4.1 C
New York
março 20, 2019
Teatro & Dança

Após o súbito fechamento do Teatro Eva Herz, classe teatral se une para que Aqui Jaz Henry volte aos palcos a partir desta sexta, dia 19, no Solar de Botafogo

Da obra homônima do canadense Daniel MacIvor, Aqui Jaz Henry fala sobre a impermanência do ser humano, as dores e amores nas relações, homossexualidade e morte

A temporada de Aqui Jaz Henry  – espetáculo solo de Renato Wiemer, com direção artística de Clarissa Freire – foi subitamente interrompida na quinta-feira, 11 de outubro, com o aviso de que a Livraria Cultura, local que abrigava o Teatro Eva Herz, no Centro do Rio, encerraria suas atividades naquele mesmo dia. Como numa reviravolta dramatúrgica revigorante, uma rede de solidariedade adiou o ponto final dado pela crise financeira. Ao saber do ocorrido, integrantes do MATER e da Liga Teatral, além de diretores, técnicos, produtores e atores, imediatamente se mobilizaram para encontrar um novo palco para o monólogo. Foi assim que o Solar de Botafogo abriu suas portas e acolheu Aqui Jaz Henry. O espetáculo será apresentado por lá nos dias 19, 20, 22, 23, 29, 30 e 31 de outubro, sempre às 20h.

Com figurinos de Claudio Tovar e visagismo de Leopoldo Pacheco,  a peça apresenta um homem que tenta explicar uma série de fatos sobre a existência humana. Nem ele mesmo sabe o que é verdade – e nem teria como saber – porque mente a respeito de tudo, até sobre a própria mentira.

Renato Wiemer traduziu a escrita polissêmica do autor canadense Daniel MacIvor, conhecido no Brasil pelas peças In On ItÀ Primeira Vista e Cine Monstro. “MacIvor tem uma maneira particular de escrita, uma dramaturgia não linear, meio ‘torta’, dissonante, mas que no final faz todo o sentido. Henry fala e se relaciona o tempo todo com a plateia. Quebrando a ‘quarta parede’ o espetáculo transporta o espectador para dentro da sua narrativa,” define Wiemer.

A paixão do ator pelo estilo de MacIvor surgiu quando assistiu a uma montagem da peça In On It. “Minha experiência ao testemunhar a escritura dramatúrgica e a riqueza impressa do texto me trouxe a certeza que não me interessava qual história contar, mas sim, como contá-la. Nada importa para além do que é dito. Mesmo que sejam mentiras”, completa.

O texto do espetáculo foi concebido em um workshop ministrado pela Da Da Kamera Cia. de Teatro no Festival Antigonish, e sua primeira montagem aconteceu no Six Stage Festival, no Buddies In Bad Times Theatre, em Toronto. A montagem brasileira estreou em outubro de 2017 no Teatro Pequeno Ato, em São Paulo.

Ficha técnica:

Título Original: Here Lies Henry. Autor: Daniel MacIvor. Dramaturgia: Daniel Brooks. Tradução: Renato Wiemer. Direção de Artística: Kika Freire. Idealização, concepção e atuação: Renato Wiemer. Iluminação: Paulo Cesar Medeiros. Figurino: Claudio Tovar. Cenário: Teca Fichinski. Trilha Sonora: Renato Wiemer. Visagismo: Leopoldo Pacheco. Projeto Gráfico: Karin Palhano. Operação de luz e som: Júnior Brasil. Assessoria de imprensa: Lu Nabuco Assessoria em Comunicação. Produção executiva: Andrea Mattar. Direção de produção: Joana D’aguiar. Produção: Wiemer Produções e Sopro Escritório de Cultura. Realização: Wiemer Produções e Sopro Escritório de Cultura.

Serviço:

AQUI JAZ HENRY – REESTREIA dia 19 de OUTUBRO no Solar de Botafogo.

Duração: 65 minutos. Classificação: 16 anos. Ingressos: R$50 (inteira); R$25 (meia-entrada).
Temporada: Dias 19, 20, 22, 23, 29, 30 e 31 de outubro, às 20h.
Local: Solar de Botafogo – Rua General Polidoro, 180 – Botafogo
Bilheteria: Terça a sábado, das 16h às 20h
Informações: 21 2543-5411
180 lugares

Posts relacionados

‘Zilda Arns – A dona dos lírios’ estreia, dia 21 de setembro, no Teatro Candido Mendes, em Ipanema

Redação

Infantojuvenil ‘É Audição’ estreia no Teatro Vannucci

Redação

‘Ícaro’ desmitifica universo dos cadeirantes por meio do Teatro Documental

Redação

Musical “Pequena Miss Sunshine” estreia em dezembro no Cesgranrio

Redação

‘O Bosque Soturno’ estreia no Teatro dos Quatro e traz à tona uma densa relação entre irmãos

Jorge Rodrigues

Comédia “Desesperados” faz curtíssima temporada no Theatro Net Rio

Redação

Deixe um comentário