes, todos se aproximaram da música a partir de um momento da vida. Moreno, que nasceu vinte anos antes de Zeca, formou-se em física. Tom, que nasceu cinco anos depois de Zeca, só gostava de futebol. Moreno e Tom já se profissionalizaram como músicos. Zeca, depois de passar parte da adolescência experimentando com música eletrônica, começou a compor solitariamente. Quero cantar com eles pelo que isso representa de celebração e alegria, sem dar importância ao sentido social da herança. É algo além até mesmo do “nepotismo do bem”, na expressão criada por Nelson Motta.

Faz uns anos, fiz, atendendo a um convite específico, um show com Moreno, que foi uma das melhores coisas que já aconteceram na minha vida. No show que faremos agora, voltaremos a certas canções impossíveis de serem descartadas, como “Um canto de afoxé para o bloco do Ilê” ou “Sertão”. Moreno tem uma linha criativa extremamente refinada. Os trabalhos com o grupo +2 são uma marca profunda e duradoura da sua geração. Seu disco individual é um dos mais belos exemplos de delicadeza da história da canção brasileira.

Logo depois comecei a fazer o trabalho com a Banda Cê. E Recanto pra Gal. Moreno esteve em todos esses projetos como produtor, trazendo sua sabedoria. No meio tempo, Zeca e Tom foram crescendo. Tom, no começo, nem ligava pra música. Hoje faz parte da banda Dônica e é, de nós quatro, o mais naturalmente dotado para as relações entre as alturas, os tempos e todos os signos musicais. Zeca, que sempre adorou música, justo quando achava que não havia para si mesmo um caminho nessa atividade, compôs um grupo de canções comoventes. Ao ouvir uma delas, Djavan exigiu que ele a mostrasse em público. Ele resistiu mas nesse show finalmente obedecerá a Djavan. Tom, em sua relação de discípulo com Cézar Mendes, desenvolveu uma capacidade de execução notável. E logo já começava a compor com seu mestre. Entrei como letrista numa dessas canções que ele fez com Cézar. E agora, na preparação desse novo show, fiz letra para uma música só sua. 

Assim, no show apresentaremos algumas dessas coisas que cresceram em nós, de nós. E canções minhas escolhidas por eles. “O Leãozinho”, que os filhos de tanta gente pedem, os meus não deixaram de pedir. E coisas como “Reconvexo” têm de estar ali confirmando a linhagem. Há clássicos de Moreno e canções novas de todos (inclusive minhas). Nas primeiras conversas, imaginamos chamar um pequeno grupo de músicos para enriquecerem os arranjos. Mas, ensaiando, decidimos ficar só os quatro no palco. O som será mais para o acústico e muito singelo. Eu sou o único que só toca violão. Os outros podem se revezar em alguns instrumentos. É um show familiar, nascido da minha vontade de ser feliz. Ter filhos foi a coisa mais importante da minha vida adulta. O que aprendi com o nascimento de Moreno – e se confirmou com as chegadas de Zeca e Tom – não tem nome e não tem preço. Mas nosso show também tem a responsabilidade de apresentar números com qualidade profissional. Creio que não somos uma família de músicos, como há tantas, dado o caráter comprovadamente genético do talento musical, mas seguramente somos músicos de família. Os shows são dedicados às mães deles, a Cézar Mendes e à memória de minha mãe.

Caetano Veloso.

Data: 25 e 26 de Maio

Local: Vivo Rio
Endereço: Av. Infante Dom Henrique, 85 – Parque do Flamengo, Rio de Janeiro, RJ 
Horário do evento: Sábado, 25 de Maio, 21h / Domingo, 26 de Maio, 20h 

Abertura dos portões: Duas horas antes do show.
Classificação etária: 18 anos. Menores de 18 anos entram acompanhados dos pais/responsável.
Atenção: para setores com mesa, a compra de um ingresso garante um assento na mesa selecionada, mas não em uma cadeira específica. Os assentos são ocupados por ordem de chegada. 

Valores:

Camarote A R$ 300,00
Camarote B R$ 280,00
Camarote C R$ 200,00
Frisa R$ 160,00
Setor 1 R$ 300,00
Setor 2 R$ 260,00
Setor 3 R$ 240,00
Setor 4 R$ 200,00
Setor 5 R$ 160,00

Vendas online em vivorio.com.br.

BILHETERIA OFICIAL – SEM COBRANÇA DE TAXA DE CONVENIÊNCIA

Vivo Rio
Av. Infante Dom Henrique, 85 – Parque do Flamengo, Rio de Janeiro, RJ
Terça a sexta-feira 11h às 18h
Sábados e domingos das 15h às 18h 
Venda e retirada de ingressos dos eventos do Vivo Rio.

MEIA-ENTRADA E INGRESSOS PROMOCIONAIS

Confira aqui as leis de meia-entrada, identificando quem tem direito ao benefício e os documentos comprobatórios.
25% de desconto sobre o valor da inteira para clientes Vivo Valoriza na compra de até 02 ingressos. Para comprovar seu cadastro no programa, basta enviar um SMS para o número 1058 com a palavra VALORIZA. Para clientes Vivo Fixo, Vivo Internet e Vivo TV, basta apresentar a última conta paga. Disponível apenas para compra na bilheteria do Vivo Rio. 

Posts relacionados

“O Samba é bom de qualquer jeito” com Arlindinho, Jorge Aragão e Suel no Renascença Clube

Redação

Encanto de Natal acontece dia 16 de dezembro na Catedral Metropolitana, no Centro

Redação

Rio Na Rua em dose dupla na praça do Ó

Redação

Feijoada da Família Portelense receberá Mariene de Castro e Marquinhos Diniz neste sábado

Redação

Erasmo Carlos no Blue Note Rio

Redação

Violonista Arthur Endo lança CD na Cidade das Artes

Redação

Deixe um comentário