Amalia Giacomini estreia na Galeria Lume com a mostra Entreaberto

Imagens e objetos sobrepostos de modo a suscitar a revelação de novos espaços em ambientes já conhecidos. Redesenhar o mundo ao redor para então redescobri-lo. É esse o pano de fundo de Entreaberto, primeira individual da artista paulistana Amalia Giacomini na Galeria Lume, que passa a representá-la a partir deste ano.

Com curadoria de Paulo Kassab, a mostra, que abre a partir de 2 de fevereiro, traz uma série de trabalhos, entre painéis e instalações, que remetem a modelos geométricos construídos no espaço da galeria. As obras são esquemas de representação do espaço no ambiente expositivo, somado a eles o mundo exterior. Este, por sua vez, é refletido por devaneios e pelas relações do espectador com o objeto.

“Já não há mais cisão entre sujeito e matéria. Entre o estar e o ser, o palpável e o onírico. Nas obras de Giacomini, podemos nos reconhecer novamente com o espaço e, neste caso, ser o espaço onde estamos”, afirma o curador.

Entre os trabalhos apresentados, estão alguns painéis de acrílico da série Memória Superficial (2015). Sobre um fundo chapado de cor única, retângulos e quadrados se sobrepõem, sugerindo ao observador a reminiscência de uma edificação. “São imagens simples, que se assemelham a portas e janelas e cujos vãos são atravessados pela luz. Está ali o mínimo para o entendimento de uma situação arquitetônica, a partir da representação de espaços enxutos”, diz Amalia.

Entre as obras inéditas da artista, está Entreabertos (2017), série construída a partir de caixilhos metálicos e placas de vidro, o objeto remete à ideia de uma janela, cuja forma depende não só do ponto de vista do espectador, mas da sua interação com ele. Do outro lado, entretanto, uma parede branca toma o lugar de uma vista qualquer. A janela – que não é janela, uma vez que não é precedida por uma abertura na construção – é entendida como tal. É um não-objeto que se define por um sistema de representação comum àquele que o observa.

A artista

Amalia Giacomini nasceu em São Paulo, em 1974, e vive no Rio de Janeiro. Formada em Arquitetura pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo – FAU USP, com mestrado em Linguagens Visuais pela Universidade Federal do Rio de Janeiro – UFRJ.

Nos últimos anos, Amalia expôs nas mais importantes instituições culturais do país, entre as quais o Museu da Casa Brasileira (MCB), o Instituto Tomie Ohtake, o Centro Cultural São Paulo (CCSP), além dos Museus de Arte Contemporânea do Paraná (MAC-PR) e de Niterói (MAC).

Em 2010, Amalia apresentou em Paris a exposição individual Liberér l’horizon reinventér l’espace (Desencadear o horizonte, reinventar o espaço), na galeria Cité des Arts. Também na capital francesa, a artista participou, em 2005, da Exposição Comemorativa do Ano do Brasil da França, realizada pela Fundação Nacional das Artes (Funarte), entidade vinculada ao Ministério da Cultura (Minc).

Atualmente, a artista tem seu trabalho celebrado pela exposição Desmedidas, no Espaço Cultural BNDES, no Rio de Janeiro.


Exposição Entreaberto
Abertura: 2 de fevereiro, a partir das 19h
Período expositivo: de 2 de fevereiro a 11 de março
Local: Galeria Lume
Endereço: Rua Gumercindo Saraiva, 54 – Jardim Europa, São Paulo
Visitação: de segunda a sexta-feira, das 10h às 19h | sábados, das 11h às 15h
Telefone: (11) 4883-0351

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.