Biblioteca Estação Leitura, na estação Central do MetrôRio, recebe escritor Marcelo Moutinho

O escritor Marcelo Moutinho é o convidado da 14ª edição do Encontro com Territórios, na Biblioteca Estação Leitura, localizada na estação Central do MetrôRio. O encontro, que acontece no dia 22 de março, das 19h30 às 21h, terá como tema o livro “Ferrugem”, cujo assunto é a paisagem humana, os grandes dramas corriqueiros, a vida que passa. 

 

A abertura do evento conta com a presença da consagrada atriz Beth Goulart, que fará uma leitura do livro ” A hora da estrela”, de Clarice Lispector. A autora serviu de inspiração para Beth atuar, interpretar e dirigir a peça “Simplesmente Eu, Clarice Lispector”, espetáculo premiado nos anos 2009 e 2010. Dez exemplares do livro serão sorteados para o público.

 

Após essa apresentação, acontecerá um bate-papo com  Marcelo Moutinho, comandado pelo jornalista e poeta Claufe Rodrigues. O escritor vai autografar 80 exemplares, que serão distribuídos gratuitamente aos participantes do encontro e aos leitores da biblioteca. O livro “Ferrugem”, que ano passado conquistou o Prêmio Clarice Lispector, da Biblioteca Nacional, é marcado por personagens ímpares, insuspeitas, inesquecíveis, ainda que aparentemente comuns, como, por exemplo,  a moça soropositiva, a caixa de supermercado, que reencontra o antigo namorado e a cobradora de ônibus que dá conselhos amorosos a um passageiro.

 

“O livro reúne histórias protagonizadas por personagens que vivem no universo da baixa classe média. Cobradoras de ônibus, caixas de supermercados, um cover do Roberto Carlos… Como ponto em comum entre os 13 contos, há o tema da corrosão, já sugerido no título “Ferrugem”. A corrosão que o tempo causa nas relações afetivas, em nossos desejos, sonhos, apetites”, explica Moutinho.

 

Para comemorar o mês das mulheres, o tradicional Troca-troca de livros será realizado especialmente com livros de temas e autoras femininas.

 

A biblioteca Estação Leitura completou quatro anos de funcionamento em fevereiro de 2018, com atendimento diário ao público e resultados significativos. De fevereiro de 2014 a fevereiro de 2018, foram catalogados 4.302 livros, cadastrados 5.231 leitores, emprestados 26.703 livros e realizadas 9.168 renovações em mais de 75 mil atendimentos, além de 105 eventos literários. A Estação Leitura é uma biblioteca popular, localizada na estação Central do MetrôRio, sendo a estação mais movimentada do sistema, que tem integração com a rede ferroviária da cidade, sendo assim, o projeto atende a um público variado, moradores do Rio de Janeiro e municípios vizinhos, tais como Duque de Caxias, Belford Roxo, Queimados, Nova Iguaçu, Nilópolis. A faixa etária de leitores é entre 18 e 90 anos (e ainda pais que pegam livros infantis/juvenis para seus filhos), homens e mulheres com as mais diversas atividades profissionais: diaristas, aposentados, vendedores, jornalistas, fisioterapeutas, estudantes, professores, médicos, escritores, entre outros.

 

A Estação Leitura incentiva a cultura através do acesso gratuito a livros, aos talk-shows e às atividades literárias. Tem o patrocínio da Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro, Secretaria Municipal de Cultura e do MetrôRio, por meio da Lei Municipal de Incentivo à Cultura – Lei do ISS, conta com apoio do Instituto Invepar e a realização da Oldemburg Marketing Cultural. O atendimento é gratuito ao público e realizado às segundas e sextas-feiras, das 8h às 14h e às terças e quintas, das 14h às 20h com os serviços de cadastro, devolução e empréstimo de livros por até sete dias. A biblioteca dispõe de catálogo digital do  acervo na página oficial do projeto (Facebook –www.facebook.com/estacaoleiturametrocentral) e catálogo de consulta por título, autor e assunto/gênero, na própria biblioteca.

  

Marcelo Moutinho

Escritor e jornalista, Marcelo Moutinho nasceu em Madureira, subúrbio do Rio de Janeiro, em 1972. É autor dos livros Ferrugem (Record, 2017), Na dobra do dia (Rocco, 2015), A palavra ausente (Rocco, 2011), Somos todos iguais nesta noite (Rocco, 2006), Memória dos barcos (7Letras, 2001), além do infantil A menina que perdeu as cores (Pallas, 2013). 

 

Moutinho também organizou as antologias Conversas de botequim – 20 contos inspirados em canções de Noel Rosa (com Henrique Rodrigues, Mórula, 2017), O meu lugar (com Luiz Antonio Simas, Mórula, 2015), Dicionário Amoroso da Língua Portuguesa (Casa da Palavra, 2009), Contos sobre tela (Pinakotheke, 2005) e Prosas cariocas – Uma nova cartografia do Rio (com Flávio Izhaki, Casa da Palavra, 2004), das quais é co-autor, a seleta de ensaios Canções do Rio – A cidade em letra e música (Casa da Palavra, 2010), e o livro Bravo! Especial Literatura e Futebol (Abril, 2010).

 

Participou  das antologias The Book of Rio: a City in Short Stories (Comma Press, Inglaterra, 2014), Je suis toujours favela (Anacaona, França, 2014), Vou te contar – 20 histórias ao som de Tom Jobim (Rocco, 2014), Der Schwarze Sohn Gottes: 16 Fussballgeschichten aus Brasilien (Assoziation A, Alemanha, 2013), O Livro Branco – 19 contos inspirados em músicas dos Beatles + bônus track(Record, 2012), Escritores escritos (Flanêur, 2010), Como se não houvesse amanhã – 20 contos inspirados em músicas da Legião Urbana (Record, 2010), Dez cariocas (Ferreyra Editor, Argentina, 2009) e 35 segredos para não se chegar a lugar nenhum (Bertrand Brasil, 2008).

 

Foi curador da mostra de cinema Os melhores filmes do ano, em 2006, 2007 e 2008, no Centro Cultural do Banco do Brasil (CCBB), do ciclo Geração 00 – A nova prosa carioca, no Sesc-Rio (2004), dos Encontros no subsolo, da Livraria Leonardo da Vinci, e dos debates da campanha Paixão de Ler 2009, realizado pela Secretaria de Cultura do Rio de Janeiro. 

 

Participou, como escritor e/ou mediador do Café Literário, da XI Quinzena de Literatura do Centro Cultural Banco do Brasil (2015), de duas edições da Flupp Pensa (2014 e 2015), de quatro edições (2007, 2009, 2011 e 2017) da Bienal do Livro do Rio de Janeiro, da Flip 2009 e da Flipelô 2017, entre outros eventos. Como mediador, atuou também na Balada Literária (São Paulo, 2009), nos ciclos Brasil, futebol e livros (CCBB/RJ, 2010) e Toca livros (Caixa Cultural/RJ, 2011) e nos Encontros de Interrogação, do Itaú Cultural (São Paulo, 2011). Foi jurado de concursos como o Prêmio Sesc, o Prêmio da Biblioteca Nacional e o recém-criado Prêmio Rio de Janeiro do Jovem Autor Fluminense.

Além disso, trabalhou por três anos como curador dos Encontros Literários e da campanha Paixão de Ler, eventos promovidos pela Secretaria de Cultura do Rio de Janeiro. Integra o elenco do Pindorama Futebol e Literatura, a seleção brasileira de escritores. Escreveu matérias, artigos e resenhas para a revista Bravo! e o suplemento literário Ideias (Jornal do Brasil) e hoje colabora com caderno Prosa e Verso (O Globo).

 

 Beth Goulart

Beth Goulart (foto: Fabian)
Beth Goulart (foto: Fabian)

Atua e dirige diversas peças de teatro desde 1974, quando foi indicada como atriz revelação ao Prêmio APCA por “Os efeitos do Raio Gama nas Margaridas do Campo” de Paul Zindel e direção de Antonio Abujamra. Como melhor atriz, ganhou o prêmio Shell – Rio 2000 por “Decadência” de Steven Berkoff, oPrêmio Qualidade Brasil 2000 por “Somos Irmãs” de Sandra Louzada, direção de Ney Matogrosso e Cininha de Paula e Prêmio UNESCO 2003 pelo monólogo “Dorotéia Minha” de sua própria autoria e direção. Além disso, foi indicada para vários outros como “O Jardim das Cerejeiras” de Anton Tchekhov, “Lucrécia: O Veneno dos Bórgias”, “Cabarét”, “Eletra com Creta” e Tristão e Isolda”. Em 2002 integrou os elencos de “O Evangelho Segundo Jesus Cristo”, “Os Sete Afluentes do Rio Ota” e “Quartett”, de Heiner Muller. Participou de 24 novelas da TV Globo, de dez filmes de longa-metragem (“Joelma, 23 Andar”, “Mistério no Colégio Brasil”, “Pagu”, “Carlota Joaquina”, “Dois Córregos”, “A Hora Marcada”, “Amores Possíveis”, “Bens Confiscados”, “A Casa da Mãe Joana” e “A Canção de Baal”). Como cantora, já fez vários shows e gravou três discos. Atualmente está em cartaz com a peça “Simplesmente Eu, Clarice Lispector” onde atua, interpreta e dirige. Com a peça, Bethganhou cinco prêmios de melhor atriz nos anos de 2009 / 2010 são eles: Shell; APTR; Revista Contigo; Qualidade Brasil como atriz e melhor espetáculo).

 

 

SERVIÇO:

Encontro com Territórios: “Ferrugem”

Local:  Biblioteca Estação Leitura, na Estação Central do MetrôRio

Data: 22 de março

Horário: 19h30

Evento gratuito

 

Para recebimento do livro, serão distribuídas 80 senhas, que devem ser retiradas duas semanas antes do evento, na biblioteca Estação Leitura, localizada na estação Central do MetrôRio. No dia do evento, basta apresentar a senha no mesmo local para receber o livro e participar da sessão de autógrafos.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.