20.9 C
New York
junho 18, 2019
Notícias

Agenda Trapiche Gamboa

Roda do cantor e bandolinista Pedro Amorim
SÁBADO, 25/ago, às 21h30

Pedro Amorim
Pedro Amorim

O instrumentista, cantor e compositor Pedro Amorim, que se destaca também como bandolinista e é um dos integrantes do quarteto “Samba de Fato” (grupo que se apresenta exclusivamente no Trapiche Gamboa), realiza a sua roda de samba em que reúne o vasto repertório do samba tradicional de Candeia, Cartola, Noel Rosa, Nelson Cavaquinho, Pixinguinha, Ary Barroso, Dorival Caymmi, Vinicius de Morais e Geraldo Pereira, entre tantos outros, dando lugar também à sambas de roda baianos, composições próprias como as do seu último CD “Voz Nagô — Afro-sambas de Pedro Amorim e Paulo César Pinheiro” (em que se apropriam artisticamente de elementos do candomblé e da capoeira, desenvolvendo, a partir deles, um conjunto de 14 afro-sambas, lundus, chulas e jongos nunca antes reunidos) e também sambas de atuais compositores. Ele é acompanhado por Julião Rabello Pinheiro (violão), Paulino Dias, Thiago da Serrinha e Marcus Thadeu (percussão).

Couvert artístico: R$30 (lista amiga: R$25). 18 anos. A casa abre às 20h30.

Tradicional roda de jongo, samba, maracatu e ijexás do grupo “Razões Africanas”
QUINTA-FEIRA 30/ago, às 19h30

Razões Africanas - foto: Alcinoo Giandinoto
Razões Africanas – foto: Alcinoo Giandinoto

Composto pelas cantoras Lazir Sinval, Deli Monteiro e Luiza Marmello (também integrantes do consagrado grupo “Jongo da Serrinha” ao lado da Tia Maria do Jongo), músicos de mão cheia (Anderson Vilmar, Marcelo Mattos e Leo Careca – percussão, Rafael do Cavaco e Fabio Pereira – harmonia) e tambores que já guardam história, o grupo Razões Africanas garante há alguns anos as já tradicionais e contagiantes noites de quinta do Trapiche.

Eles promovem uma roda com muito jongo, ijexás, samba, maracatu e canções em língua africana, realizando um resgate e valorização da nossa cultura. É um encontro de vozes, sons e energias que vibram em torno do legado da Mãe África à nossa terra, carregado de encantamento e umbigada!

Couvert: R$25 (lista amiga: R$20). Livre. A casa abre às 18h30.

Roda de samba do cantor e compositor Douglas Lemos – pré-lançamento de seu 1º CD
SEXTA-FEIRA, 31/agosto, às 21h30

Douglas Lemos - foto: Gabriel Miranda
Douglas Lemos – foto: Gabriel Miranda

O compositor e cantor carioca Douglas Lemos estreia sua roda de samba no Trapiche Gamboa e já com o tempero especial de pré-lançamento do seu primeiro CD “Ruas da Minha História”.

Cria do bairro da Glória, desde muito cedo começou a se enveredar pelo universo lírico da canção popular. Tendo como referência gigantes da música brasileira, como João Nogueira, Paulo César Pinheiro, Aldir Blanc e Moacyr Luz, Douglas estudou violão com o músico Rafael Mallmith e canto com a intérprete Amelia Rabello. Atento à poesia das histórias marcadas no asfalto da cidade, aos 25 anos o compositor possui um repertório autoral com cerca de 60 canções e, nos últimos anos, fez shows na Europa e no Uruguai. É fundador da roda de samba Sambachaça, que propaga o resgate de composições históricas e incentiva o encontro de novos compositores e já cantou em alguns espaços importantes do Rio de Janeiro, como o “Bar Semente” e a “Casa do Choro”.

Nesta noite, Douglas conta com algumas participações surpresa, entre amigos compositores e músicos, e apresenta algumas faixas de seu CD de estreia. Convida os amigos e os sambistas que apreciam não só o resgate e a manutenção do bom samba tradicional como também as novas composições que alimentam o gênero e mantêm a roda girando.

Couvert artístico: R$30 (lista amiga: R$25). 18 anos. A casa abre às 19h30.

PROMOÇÕES:
*Aniversariantes da semana com ID (+ um convidado) não pagam.
*Até 00h, na compra de cinco cervejas, a sexta é de graça.

Trapiche Gamboa
Situado no berço do samba, na Gamboa, entre a Pedra do Sal, a Ladeira do Valongo e o Largo da Prainha, entre o centro da cidade e o bairro da Saúde, o Trapiche Gamboa é um grande sobrado do século XIX (1857) e foi inaugurado como casa de shows em 2004. Ele se tornou um refúgio para o samba de roda (a mais autêntica forma de música brasileira) e consagrou-se como uma das maiores, mais bonitas e aprazíveis casas (de samba) da cidade. Importantes sambistas já passaram por lá e exímios músicos da nova safra do samba do Rio de Janeiro frequentemente realizam as magistrais rodas da casa.

A arquitetura de 1857 e com pé direito de 13 metros está conservada com piso original e parede de pedra revestida com óleo de baleia. Antes de abrigar a casa de samba, o sobrado era uma oficina mecânica.

Quem é do samba ou quer conhecê-lo melhor e mais de perto, seja carioca ou turista, deve visitar o Trapiche Gamboa, endereço de uma boa combinação de petiscos e de roda de samba como a dos antigos terreiros. No segundo andar, há ainda um mezanino onde é possível bater um papo com menos barulho. Já no terceiro andar, uma varanda oferece ar fresco com um barzinho à disposição. É bem aconchegante e convidativo.

Classificação da casa: durante a semana: livre com responsável | sextas e sábados: 18 anos.

Abertura da casa: quintas: 18h30 | sextas: 19h30 | sábados: 20h30.
Horários dos shows: quintas: 19h30 | sextas e sábados: 21h30.
Aceita cartões de crédito e débito.
Faz reservas de mesas (tels.: 2516 0868).
Capacidade: 250 pessoas.

Rua Sacadura Cabral, 155 – Gamboa (próximo à Praça Mauá, entre a Pça. Mauá e o Hospital dos Servidores)

Tels.: 2516-0868 / 2233 9276

www.trapichegamboa.com

Facebook: https://www.facebook.com/trapichegamboa?fref=ts

Instagram: http://instagram.com/trapichegamboarj/

Youtube: https://www.youtube.com/channel/UCV0bChwM5Ba9L_SIblPxbVQ

Posts relacionados

Prefeitura apresenta o novo Código Sanitário do Rio na Alerj

Redação

Portela receberá Mocidade Independente e Imperadores do Samba no próximo ensaio

Redação

MAST e outras nove instituições culturais participam da 11ª edição do Turismo Cultural de São Cristóvão

Redação

Elohim Seabra no Teatro Rival Petrobras

Redação

20 segredos escondidos sobre chocolate

Redação

Apesar de defender a Lava Jato, advogado afirma que nas conversas entre Moro e Deltan fica claro que o ex-juiz concedeu um privilégio ao procurador

Redação

Deixe um comentário