Achados da Leopoldina: Arqueologia Urbana na Era Digital

Cachimbo - Anaglifo
Cachimbo - Anaglifo

Exposição hi-tech aproxima o visitante dos tesouros arqueológicos encontrados
na região do antigo Matadouro Público de São Cristóvão

A EXPOSIÇÃO
A exposição ‘Achados da Leopoldina: Arqueologia Urbana na Era Digital’ é uma oportunidade única para vivenciar, de forma interativa e acessível, a coleção de peças encontradas no sítio arqueológico do Matadouro Público de São Cristóvão (Matadouro Imperial) durante as obras de implantação da fábrica de aduelas (anéis de concreto) para a expansão da malha metroviária carioca. Foram achados no Canteiro da Leopoldina, na Zona Norte, tesouros arqueológicos capazes de abrir uma janela para o passado da nossa cidade. Essas preciosidades serão novamente descobertas, agora em formato virtual e multissensorial, na mostra montada no Museu Histórico Nacional a partir de 19 de setembro.

Booking.com

TECNOLOGIA A FAVOR DA INTERATIVIDADE
Para que o precioso acervo fosse colocado ao alcance de todos, o formato adotado rompe com a necessidade de expor a peça e oferece uma experiência mais completa mediada por recursos tecnológicos como hologramas, realidade aumentada, anáglifo (imagem com efeito tridimensional) e modelagem e impressão 3D.

AS COLEÇÕES
Os artefatos reproduzidos na exposição estão organizados em seis coleções: Azulejos; Utensílios e Peças Decorativas; Garrafas e Vasilhames; Higiene, Beleza e Perfumaria; Cachimbos; e Diversidades. Entre as peças estão fragmentos de faiança, moedas, itens com o brasão do Império, vasilhames utilitários, como pratos e potes, vidros de perfume e remédio e até uma escova de dentes com a inscrição em francês Rte S M L’EMPEREUR DU BRESIL (Sua Majestade o Imperador do Brasil). A mostra conta ainda com peças do acervo do Museu Histórico Nacional (MHN).

CURADORIA COLABORATIVA
A curadoria da exposição se beneficiou de uma construção coletiva envolvendo profissionais experientes no âmbito do patrimônio cultural. O grupo, coordenado pelo arquiteto Manoel Vieira, trabalhou a partir das pesquisas conduzidas pelos arqueólogos Nídia Rodrigues e Claudio Prado de Mello e conta com a colaboração dos pesquisadores Dora Alcântara (azulejos), Victorino Chermont (brasonados), Giovani Scaramella (garrafas e vasilhames), Giovanni Puperi (moedas), Jackeline de Macedo (cerâmica e vidros) e Camilla Agostini (cachimbos).

ACESSIBILIDADE E INCLUSÃO
Fotografias em relevo, legendas em braile, audiodescrição dos conteúdos da exposição, peças manuseáveis materializadas em impressoras 3D, além de postagens em redes sociais com descrição de imagem, seguindo a proposta do projeto #PraCegoVer, hashtag usada para a disseminação da cultura da acessibilidade nas redes sociais, já adotada por diversas instituições. Esses são recursos empregados para garantir que o maior número possível de pessoas tenha acesso às informações sobre os vestígios arqueológicos representados.

REALIZAÇÃO
A exposição ‘Achados da Leopoldina: Arqueologia Urbana na Era Digital’ é uma produção da empresa Engenharia Cultural, realizada com o patrocínio da Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro, Secretaria Municipal de Cultura e do Consórcio Linha 4 Sul, por meio da Lei Municipal de Incentivo à Cultura do Rio de Janeiro – Lei do ISS.

A exposição conta com a parceria do Instituto Cultural Cidade Viva (ICCV) e do Museu Histórico Nacional. O ICCV atua em todos os segmentos artísticos e nas áreas que fazem interface com a cultura, como turismo, gastronomia, terceiro setor, artesanato, educação, arquitetura e urbanismo, ciência, tecnologia, esporte, lazer e meio ambiente.

SERVIÇO
Exposição ‘Achados da Leopoldina: Arqueologia Urbana na Era Digital’
Data da inauguração: 19 de setembro de 2017
Local: Museu Histórico Nacional
Endereço: Praça Marechal Âncora, s/n – Centro – Rio de Janeiro (RJ)
Horários: de terça a sexta, das 10h às 17h30/ sábados, domingos e feriados, das 13h às 17h
Ingressos: Inteira: R$ 10/ Meia-entrada: R$ 5. Aos domingos a entrada é franca.
Contato: (21) 3299-0324

Booking.com