28.7 C
New York
julho 22, 2019
Música

Armandinho se apresenta na Fundição Progresso

Atento às questões ambientais, artista encomendou ao cenógrafo Edson Lira um painel com tramas feitas com 300 garrafas pet, envolvendo artesãos e catadores
Atento às questões ambientais, artista encomendou ao cenógrafo Edson Lira um painel com tramas feitas com 300 garrafas pet, envolvendo artesãos e catadores

Após shows lotados na Austrália e Nova Zelândia ele se prepara para turnê na Europa e álbum de inéditas

Nascido e criado em Porto Alegre, no Rio Grande do Sul, Armandinho tem uma relação íntima com o Rio de Janeiro, lugar que lhe dá boa parte da inspiração para compor suas músicas. E por falar em inspiração, 2019 marca um momento de grandes novidades na sua carreira, com turnês internacionais lotadas e a preparação de um álbum com inéditas. Após dois anos longe do Rio, Armandinho fará uma parada estratégica na Cidade Maravilhosa, depois de esgotar shows pela Austrália e Nova Zelândia, para celebrar a boa fase, antes de partir para uma nova turnê pela Europa.

No próximo dia 15 de junho, ele sobe ao palco da Fundição Progresso reunindo seus maiores hits, como “Desenho de Deus”, “Rosa Norte”, “Semente” e “Folha de Bananeira”. O show trará também, como em toda sua carreira, mensagens de amor e proteção ao meio ambiente. O artista encomendou ao renomado cenógrafo Edson Lira um painel com tramas feitas com 300 garrafas pet, trabalho que envolveu artesãos e catadores brasileiros. O show conta com a abertura da banda mineira Onze:20.

Armadinho é um apaixonado por música desde sempre. Com 12 anos compôs sua primeira canção, que estouraria nas rádios anos depois, “Sexo na Caranga”. “Nem sonhava em ter uma caranga, muito menos sabia o que era sexo, mas já imaginava como seria”, brinca ele. O primeiro CD veio em 2002 e, depois dele, o cantor não parou mais. Mundialmente conhecido pelo reggae e surf music, Armandinho não quer ficar preso a modelos rígidos. “Bob Marley é um livro de cabeceira, mas não estou mais preso no lance do reggae raiz. Escutei muito, aprendi muito. Mas estou muito aberto a outros gêneros”, explica.

Com quatro álbuns lançados em 17 anos de carreira, o cantor gaúcho está com a mesma banda há nove. João Coiote (voz e violão), Luciano Granja (guitarra) e Lúcio Dorfman (teclados), ex-integrantes da banda Engenheiros do Hawaii, Vini Bondan (bateria) e Pedro Porto (baixo), da Ultramen, acompanharam Armandinho nos shows lotados realizados na Austrália e Nova Zelândia e também se apresentam na Fundição Progresso.

Para os próximos meses, além de apresentações marcadas em Portugal e Londres, Armandinho acaba de lançar a versão ao vivo de “Sol Loiro”, feita para sua filha Marcela, nas principais plataformas digitais. E não para por aí, ainda esse ano, o cantor lança um álbum praticamente acústico, relembrando seus maiores sucessos, antes de entrar em estúdio para preparar um registro com canções inéditas.

SERVIÇO:
Data: 15/06/2019
Local: Fundição Progresso
Endereço: Rua dos Arcos, 24 – Lapa – Rio de Janeiro/RJ
Abertura dos portões: 21h
Horário: Onze:20 – 23h | Armandinho: 00h30
Classificação etária: 18 anos. Menores a partir de 16 anos entram acompanhados dos pais/responsáveis.

Pista: R$140 (inteira) / R$70 (meia-entrada ou ingresso solidário)

Frisas: R$300 (inteira) / R$150 (meia-entrada ou ingresso solidário)

Posts relacionados

Ensaio do Bloco da Amy chega ao ExC todos os domingos de fevereiro

Redação

Joyce Cândido e Quarteto do Rio no Blue Note Rio, dia 16 de agosto

Redação

Zé Renato & Cláudio Nucci no Teatro Rival Petrobras

Redação

Filhos da Guanabara e Batuque da Raça

Redação

Paradiso Café apresenta Nina Fernandes

Redação

Hoje é dia de Primos do Samba, no Bar Big, no Centro

Redação

Deixe um comentário