Áreas Turísticas ganharão reforço na segurança no Rio de Janeiro

Empresários do setor participam da elaboração do Plano Integrado de Segurança e Ordenamento Urbano em Áreas Turísticas

Setor apontado como responsável pela retomada econômica da cidade, o Turismo será contemplado com um Plano Integrado de Segurança e Ordenamento Urbano, uma força tarefa integrada aos esforços da esfera federal.

Nesta terça (26/07), um encontro convocado pelo secretário estadual de Turismo, Nilo Sérgio Felix, reuniu as principais autoridades da Segurança no estado e representantes da iniciativa privada do segmento de Turismo, que abrange por tabela os setores de transportes, restaurantes, comércio, entre outros, para debater sobre o impacto que o segmento de segurança têm para atividade turística, além de levantar pleitos e propostas na elaboração do Plano Integrado de Segurança e Ordenamento Urbano em Áreas Turísticas.

A reunião aconteceu no Centro Integrado de Comando e Controle (CICC) e reuniu representantes da Deat, BPtur, Seop, Polícias Civil e Militar, além de Setur, TurisRio, Riotur. Também participaram as entidades representativas do segmento, como Associação de Hotéis do Estado do Rio, SindHotéis, Rio Convention & Visitors Bureau, Abav, SindRio, Abrasel, CNC, Grupo Paineiras Corcovado, entre outros, além de empresários da hotelaria, como a rede Arena Hotéis e o Belmond Copacabana Palace.

A hotelaria recebeu o reconhecimento das autoridades por sua forte atuação no apoio às atividades da Delegacia Turística, incluindo a recente reforma custeada pelos hotéis, além de toda a rede de relacionamento e comunicação que facilitam o trabalho dos agentes.

O presidente da Associação de Hotéis e do SindHotéis, Alfredo Lopes, comunicou aos presentes que a Central de Monitoramento da Barra, iniciativa da Associação Comunitária Bairro Seguro, a qual ele também preside, está sendo espelhada dentro do 31º Batalhão da Polícia Militar, representante um reforço no monitoramento da região da Barra da Tijuca, expansível para toda a cidade.

Entre as sugestões e pleitos apresentados pelos empresários estiveram o maior monitoramento dos corredores turísticos, incluindo especialmente o trajeto dos aeroportos, além de uma comunicação prévia dos eventos de a serem realizados nos hotéis para que haja um reforço na segurança do entorno.