“Animais Noturnos”: um suspense aterrorizante e envolvente

É impossível assistir “Animais Noturnos” e não entrar no clima tenso filme. O segundo longa do diretor Tom Ford faz uma homenagem às obras de Hitchcock, deixando o espectador ansioso do início ao fim, além de apresentar reflexões sobre relacionamentos e sonhos.

São mostradas duas histórias paralelas, porém interligadas: na principal, é apresentada a curadora de arte Susan Morrow (Amy Adams), em um casamento fracassado com Hutton Morrow (Ammie Hammer), questionando seu papel como esposa e também como profissional de arte. Tudo muda quando a protagonista recebe o esboço de um livro de seu ex-marido Edward Sheffield (Jake Gyllenhaal), que contém uma história aterrorizante.

A narrativa dentro da narrativa é voltada para o suspense/terror. Durante à noite, no Texas, a família Hastings é atacada por marginais em uma estrada deserta, desencadeando as mais terríveis consequências. Falar mais que isso estragaria a surpresa do espectador, e esse é um filme que vale apena apreciar cada minuto de surpresas.

Vale lembrar que as histórias se alternam durante a obra, mostrando os dilemas pessoas e o horror de Susan ao ler o romance e também o sofrimento dos personagens fictícios, muito bem representados. Dois exemplos são o detetive Bobby Andes (Michael Shannon, voltando com tudo) e o vilão Ray Marcus (Aaron Taylor-Johnson), que dão um show de interpretação e provocam diversos tipos de reação e sentimentos a quem assiste.

A trilha sonora cumpre seu papel excepcionalmente, criando o clima de tensão quando necessário ou levando o espectador às lagrimas em outros momentos. Os efeitos sonoros são ótimos e algumas vezes chegam a ensurdecer, especialmente quando há disparos ou sons de motores.

 

O filme possui uma atmosfera opressora e tons sombrios, lembrando bastante a série True Detective. A fotografia escura e cinza cria um ambiente claustrofóbico e agoniante, sendo as vezes substituída por cores fortes do deserto texano. Porém em nenhum momento há imagens que possam ser consideradas “felizes”. Há poucos momentos de sol.

Não há o que falar sem arruinar a trama de “Animais Noturnos”, pois é uma obra que deve ser apreciada sem prévio conhecimento de detalhes. Se trata de um suspense maravilhoso, abordando sentimentos humanos, comovendo e aterrorizando, passando da tristeza profunda ao desespero, além de transmitir isso de forma convincente ao espectador. É diferente, e mesmo remetendo-se e homenageando outros clássicos, possui características únicas e marcantes. Animais Noturnos é lindo esteticamente e ao mesmo tempo vazio e catártico.

Ficha Técnica:
Ano: 2016
Título: Animais Noturnos
Título original: Nocturnal Animals
Roteiro: Tom Ford, baseado no romance “Tony and Susan”, de Austin Wright
Direção: Tom Ford
Elenco (principais): Amy Adams, Jake Gyllenhaal, Michael Shannon.

 

1 comentário
  1. Ninrode Maniliano Diz

    Muito boa a resenha. Vindo de você, sei que o filme é bom

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.