Zélia Duncan lança seu disco de sambas no Circo Voador

O show terá as participações especiais de Ana Costa, Pedro Luís e Zeca Baleiro, parceiros no álbum 'Antes do mundo acabar'

No dia 19 de março, Zélia Duncan estreia o show de sua nova turnê, Antes do mundo acabar, no Rio de Janeiro. O Circo Voador será o palco do lançamento do disco de sambas que Zélia prometia a si mesma há algum tempo. Repetindo as parcerias do disco, Zélia receberá para participações especiais Ana Costa, Pedro Luís e Zeca Baleiro, que dividem com ela a autoria de algumas faixas.

O samba dolente Antes do mundo acabar, de Zélia e Zeca Baleiro, dá título ao show e ao disco, que reúne sambas inéditos, compostos por Zélia e vários parceiros, e outros que surgiram nas pesquisas de repertório.

Com direção musical de Bia Paes Leme, que também produziu o álbum, o show tem cenografia de Simone Mina, que divide a direção com Zélia, com quem vem trabalhando desde o espetáculo Totatiando.

Para apresentar o repertório desse novo trabalho, no show Zélia será acompanhada por Webster Santos, Pedro Franco e Domingos Teixeira, nas cordas, e por Thiago da Serrinha e Pretinho da Serrinha, nas percussões.

SHOW DE LANÇAMENTO | ANTES DO MUNDO ACABAR | ZÉLIA DUNCAN

CIRCO VOADOR | 19 de março
Abertura dos portões: 22h
Capacidade: 2.000 pessoas
Classificação: 18 anos (de 14 a 17 somente acompanhado dos pais)
Locais de venda:
Bilheteria do Circo (dinheiro) e ingresso.com (crédito)

Horário da Bilheteria:
Terça a Quinta, de 12:00 às 19:00
Sexta, de 12:00 à 00:00
Sábado, de 14:00 à 00:00

Ingressos

1º Lote*

R$ 40 (meia-entrada para estudantes, menores de 21 anos e maiores de 60 anos)

R$ 40 (cliente Odeon que apresentar ingresso de algum filme do cinema ou cliente Clube Sou + Rio)**

R$ 40 (ingresso solidário válido com 1kg de alimento)

R$ 80 (inteira)

2º Lote*

R$ 50 (meia-entrada para estudantes, menores de 21 anos e maiores de 60 anos)

R$ 50 (cliente Odeon que apresentar ingresso de algum filme do cinema ou cliente Clube Sou + Rio)**

R$ 50 (ingresso solidário válido com 1kg de alimento)

R$ 100 (inteira)

*Lote sujeito à alteração sem aviso prévio
 
O álbum
Desde o elogiado “Eu Me Transformo Em Outras” (lançado em 2004 e reeditado em 2015), entre outros vários projetos de samba, já havia fortes sinais de que um disco como Antes do mundo acabar aconteceria. Vinda de um CD dedicado às canções de Itamar Assumpção (“Zélia Duncan Canta Itamar Assumpção – Tudo Esclarecido” – 2013), com 34 anos de carreira e 25 da estreia fonográfica, agora era hora de botar o bloco na rua.

Antes do mundo acabar é um disco de sambas onde cabem delicadezas, crônica urbana, bom humor, com formação quase minimalista em algumas faixas. “Não sabíamos ao certo, eu e Bia Paes Leme, que seria assim. Mas ela teve a ideia de chamar o Marco Pereira (violonista), com seus arranjos de tanto bom gosto, que achamos que o fato de a essência das canções estarem tão bem retratadas, fazia com que pudéssemos abrir mão da massa sonora mais usual. E ficou mais surpreendente e singular assim. Thiago da Serrinha trouxe tanta riqueza para as faixas, que confirmou essa tendência”, define Zélia.

Das 14 faixas, 9 são inéditas, configuração que foi sendo desenhada à medida que o projeto avançava: “Conhecer Xande de Pilares foi fundamental, pois fizemos muitas coisas, rapidamente. Sem programar nada, o disco foi ficando autoral e nisso reside sua maior força, creio eu”. Além de Xande, que co-assina três faixas e dá uma canja no samba “No meu país”, parceiros como Pedro Luís, Ana Costa, Bia Paes Leme, Zeca Baleiro e Arlindo Cruz dividem a autoria das canções. Com Zeca, Zélia já compôs mais de 10 canções e quando chegou a hora dos sambas, ela mandou a letra e fez uma encomenda ao parceiro para esse disco. “Pedro Luís também deixou sua bela marca. Bia foi muito feliz, sua melodia combinou demais com minha letra. Xande, sempre ao contrário, manda as melodias primeiro. A parceria com Ana Costa é um pouco mais antiga e cada vez mais se reforça e ganha personalidade. Com Arlindo, ele mandou a melodia e só o refrão com letra. Escrevi os versos e ficou assim, deliciosa”, conta.

Da pesquisa inicial, Zélia Duncan registrou sambas de Riachão (“Por que você não me convida agora”), Paulinho da Viola (“Pintou um Bode”), Dona Ivone Lara e Delcio Carvalho (“Em cada canto uma esperança”) e Moacyr Luz (“Vida da minha vida”). “São 5 mestres, além de uma linda composição que Pretinho da Serrinha, Leandro Fab e Fred Camacho fizeram especialmente pra mim (“Por água abaixo”)”, comemora. Apenas na versão digital, o álbum ganha uma faixa extra: “Juízo final” (Nelson Cavaquinho e Elcio Soares).

DEIXE UM COMENTÁRIO