X Mostra do Fomento à Dança dialoga com a cidade nos seus vários territórios

A 10ª edição da Mostra celebra os 10 anos de implantação do Programa Municipal de Fomento à Dança percorrendo um caminho de aproximação, trocas, afetos e desdobramentos entre diferentes percursos, numa rede de interações e articulações, que aponta para outros modos de serelacionar artisticamente com a cidade.

Lagartixa na Janela-Breves partituras para muitas calcadas (foto: Silvia Machado)
Lagartixa na Janela-Breves partituras para muitas calcadas (foto: Silvia Machado)

Entre 5 e 22 de outubro, São Paulo recebe a X Mostra do Fomento à Dança. Ao todo, 34 núcleos artísticos, mais um grupo convidado de cada uma das quatro regiões da cidade, se unem em uma maratona de 32 espetáculos e intervenções urbanas, oficinas, sessões de vídeodança, JAMs, lançamento de livro, exposição, rodas de conversa e a realização do I Encontro Latino-Americano de Gestores de Dança – Identidades e Estratégias de Cooperação.

Dois conceitos marcam esta Mostra: a ideia de encontro e de desdobramento. Por isso, para além de apresentar trabalhos desenvolvidos pelos núcleos artísticos contemplados nas últimas quatro edições do programa, que tornou-se símbolo da mobilização da classe artística pela conquista de uma lei municipal, em 2005, de apoio à produção e manutenção de companhias sediadas na Capital, a programação se dá em diálogo com a dança que se faz na cidade, em seus vários territórios, como acontecimento, manifestação poética, política e celebração.

A abertura, no dia 5, às 19h, no Saguão de entrada do Centro Cultural Olido, já sinaliza esse desejo de acontecimento: artistas da dança e de outras linguagens – teatro, música, literatura, videoarte – promovem intervenções, performances, ações coletivas simultâneas e uma vasta distribuição de material impresso, como o jornal “Jet Lagged”, do Núcleo Mirada, ou a Revista “Murro em Ponta de Faca”, da Cia Carne Agonizante.

Na primeira semana, a programação se desloca do Centro para os quatro cantos da cidade. Na Zona Leste, a Mostra acontece no Centro de Formação Cultural Cidade Tiradentes, dentro da “Conversa que roda”, um espaço para ouvir, falar e compor uma perspectiva da história da dança de resistência periférica na Zona Leste. Além de mostras de processo e compartilhamento de experiências e práticas de grupos da região, o Cidade Tiradentes abriga ainda dois espetáculos: “Girar”, do Batakerê, e “Sob a Pele”, do TF Style.

Na Zona Sul, as ações e apresentações se distribuem pela Estação Capão Redondo, Casa Amarela, Praça Jardim Miriam, Real Parque e CEU Campo Limpo. A Fragmento Urbano circula com  a intervenção “Encruzilhada” por  todos eles. Ainda na Zona Sul, a Casa de Cultura M’Boi Mirim recebe outras duas intervenções: “Breves Partituras para Muitas Calçadas”, do Largatixa na Janela, e “Por que Danço?”, manifesto poético do Grupo Diversidança.

O Tendal da Lapa, que apresenta “Nuvens Insetos”, da Cia Fragmento de Dança, e “Sob os Olhos de Oyá”, do grupo Ojú Oya; o Espaço Caleidos, com “Mairto”, do Caleidos Cia; e a Sede da Cia Brasílica, com a JAM “As Melhores Coisas da Vida não são Coisas”,formam o tripé da Zona Oeste. E o Teatro Alfredo Mesquita capitaneia os espetáculos que acontecem na Zona Norte – “Cisza (II de IV)”, da Com(som)antes Cia de Arte, “Ensaio sobre as Pequenas Distâncias, Estudo para o Infinito #1”, com a Cia Silvia Geraldi, e “Bananas 15”, do Núcleo Artérias. Batakerê; Diversidança, Com(som)antes e Ojú Oya foram os grupos das quatro regiões convidados para integrar o evento.

Nas duas semanas que seguem, a Mostra se concentra no triângulo desenhado pelo Centro Cultural Olido, Praça das Artes e Centro de Referência da Dança, além do Centro Cultural São Paulo, que abriga o Fórum – “Diversidade, um Direito de Cidadania”, proposto pela Cia Dança Sem Fronteiras, e o espetáculo “Devolve 2 horas de minha vida”, do projeto Mov_ola.

No Centro Cultural Olido se apresentam nove núcleos artísticos: Mirada (Ostrossauro), Tanteatro (Artaud, Le Mômo), Fragmento de Dança (Um Corpo Só), Marcos Sobrinho (Um Poema Para Carmem), Núcleo de Improvisação (Exercícios Compartilhados), Cia Brasílica (Brasílica Extemporâneo), Omstrab (Fluxos Invisíveis), Dança Sem Fronteiras (Olhar De Neblina) e Núcleo EntreTanto (Uma Coisa Muda).

 A Praça das Artes apresenta trabalhos nas tardes das duas quintas-feiras (13 e 20): “Abissal”, da Insaio Cia De Arte, e “Um moço muito branco – Experimentos Primeiras Estórias”, da Silenciosas + Gt’ame.

Onze espetáculos – “Tupiliques” ( Repentistas do Corpo), “Cartas Individuais – Exercício Poético sobre Imagem em Movimento” (Marcos Moraes), “Movimento para um Homem Só” (Perversos Polimorfos), “Beija Minha Mão” (Cia Danças Cláudia de Souza), “Blue” (E2 Cia), “Procedimento Dois para Lugar Nenhum” (Vera Sala), “Para Todos Os Seguintes” (key zetta e cia), “Coreô (Caleidos), “Desmonte (Juliana Moraes) e “Não Te Abandono Mais, Morro Contigo” (Cia Carne Agonizante) – e mais  quatro intervenções urbanas – “Esculturas Breves” (Musicanoar), “Ultrapássaros” (…AVOA! Núcleo Artístico), “Dança por correio” (Zumb.boys) e “Puntear” (Damas em Trânsito e os Bucaneiros) – são acolhidos no Centro de Referência da Dança.

O CRD também sedia o I Encontro Latino-Americano de Gestores de Dança – Mobilidade, Identidades e Estratégias de Cooperação, que tem como objetivo aproximar e integrar as redes existentes de intercâmbio e circulação de artistas e obras na América Latina. O Encontro, que acontece de 18 a 22 de outubro, já tem confirmada a participação de representantes da Argentina, Uruguai, Bolívia, Chile, Colômbia, Venezuela, México e Equador, além de 14 estados do Brasil e várias cidades do interior e região metropolitana de São Paulo. 

Na sequência do encerramento do Encontro Latino-Americano de Gestores da Dança, começa, às 19h, na Praça das Artes, a última ação da Mostra – Ensaios Perversos, da Cia Perversos Polimorfos –, que acontece em três momentos independentes: “Conversas Sem Fim”, com um convidado para falar sobre políticas culturais, seguida de “Preliminares”, onde artistas apresentam trabalhos prestes a estrear, e o “Dance Floor, que fecha a X Mostra com um DJ convidado para aquecer a pista de dança até à meia-noite.

X Mostra do Fomento à Dança foi organizada por meio de um processo colaborativo de construção coletiva entre a Secretaria Municipal de Cultura e os 34 núcleos artísticos participantes.

Abaixo, confira a programação completa  – também em

https://www.fomentoadanca.blogspot.com.br 

_________________________________________________

Serviço: X Mostra do Fomento à Dança – espetáculos, intervenções urbanas, oficinas, mostra de vídeos, exposição, lançamento de livro, encontros, Seminário e Fórum. De 5 a 22/10. GRÁTIS. Abertura: intervenções, performances, ações coletivas simultâneas – vários artistas – dia 5/8, quarta-feira, 19h, no térreo do Centro Cultural Olido (Av. São João, 473 – Galeria Olido – 2º andar).  Locais de realização: Centro Cultural Olido – Saguão de entrada, Sala Paissandu e Cine Olido (Av. São João, 473, Centro); Centro de Referência da Dança da Cidade de São Paulo (Baixos do Viaduto do Chá s/n – ao lado do Theatro Municipal – Centro); Praça das Artes (Av. São João, 281 – Centro); Casa Amarela (esquina das Ruas da Consolação e Visconde de Ouro Preto – Centro ); Praça Ramos de Azevedo (em frente ao CRDSP); Vale do Anhangabau, Largo de São Bento, Rua São Bento, Praça Antônio Prado – Centro; Centro Cultural São Paulo (Rua Vergueiro, 1000 – Paraíso); Centro de Formação Cultural Cidade Tiradentes (Rua Inácio Monteiro, 6900 – Cidade Tiradentes, Z. Leste); Teatro Alfredo Mesquita (Av. Santos Dumont, 1770 – Santana, Z. Norte); Tendal da Lapa (Rua Constança, 72 – Lapa, Z. Oeste); Núcleo Brasílica de Expressão Artística (Rua Constança, 32, Lapa – ao lado do Tendal da Lapa, Z.Oeste); Espaço Caleidos. Rua Mota Pais, 213 – Lapa,  Z. Oeste); CEU Campo Limpo (Av. Carlos Lacerda, 678 – Pirajussara, Z. Sul); Casa de Cultura M´Boi Mirim (Av. Inácio Dias da Silva, s/nº – Piraporinha, Zona Sul); Estação Capão Redondo (Av. Carlos Caldeira Filho, 4261- Metrô, Z. Sul); Praça Jardim Miriam (Av. Cupecê – Jardim Miriam, Z. Sul); Real Parque (Av.Duquesa de Goiás, 47- Real Parque, Z. Sul)

__________________________________________________________

X MOSTRA DO FOMENTO À DANÇA 2016

https://www.fomentoadanca.blogspot.com.br 

ESPETÁCULOS | PERFORMANCES | INTERVENÇÕES

 

5/10, QUARTA

19h – Centro Cultural Olido – Saguão. Centro

Abertura

A ação, que acontece no térreo do Centro Cultural Olido, conta com a participação de vários artistas em intervenções e performances artísticas simultâneas, além de exibição de vídeos. Ao final, distribuição de material impresso, como o jornal “Jet Lagged”, do Núcleo Mirada, ou a Revista “Murro em Ponta de Faca”, da Carne Agonizante, entre outras publicações realizadas por núcleos contemplados nas últimas quatro edições do Programa de Fomento à Dança para a Cidade de São Paulo (17º ao 20º).

 

6/10, QUINTA

16h – Casa Amarela. Z. Sul

Encruzilhada  (Intervenção urbana) – Fragmento Urbano

“Encruzilhada” traz à tona uma discussão sobre a atualidade, a ressignificação da ancestralidade, os espaços urbanos e as relações sociais que os permeiam. Ao resgatar manifestações populares que fazem parte de uma memória coletiva pouco celebrada e apresentá-las como recriações contemporâneas em zonas periféricas, o grupo propõe um ato de resistência – do(a) negro(a), da periferia, dos grandes mestres da cultura popular e do Hip Hop pouco reconhecidos.

Direção Douglas Iesus | Elenco Anelise Mayumi, Douglas Iesus, Juliana Sanso,

Luan Afonso de Assis, Tiago Silva | Produção Diego Castro

Duração: 55 min| Classificação indicativa: Livre.

 

20h – CEU Campo Limpo. Z. Sul

Brasílica Extemporâneo – Cia Brasílica

O trabalho trata da abordagem das danças de matriz popular como base de criação cênica e fonte primordial de expressão artística. Busca a reflexão sobre a experiência humana como ponto principal de diferenciação entre as pessoas, olhando para os fatos e situações de uma vida como fatores de transformação dos modos de agir e reagir diante do mundo e de perceber as relações interpessoais.

Projeto contemplado pelo 19º Fomento à Dança.

Concepção Lucila Poppi | Direção Deca Madureira | Intérpretes-criadores Lucila Poppi, Deca Madureira, Elson Leite, Jo Gomes, Mariane Oliveira e Lucimeire Monteiro | Trilha sonora e músicas originais Adriano Salhab | Figurino Gustavo Silvestre |

Ilustrações Guinho Nascimento | Concepção cenográfica e criação de luz Cia Brasílica | Técnicos de luz e som Márcio Peres e Adriano Salhab | Produção geral Lucila Poppi | Produção executiva Márcio Peres

www.artebrasilica.blogspot.com

Duração 55 min | Classificação indicativa Livre.

 

7/10, SEXTA

16h – Estação Capão Redondo. Z. Sul

Encruzilhada (Intervenção urbana) – Fragmento Urbano

 

19h às 22h – Centro de Formação Cultural Cidade Tiradentes. Z. Leste

19h – Conversa que roda: “Dança e Memória: A Zona Leste no centro da história”

A roda de conversa propõe um espaço para ouvir, falar e compor uma perspectiva da história da dança de resistência periférica na Zona Leste.

Falas Pedro Peu (Grupo Batakerê), Morgana Souza, Fernando Ferraz | Mediação Fragmento Urbano

Duração 2 horas | Público aberto aos interessados

20h40 – Cubo Tóxico – Cia Fusos (mostra de processo)

“Cubo Tóxico” foca em questões ambientais que afetam a população, como a poluição dos rios e córregos, com o desejo de fazer refletir e contribuir para uma mudança no coletivo.

20h50 –  Relações Adversas – Dois Rumos Cia. de Dança – Intervenção

“Relações Adversas” se constrói a partir da observação das ações do corpo no ambiente urbano, transformado pelo uso exacerbado da tecnologia.

21h – Girar – Batakerê

“Girar” é fruto das pesquisas realizadas pelo grupo Batakerê, inspirado nas manifestações afro-brasileiras Capoeira Angola, Jongo, Tambor de Crioula e Samba de Roda. As cenas desenrolam-se a partir do encontro de quatro amigos para jogar capoeira e relembrar as manifestações populares vividas nos giros e andanças por esse mundo afora..

Grupo convidado para integrar a programação da Mostra na Zona Leste.

Dançarinos Pedro Peu, Yasmin Ribeiro, Edson Jacaré | Musicista Dominique Vieira

https://www.facebook.com/grupo.batakere?fref=ts

Duração 60 min | Classificação indicativa Livre.

 

20h – Núcleo Brasílica de Expressão Artística. Z.Oeste

As Melhores Coisas da Vida não são Coisas – JAM Brasílica

A JAM é baseada nos processos disparadores para a criação do novo espetáculo da Cia, “Brasílica Extemporâneo”, e aborda a ideia de que a sequência dos acontecimentos em uma vida, o tempo em que acontecem – amor, perda, conquista, frustração, morte – influenciam o modo de ver e agir do indivíduo.

Direção Deca Madureira | Dança Deca Madureira, Elson Leite, Jo Gomes, Lucila Poppi, Lucimeire Monteiro, Mariane Oliveira | Músicos Adriano Salhab e Deca Madureira | Ilustrador Guinho Nascimento | Produção Lucila Poppi | Assistente de produção  Márcio Peres

Duração 45 min | Classificação indicativa Livre.

 

21h – Teatro Alfredo Mesquita. Zona Norte

Ensaio sobre as Pequenas Distâncias, Estudo para o Infinito #1 – abertura de processo criativo 

 – Cia Silvia Geraldi

Pequenas histórias do dia-a-dia. De proximidade e distanciamento. Que nos ligam a pessoas, mas também a um território, cidade. Ambiente partilhado com outros. Histórias de lugares que se tornam histórias pessoais. Grafias da cidade no corpo. Pedaços de memória. Corpo que se cristaliza em espaço. Espaço de ação. Do perigo de se contar uma única história.

Coordenação geral Silvia Geraldi e Marisa Lambert | Criação e interpretação  Marisa Lambert e Silvia Geraldi | Artista colaboradora Angela Nolf | Preparação corporal e assistência Cora Laszlo | Trilha Sonora Luiz Henrique Xavier | Figurino Joana Porto | Projeto de luz André Boll | Produção Cristiane Klein – Dionísio Produção

Duração 40 min | Classificação indicativa Livre.

 

7, 8 e 9/10, sexta, sábado e domingo

20h – Espaço Caleidos. Zona Oeste

Mairto – Caleidos Cia de Dança

Disparado por uma notícia de jornal, o espetáculo “Mairto” discute a violência contra a homossexualidade na cultura do macho. Trabalhando na interface entre a poesia e a dança, o trabalho expõe as entrelinhas da notícia de um crime: o assassinato de um homossexual. Com poemas ao vivo, a encenação de dança remete aos eventos de boxe e MMA. Cada cena-round é um jogo coreográfico que convida o público a refletir sobre a questão da violência contra os afetos na cultura do macho.

Mostra Caleidos 20 Anos – 18º Fomento à Dança

Direção Isabel Marques | Codireção e dramaturgia Fábio Brazil | Elenco Nigel Anderson, Edu Mansu, Jaílson Rodriguez, Renata Baima, Kátia Oyama, Ágata Cérgole e Felipe Lwe (estagiário) | Música Nigel Anderson e Fábio Brazil | Poemas e declamação Fábio Brazil | Preparo corporal Ana Paula Mastrodi |Iluminação Rafael Lemos | Produção Mobilis Ltda – ME

Duração 45 min | Classificação indicativa Livre.

 

8/10, sábado

14h – Casa de Cultura M´Boi Mirim (Zona Sul)

Breves Partituras para Muitas Calçadas – Lagatixa na Janela
A calçada é um universo, um território cheio de paisagens, de objetos e modos de estar…

A calçada é mar? É rio? É córrego? É quintal? A calçada ficava à beira de uma criança…

A calçada é casa, é cama, mesa, jardim, cadeira, sala, banheiro, teatro, lojinha, sala de dança, lugar de brincar, espaço de ir e vir, de esperar, de encontrar, de se despedir…

A calçada é uma margem de uma ilha chamada quarteirão…

Direção Artística Uxa Xavier I Performers Aline Bonamin, Barbara Schil, Suzana Bayona, Tatiana Cotrim e Thais Ushirobira I Produção Ação Cênica Produções Artísticas 

Duração 40 min | Classificação indicativa Livre.

 

15h – Casa de Cultura M´Boi Mirim (Zona Sul)

Por que Danço? (Manifesto Poético) – Grupo Diversidança

“Por que Danço?” é a primeira intervenção do projeto “Ensaios Cartográficos”, realizado pela Cia Diversidança, por meio de site specific. O Manifesto Poético reuniu depoimentos de diversos artistas da dança, que relataram parte de suas histórias dentro de um contexto político-social. Entrelaçados com os dos próprios integrantes, seus relatos servem de ignição para que os transeuntes/espectadores possam compartilhar seus modos de ser, sentir e pensar a dança.

Grupo convidado para integrar a programação da Mostra na Zona Sul.

Direção geral e artística Rodrigo Cândido | Assistência de direção artística Rosângela Alves | Concepção e criação artística Rodrigo Cândido | Intérpretes-pesquisadores Alessandro Saldanha, Felipe Santana, Iliandra Peluso, Marcio Vitorino, Rodrigo Cândido, Rosângela Alves e Vinicius Borges | Trilha sonora original EdIT e Tosca Suzuki | Edição da trilha sonora Rodrigo Cândido | Sonoplastia Guilherme Moreira | Figurino e customização:  Diversidança | Depoimentos Ana Bottosso, Andrea Soares, Andrey Alves, Cléia Varges, Cleber Vieira, Lucimeire Monteiro, Ivan Bernardelli, Pedro Costa, Priscila Maria Magalhães, Nany Oliveira, Roni Diniz, Sandro Borelli, Valeria Ribeiro, Vaneri Oliveira e Vinicius Francês.

www.ciadiversidanca.wordpress.com

Duração 45 min | Classificação indicativa Livre.

 

16h – Praça Jardim Miriam. Zona Sul

Encruzilhada (Intervenção Urbana) – Fragmento Urbano

19h – Centro de Formação Cultural Cidade Tiradentes. Zona Leste

A História da Dança que se faz hoje
Mostra de processos e compartilhamento de experiências e práticas de grupos e artistas da Zona Leste – Teatro e Áreas externas do CFCCT

Ca.Ja: float –  in – Degustação para uma dança

Mostra de jogo cênico que envolve o improviso dentro das investigações da cia para criação

Coletivo Calcâneos – O Poder do Discurso

Mostra de processo dos estudos de discurso histórico que o coletivo vem realizando e conversa sobre o tema: O Poder do Discurso.

Coletivo Ieee – Eterno Suspeito

A pesquisa coletiva do grupo tem a intenção de  relatar corporalmente um estado de subversão do jovem da periferia, que traz consigo uma estética marginalizada pela sociedade.

Coletivo Válvula – Linha de Fuga

Compartilhamento do processo do espetáculo que associa o pensamento de Guilles Deleuze para falar da vida cotidiana

Com[som]antes  Cia de Arte – “CiSZa” – desdobramento, parte 1

Compartilhamento do processo de desdobramento da obra ‘CiSZa’,

parte 1 de 4, que fala dos silêncios

Grupo Ximbra – Movimento em Verso

Poetas e Dançarinos criam um hibridismo entre dança e literatura, pondo em movimento e poesia a memória social periférica.

 

20h – Tendal da Lapa. Zona Oeste

Nuvens Insetos – Cia Fragmento de Dança

“Nuvens Insetos” se inspira nos afetos que provocam uma “última carta”. Cartas de ruptura. Cartas de despedida. Cartas suicidas. Em 2011, a Cia abordou os passantes do Centro Cultural São Paulo e coletou cartas a partir da seguinte pergunta: “o que você escreveria se fosse sua última carta?”. Em 2016, refizeram a pergunta, dessa vez, na Praça da Sé. O contexto e a época possibilitaram experiências diversas, mas há, em comum, pedidos de desculpa, saudade, histórias interrompidas. A criação reflete sobre o conteúdo dessas cartas e também sobre formas de comunicação, num tempo marcado pelo mundo virtual e pela carência de relações presenciais. Real e ficcional se misturam, buscando formas de se encontrar no outro e de encontrar o outro em si.

Coreografia e Direção Vanessa Macedo | Assistência de coreografia Maitê Molnar |

Intérpretes Chico Rosa, Daniela Moraes, Diego Hazan, Flavia Tiemi, Maitê Molnar e Vanessa Macedo | Colaboração artística Angela Nolf | Colaboração – Linguagem De Libras Caio Graneiro | Preparação Corporal José Ricardo Tomaselli (Clássico) e Vanessa Macedo (Contemporâneo) | Luz André Prado | TrilhaGustavo Domingues | Cenografia e figurino Cia Fragmento De Dança | Produção Margarida Sequeira Duarte

www.ciafragmentodedanca.com.br

Duração 45 min | Classificação indicativa Livre.

 

21h – Centro de Formação Cultural Cidade Tiradentes. Zona Leste

Sob a Pele – TF Style

Existo. E, na pele, minha existência concretiza-se em constante relação entre corpo e ambiente, corpo e cidade. Navalha que corta todos os dias, deixa rastros na pele e traz, veladamente, suas marcas enrugadas pelo tempo. Maior órgão do corpo humano, local do toque, da pressão, da sensibilidade, do suor, do cheiro, do prazer… A pele, relicário sagrado, clausura terrificante. Na pele, uma impressão digital que constitui este ser. Mas quem sou? Esta obra busca refletir sobre as várias percepções sentidas profundamente sob a pele.

Direção geral e concepção Igor Gasparini | Direção artística Frank Tavantti | Provocações Isis Gasparini, Robson Ferraz e Thiago Alixandre | Elenco: Arthur Alves, Bruna Sant’Anna, Helon Hori, Igor Gasparini, Isis Gasparini, Luiz Paulo Cordeiro, Marcia Marcos, Marcos Werneck, Mayara Rosa e Natália Moura |Desenho de luz Gabi Araújo | Iluminação Natália Peixoto | Figurinos David Schumaker | Produção Jéssica Alonso

www.tfstyle.com.br

Duração 50 min | Classificação indicativa 14 anos

 

21h – Teatro Alfredo Mesquita. Zona Norte

Bananas 15 – Núcleo Artérias

Em “Bananas 15”, o Núcleo Artérias investigou construtos de gênero por meio da exploração de imaginários e desejos considerados exclusivamente masculinos. O trabalho expõe a reiteração do gesto, que formata e modula corpos, criando volumes e modos de ocupar e dominar territórios. “Bananas 15” questiona fronteiras entre gêneros, entre espectador e performer, em uma série de experiências acionadas pelo sistema digestório do corpo e seus padrões básicos de sobrevivência. “Bananas 15” explora um corpo visceral, primitivo, faminto. Insaciável no seu desejo de consumir e descartar imagens, lugares, tempos e pessoas. Um corpo que prevalece, uma invenção do masculino que ainda molda presenças dominantes

Concepção/direção Adriana Grechi | Performance/criação Bruna Spoladore, Lívia Seixas e Nina Giovelli | Colaboração/estágio Luiza Meira Alves | Provocadores Robert Steijn e Marcelo Evelin | Trilha sonora Dudu Tsuda | Iluminação André Boll | Operação de luz Diego Gonçalves | Produção Fractal Produção Cultural – Amaury Cacciacarro Filho | Assistência de produção Erika Fortunato | Produção executiva Guilherme Elias

www.nucleoarterias.com

Duração 45 min | Classificação indicativa 16 anos.

 

9/10, DOMINGO

 

16h – Real Parque. Zona Sul

Encruzilhada (Intervenção Urbana) – Fragmento Urbano

 

19h – Teatro Alfredo Mesquita. Zona Norte

Cisza (II de IV) – Com(som)antes Cia de Arte

“Cisza” fala dos silêncios. Fala mudamente. É uma obra de dança. Em 2016, a Com[som]antes olha para essa criação, que se construiu e modificou no decorrer da trajetória da companhia, e propõe alguns procedimentos para aprofundar e entender os silêncios que já foram e os que ainda são. “Cisza Parte II –  Engolir desejos, 2ois; tecer, ter sido, tração de uma relação; memória A2, bloqueio A2, afastamento A2; cordão umbilical.

Grupo convidado para integrar a programação da Mostra na Zona Norte.

Diretor Harrison Rodrigues | Intérpretescriadores Camila Pan, Harrison Rodrigues, Lucas Lopes e Thais dos Reis | Cantora Bárbara Bandeira

www.comsomantes.com.br

Duração 45 min | Classificação indicativa Livre.

 

20h – Tendal da Lapa. Zona Oeste

Sob os Olhos de Oyá – Ojú Oya

O espetáculo “Sob os Olhos de Oyá” nos leva à uma viagem aos nossos ancestrais, a partir de movimentos característicos dos orixás, do samba baiano e das narrativas corporais trazidas pela dança de berço africano, mas de criação poeticamente brasileira. 

Grupo convidado para integrar a programação da Mostra na Zona Oeste.

Direção  Luiza Ylone | Dançarinos Antonio Carlos Hennies, Luiza Ylone, Kelly Francelina dos Santos, Mariane Oliveira, Silvana de Jesus, Wellington Campos | Músico Egmar Alves da Silva | Produção Mariane Oliveira

http://angoleirosimsinho.org.br/

Duração 40 min | Classificação indicativa Livre.

 

10/10, SEGUNDA

15h – Centro de Referência da Dança. Centro

Tupiliques – O Espetáculo – Repentistas do Corpo

“Tupiliques – O Espetáculo” é livremente inspirado no livro “Tupiliques – Heranças Indígenas no Português do Brasil”, do escritor César Obeid, que se utilizou dos limeriques para rimar palavras indígenas, de origem Tupi. Os limeriques são uma forma de poesia inglesa, que apresenta situações engraçadas ou absurdas. A Cia. Repentistas do Corpo recriou este universo “tupilicoso” de palavras e realiza um espetáculo lúdico e ritmado, onde os poemas, cantados, dançados e falados pelos intérpretes, conduzem crianças e adultos por um Brasil de natureza, bichos, frutas, personagens do folclore, comidas e lugares batizados pela língua Tupi.

Concepção e direção geral Sérgio Rocha | Criadores intérpretes Cláudia Christ, Marcela Miyashita, Sérgio Rocha e Vitor Bassi | Desenho e operação de luz Ari Buccioni | Trilha sonora original Edson X | Poemas musicados Sérgio Rocha | Operação de som Mário Spatizziani | Figurinos e adereços Luciene Grecco | Fotos Solange Avelino | Produção executiva Cláudia Christ e Sérgio Rocha

http://ciarepentistasdocorp.wix.com/cia-repentistas-do-corpo

Duração 50 min | Classificação indicativa Livre.

 

11/10, TERÇA

19h – Centro de Referência da Dança. Centro

Cartas Individuais – Experimento poético sobre imagem em movimento

A Cozinha Performática – Marcos Moraes

Acompanhada de Marcos Moraes, a poeta Natalia Barros recria a performance apresentada na Movimenta#2, Festival de Performances na Galeria Mezanino, São Paulo, que une palavra com as imagens geradas durante o processo de criação do vídeo “Sabroso”, de Osmar Zampieri – um dos “pratos” da Cozinha Performática, em um experimento que se desdobra em cena.

Concepção Natalia Barros | Performance Natalia Barros e Marcos Moraes | Video Osmar Zampieri | Técnica Mauro Martorelli

www.acozinhaperformatica.com

Duração 25 min | Classificação indicativa Livre.

 

20h – Centro de Referência da Dança. Centro

Movimento para um homem só – Perversos Polimorfos

O ponto de partida para a pesquisa corporal e estética de “Movimento para um homem só” foi a ocupação “Better out than in”, parceria entre Banksy e os artistas brasileiros Os Gêmeos. Com trabalhos criados diariamente em um cenário inóspito – embaixo de uma ponte de Nova Iorque -, as intervenções aconteceram durante o mês outubro de 2013, como forma de satirizar as galerias de arte e apoiar o movimento Occupy, que levou jovens às ruas para protestar contra a corrupção e a desigualdade econômica e social.

Direção e concepção Ricardo Gali | Intérpretes-criadores Jerônimo Bittencourt e Rafael Limongelli | Iluminação Aline Santini | Trilha sonora Lourenço Rebetez | Figurino Ricardo Gali | Colaboração na pesquisa de movimento Beatriz Sano | Colaboração artística Natália Mendonça e Maurício Florez | ProduçãoGabriel Tolgyesi | Direção de produção José Renato Fonseca de Almeida | Produção administrativa Cais Produção Cultural

https://www.facebook.com/CiaPerversosPolimorfos/?ref=ts&fref=ts

http://www.perversospolimorfos.com.br/

Duração 45 min | Classificação indicativa Livre.

 

12/10, QUARTA

19h – Centro de Referência da Dança. Centro

Beija minha mão – Cia Danças Cláudia De Souza

Terceiro e último trabalho da Trilogia Samba, “Beija minha mão”, encerra as comemorações dos 20 anos da Cia Danças Claudia de Souza. Em Beija minha mão, a Cia verticaliza a compreensão sobre o Samba enquanto um processo ritualístico, que vem dialogar com o interesse de tratar os aspectos sociais e relacionais da cultura brasileira para além de seu folclore. O espetáculo se desenvolveu a partir da construção de um estado corporal subjetivo – o estado de Liminaridade – de colocar-se no limite, ou entre dois estados diferentes de consciência e existência, exigindo do intérprete entrega, presença, atenção e uma fisicalidade própria. Este estado de Liminaridade vem somar elementos e sensações à pesquisa de linguagem desenvolvida ao longo desses 20 anos de existência da Cia.

Projeto Danças 2º Ano – 18º Fomento à Dança

Direção Geral Claudia de Souza | Assistente de Direção Cristiana de Souza | Elenco: Claudia de Souza, Cristiana de Souza, Janaína Castro, Yeda Peres | Assistência de palco Carolina Tomaz, Rozmarie Araruna e Douglas Salgado | Edição de trilha sonora Clara Portela | Iluminador Flávio M. Silva |Programação Visual Luiz Trigo (Voga Design Gráfico) | Fotografia Noélia Najera | Coordenação de Produção Cristiane Klein (Dionísio Produção) | Apoio: Cooperativa Paulista de Teatro e Espaço Cia Danças 

www.facebook.com/CiaDancasClaudiaDeSouza/

Duração 45 min | Classificação indicativa Livre.

 

20h30 – Centro Cultural Olido – Sala Paissandu. Centro

Artaud, Le Mômo – Taanteatro Companhia

Solo teatrocoreográfico de Maura Baiocchi em homenagem ao 120º aniversário do poeta francês Antonin Artaud. Baseado em textos da fase final da vida do criador do Teatro da Crueldade, inéditos no Brasil – Histoire vêcue d’Artaud-Mômo Suppôts et Supplications – “Artaud, Le Mômo” mescla as linguagens da dança, da poesia, da música e do vídeo.  Seu fio condutor é “o problema da liberdade autêntica”, indissociável, para Artaud, da criação do próprio corpo e da luta contra a institucionalização das formas de vida.

Direção, coreografia, performance e figurino Maura Baiocchi | Dramaturgia Maura Baiocchi, Wolfgang Pannek | Composição musical Gustavo Lemos | Operação de som Gabriel Edé | Iluminação Eduardo Alves | Cenografia Wolfgang Pannek | Vídeo Paula Alves, Roque Onofre Fraticelli, Bruna de Araujo |Produção Wolfgang Pannek, Mônica Cristina

www.taanteatro.com.br

Duração 90 min | Classificação indicativa 12 anos

 

13/10, QUINTA

 

17h – Praça das Artes. Centro

Abissal – Insaio Cia De Arte

“Abissal” prevê um ambiente de verticalização em torno da potência do corpo e suas consequências nas criações da iN SAiO Cia. de Arte. O desejo é habitar uma nova região, profunda e desconhecida, no que se refere aos modos e meios de produção de Claudia Palma e dos intérpretes; nova porque propõe, nesse momento, a improvisação como desafio e risco. A dramaturgia é desenhada a cada dia, trazendo a possibilidade de descobertas de diferentes espaços poéticos.

Direção geral Claudia Palma | Intérpretes-criadores Cristina Ávila, Flavia Lucato, Mariana Molinos, Natália Franciscone, Renato Vasconcellos, Thiago Sancho | Estagiária Mariana Bucci | Música original e ao vivo Guilherme Marques | Cenografia Suiá Ferlauto | Figurino Claudia Schapira | Desenho de luzHernandes Oliveira | Provocação filosófica Rodrigo Vilalba | Dança contemporânea Claudia Palma | Provocação Cristiane Paoli-Quito | Anatomia experencial Letícia Sekito | Tai Chi Chuan Jaime Kuk | Assistência de produção Cristina Ávila | Produção Cristiane Klein (Dionísio Produção Cultural)

www.insaiociadearte.com.br/

Duração 60 min | Classificação indicativa Livre.

 

19h – Centro de Referência da Dança. Centro

Blue – E² Cia de Teatro e Dança

Inspirado na obra plástica do artista britânico Chris Ofili, “Blue” faz uma reflexão poética sobre a cor azul, filtrada pela música blues, herança dos escravos negros no Delta do Mississipi. Em algum lugar entre os acordes ancestrais do blues e a tinta azul de Ofili, nasce esta dança “Blue”.  Reflexões estéticas e sociais são os motivos inspiradores nesta conversa com o azul que, assim abordado, se transforma em cor-referência e apoio poético para os dizeres coreográficos do corpo e da cena. 

Direção geral Eliana de Santana | Direção de arte Hernandes de Oliveira |

Criadores/intérpretes Eliana de Santana, Kanzelumuka, Rodrigo Eloi Leão, Hernandes de Oliveira e Dogma (o cão) | Criação de iluminação e espaço cênico Hernandes de Oliveira | Figurinos Eliana de Santana | Produção Executiva MoviCena Produções Artísticas | Produção E² Cia de Teatro e Dança. 

www.eaoquadradocia.com.br

Duração 40 min | Classificação indicativa 14

 

20h30 – Centro Cultural Olido – Sala Paissandu. Centro

Um corpo só – Cia Fragmento de Dança

“Um corpo só” é uma ficção autobiográfica, ou uma dança depoimento, ou um espaço de memórias. Na retomada de experiências significativas inscritas no corpo, passado e presente se fundem num elo de negação, afeto e dor. A “personagem” experimenta, de um novo jeito, a relação com os rigores da ginástica rítmica, a paixão pelo teatro, as aulas de piano. Isso tudo se mistura à dança que lhe interessa hoje, fricção entre forma-sentido, sedução por artistas e obras confessionais, discussão do feminino. É criança, filha, mãe. Desejo de ser o outro. Sonhos que atravessam e são atravessados de vida e ficção.

Criação e dança Vanessa Macedo | Colaboração artística Angela Nolf, Maitê Molnar, Janaina Leite e Núcleo de Projetos/Grupo XIX de Teatro | Trilha Carlos André e Vanessa Macedo | Colaboração musical Murilo Emerenciano | Luz André Prado

Figurino Daíse Neves | Professores José Ricardo Tomaselli (clássico) e Rodrigo Vieira (improvisação) | Produção Margarida Sequeira Duarte | Citações Maria do Carmo Brandão, Virginia Woolf, Cecilia Meireles, Adriana Jorgge

Duração 45 min | Classificação indicativa 12 anos

14/10, SEXTA

17h – Centro Cultural Olido – Saguão. Centro

Ostrossauro – Núcleo Mirada

“Ostrossauro” é uma performance coreográfica em looping, de três corpos interdependentes conectados pelas relações de peso e suporte, cujo objetivo é o atravessamento de um espaço público caracterizado como via de trânsito de pedestres. A duração da perfomance é determinada pela distância do trajeto a ser percorrido.

Criação Núcleo MIRADA – Karime Nivoloni, Liana Zakia e Christiana Sarasidou | Produção executiva Cais Produção Cultural | Direção de produção José Renato Fonseca de Almeida | Assistente de produção Isis Andreatta |

Duração: 60 min | Classificação indicativa: Livre.

 

20h30 – Centro Cultural Olido – Sala Paissandu. Centro

Um Poema para CarmenNúcleo de Dança e Performance Marcos Sobrinho

A performance tem como ponto de partida o universo de Carmen Miranda. Exercício cênico composto por elementos de dança, artes visuais e música, além de questionar a “liberdade” de criação do artista em sua trajetória, busca novas possibilidades de aproximações entre as linguagens da dança e da música.

Concepção, dramaturgia e performance Marcos Sobrinho | Músicos Luiz Cláudio Sousa, Edson Silva e Franck Oberson | Intervenções dramatúrgicasTalita Alcalá Vinagre | Figurino Tereza Monteiro | Iluminação Rafael Petri | Design de Som e Vídeo Téo Ponciani | Produção MoviCena Produções Artísticas |Direção Geral Marcos Sobrinho

www.nucleomarcosobrinho.blogspot.com

Duração 45 min | Classificação indicativa Livre.

 

14,15, 16, 21 e 22/10, SEXTA E SÁBADO, 21h; DOMINGO, 20h

Centro Cultural São Paulo – Sala Jardel Filho

#Devolve 2 horas da minha vidaProjeto Mov_oLA

Em continuidade a sua pesquisa no cruzamento entre dança, cinema e novas tecnologias, o Projeto Mov_oLA apresenta uma releitura de “Janela Indiscreta”, transportando o clássico do mestre Alfred Hitchcock para os dias de hoje. Nesta livre adaptação, a janela do fotógrafo obcecado pela vida alheia se transforma em outra, mais atual e viciante: as “janelas” do seu smartphone. Dividido em três atos, com pausas para selfies, “#Devolve 2 horas da minha vida” questiona e convida o público a usar o celular durante a obra, através de um aplicativo especialmente criado pra essa finalidade.

Direção e Concepção Alex Soares | Assistência de direção Paula Zonzini | Elenco Átila Freire, Ícaro Freire, Maria Basulto, Paula Sousa e Wilson Aguiar | Músico convidado César Aranguibel | Vídeos e Desenho de som Alex Soares | Desenho de luz e operação Rossana Boccia | Músicas Gogol Bordello, Hildur Gudnadottir, Arvo Pärt, Duke Ellington, Frank Sinatra, Max Richter | Sonoplastia e voz off Alexandre Zullu | Cenário Wilson Aguiar | Figurino Cassiano Grandi | Produção Paula Sousa/ Filemon 7 Produção Ltda | Integração fsiopsíquica Paula Zonzini | Danças urbanas Eliseu Correa | Preparação teatral Luciana Canton | Fotografia Clarissa Lambert |

Colaboradores Beatriz Sano, Diego Oliveira, Dilênia Reis, Eduardo Fukushima, José Artur Campos, Manuela Aranguibel, Milton Biscaro, Rafaela Sahyoun, Renan Martins, Sônia Mota | Desenvolvimento app Alex Soares | Hospedagem app: AppMachine

www.projetomovola.com

Duração 70 min | Classificação indicativa 10 anos.

 

15/10, SÁBADO

19h – Centro de Referência da Dança. Centro

Procedimento 2 para lugar nenhumVera Sala

Para a bailarina Vera Sala, processo de criação é uma rede ou conjunto de acionamentos e conexões que se formam e que vazam para além do chamado “produto artístico”. Seus trabalhos, sempre em processo contínuo de criação e transformação, contribuem para fomentar novas perguntas, reflexões e experimentações, criando instabilidades e “perturbações” naquilo que já está instaurado no corpo e nos seus modos de proceder. Em “Procedimento 2 para lugar nenhum”, “o tempo suspenso expõe fendas no corpo. No esgarçamento deste intervalo do tempo, o corpo se exaure, esvazia, dissolve seus contornos e limites. O silêncio, o desaparecimento e a inoperância se instauram não como passividade, mas como resistência”. (Vera Sala)

Concepção e direção geral Vera Sala | Arquitetura e luz Hideki Matsuka |

Desenho de som Tom Monteiro | Estímulo à auto percepção do movimento José Antonio Lima | Colaborações e compartilhamentos Diego Alves Marques, José Antonio Lima, Rubia Braga, Valeska Figueiredo | Agradecimentos pela colaboração artística Luiz Päetow | Cenotécnico Wanderley Wagner da Silva |Assistentes de Arquitetura Vinicius Cardoso Ferreira e Vitor Yoshio | Montagem Serralheria Normandão e Luis Victalino | Assistente de produção Marcelo Leão | Direção de produção Dora Leão – PLATÔproduções

Duração 50 min | Classificação indicativa 12 anos

 

20h30 – Centro Cultural Olido – Sala Paissandu. Centro

Exercícios Compartilhados 1 – Núcleo de Improvisação

No campo da improvisação, a transitoriedade e a efemeridade das ações ganham relevo; a todo momento, as conexões entre as diversas práticas artísticas podem tomar diferentes formas. O Núcleo de Improvisação propõe um roteiro aberto ao instante da encenação. A dança é composta no jogo entre música, luz, espaço, figurinos e público. Para estes compartilhamentos optamos por trabalhar com um procedimento de pesquisa a cada apresentação. Em “Exercícios Compartilhados 1”, priorizamos explorar uma coordenação base de cada dançarino para, através dela, estabelecer possíveis diálogos com a iluminação e a música.

Concepção, direção artística e preparação corporal Zélia Monteiro | Criação dança Ernesto Filho, Flávia Scheye, Gisele Calazans, Marcela Páez e Paulo Carpino | Criação luz Hernandes de Oliveira | Criação musical Felipe Merker Castellani | Criação figurino Joana Porto | Produção Ação Cênica Produções Artísticas | Assistente de Produção Rafael Petri

www.nucleodeimprovisacao.com.br

Duração 50 min | Classificação indicativa Livre.

 

16/10, DOMINGO

17h – Vale do Anhangabau. Centro

Esculturas Breves  – Musicanoar

 “Esculturas Breves” surge na discussão entre corpo e cidade a partir de aproximações e distanciamentos. Entre confrontos e confluências, são atos de vida que vão se delineando, interpelando e convocando possibilidades de coexistências a partir do desejo em estabelecer ações artísticas. Nessa perspectiva, o pensamento de moveres habita esta instalação coreográfica gerada entre distintos pensamentos e poemas corporais. No percurso dessa pesquisa surge uma dimensão crítica do mover.

Projeto Nufricar –  20º Fomento à Dança

Núcleo Artístico Musicanoar Helena Bastos e Raul Rachou | Direção Geral e concepção Helena Bastos | Artistas-colaboradores Afonso Alves Costa, Carolina De Nadai, Danilo Sene, Felipe Rocha, Helena Bastos, Nathalia Fonseca Freitas, Tatiana Melitello e Raul Rachou | Direção de produção Cristiane Klein

Duração 90 min | Classificação indicativa Livre.

 

19h30 – Centro Cultural Olido – Sala Paissandu. Centro

Brasílica Extemporâneo – Cia Brasílica

 

17/10, SEGUNDA

15h – Centro de Referência da Dança. Centro

Para Todos os Seguintes – key zetta e cia

“Para Todos os Seguintes” é o primeiro espetáculo infantil da key zetta e cia. Ambientado no universo da mágica, este trabalho convida as crianças de todas as idades a mergulharem na intensidade da dança e da criação de modo vigoroso. Cinco integrantes dançam intensamente criando encontros e efeitos, ao som da guitarra ao vivo, gerando um fluxo de acontecimento e suas variações inesperadas.

Direção Key Sawao e Ricardo Iazzetta | Intérpretes: Carolina Minozzi, Key Sawao, Mauricio Flórez e Ricardo Iazzetta | Trilha sonora: Ramiro Murillo |

Música ao vivo Ramiro Murillo ou Aguinaldo Bueno | Coordenação de arte e espaço cênico Hideki Matsuka | Assistência Beatriz Sano | Fotos Cris Lyra |

Produção Núcleo Corpo Rastreado

Duração 40 min | Classificação indicativa Livre

 

Dia 19/10, QUARTA

19h – Centro de Referência da Dança. Centro 

Coreô – Caleidos Cia de Dança

“Coreô” é uma dança em jogo e um jogo em cena. Desdobramento do trabalho do Núcleo de Pesquisa Coreológicas, coordenado por Isabel Marques, o espetáculo propõe a criação de cenas em tempo real a partir de jogos que proporcionam dança. Os jogos oferecem princípios e desdobramentos para construção das cenas de dança. Dançando, os jogadores compartilham com o público propostas que podem ser jogadas ou assistidas.

Projeto Lapa, eu vou a pé – 18º Fomento à Dança.

Direção e concepção Isabel Marques | Codireção Fábio Brazil | Propositores Kátia Oyama, Nigel Anderson, Renata Baima, Ágata Cérgole | Preparao Corporal Ana Paula Mastrodi |

Iluminação Rafael Lemos | Produtor Nigel Anderson | Produção Mobilis Ltda ME

www.caleidos.com.br

Duração 50 min | Classificação indicativa Livre

 

20h30 – Centro Cultural Olido – Sala Paissandu. Centro

Fluxos Invisíveis – Núcleo OMSTRAB

“Fluxo Invisível” mescla música e dança contemporânea, tendo como fonte de inspiração a relação do homem com a água. A partir de uma pesquisa sobre os rios ocultos de São Paulo e toda a problemática hídrica, criou-se uma dinâmica onde os fluxos sonoros e de movimento trazem à tona, de forma poética, uma das questões mais urgentes do mundo contemporâneo. Em cena, a música ao vivo é criada por uma percussão experimental por meio de garrafas pet, tubos de pvc, instrumentos como flauta, violão, saxofone, kalimba. A coreografia se revela um jogo corporal com os caminhos que envolvem a água e entra em simbiose com texto e música.

Projeto  20 anos do OMSTRAB –  Fomento à Dança

Artistas Alex Martins, Fernando Lee, Pedro Peu, Rossana Boccia, Thais Diniz, Thiago Duar e Vagner Cruz | Músicas e texto Fernando Lee | Arranjos Núcleo OMSTRAB | Criação de adereços musicais Pedro Peu | Direção de arte Rodrigo Araújo | Cenografia Leonardo Ceolin | Pesquisa de figurinos Adriana Vaz e Rogerio Romualdo | Costureira Patrícia Freire | Iluminação Marisa Bentivegna | Engenheiro de som André Magalhães | Vídeo Daniel Carvalho | Supervisão Francisco Medeiros | Preparação corporal Glauco Muller Bottura | Consultoria corporal Márcio Greyck | Assistente de produção Bianca Muniz | Produção executiva Andrea Pedro | Direção geral Fernando Lee

Duração: 60 min | Classificação indicativa: Livre.

 

20/10, QUINTA

14h30 – Percurso Largo de São Bento – Praça Antônio Prado. Centro

Ultrapássaros  – …AVOA! Núcleo Artístico

Fluxo. Corte. Percurso. Verticalidade, círculos e espirais. “Ultrapássaros” integra uma série de ações que tem como ponto de partida o corpo em diálogo com uma natureza urbana do centro de São Paulo e com a história da cidade presente nas brechas – concretas e simbólicas –, aqui e agora. Rito. Na Rua São Bento, revoadas são avistadas: pombos, andorinhas, maritacas, urubus. Uma dança-acontecimento, vivente entre o que está na terra sob o asfalto e acima das cabeças. Multidão. Vestígios e intensidades de uma coreografia  entre duas igrejas, uns edifícios altos, algumas encruzilhadas, milhares de pessoas, mantras urbanos, memória indígena, rios invisíveis, gestos de trabalho, policiais, correntes de ar, histórias de vida, colunas vertebrais, palavras, corações e pés. Ultrapassar em rito. Ultrapássaros. 

Projeto Vir-a-Ser, para Manutenção de pesquisa artística – 20º Fomento à Dança.

Concepção …AVOA! Núcleo Artístico | Direção Luciana Bortoletto | Intérpretes-criadores Mônica Caldeira, Pablo Cavalcanti e Rodrigo Rodrigues | Artista aprendiz Izabel Uliana Martinelli | Preparação corporal Luciana Bortoletto (Dança; práticas somáticas) e Luis Louis (Teatro Físico/ Mímica Total) | SonoplastiaLuciana Bortoletto | Textos, poesia haicai e figurinos …AVOA! Núcleo Artístico | Produção Aline Grisa/ Bufa Produções | Assistência de produção Felipe de Galisteo

http://corpodancacidade.wordpress.com

http://nucleoavoa.com

Duração 45 min | Classificação indicativa Livre.

 

17h – Praça das Artes. Centro

Um moço muito branco – Experimentos Primeiras Estórias – Silenciosas + Gt’ame

A proposta do projeto Primeiras Estórias é pesquisar o livro “Primeiras Estórias”, de Guimarães Rosa, passando por todos os seus 21 contos e realizando, a cada um deles, um experimento cênico. Todo mês um conto é usado para criar sensações e imagens que tornam-se combustível para criar qualidades de dança, possibilidades coreográficas e explorações textuais, primeiro individualmente e depois em grupo. Caminhos dramatúrgicos começam a surgir tanto das práticas quanto do texto, e, aos poucos, vão-se definindo as características específicas para cada experimento. Ao final de cada mês, o processo é aberto ao público. “Um moço muito branco” é o conto/experimento que será compartilhado durante a Mostra do Fomento.

Diretor Diogo Granato | Intérpretes-Criadores Diogo Granato, Flávia Scheye, Flávio Falcone, Ilana Elkis, Michelle Farias, Veronica Piccini, Victor Abreu | Produção executiva Cau Fonseca – Mítica ! | Produção Guilherme Funari

https://amornoimproviso.wordpress.com/

Duração 45 min | Classificação indicativa Livre.

 

19h – Centro de Referência da Dança. Centro

Desmonte – Juliana Moraes

Desmonte baseia-se na experiência vivida pelo casal Juliana Moraes e Gustavo Sol (codiretor da peça), quando ele foi tratado de uma doença grave. Poemas de Vaslav Nijinsky, vozes coletadas no cotidiano e textos de Juliana são editados em partitura sonora que a bailarina escuta com fones de ouvido. Movimentos do balé clássico e sua disciplina militarizada, além de controles externos por campainhas, pressionam o corpo da performer fazendo do limite a estrutura cênica da peça. O solo lida com muitas camadas de signos, emoções e sensações: a dor do outro para não se perder na própria, a fala que se transmuta em gestos, o balé e sua relação disciplinar pela repetição, estados de presença poética entre o controle e a entrega, o limite não como representação, mas como estrutura cênica.

Direção Juliana Moraes e Gustavo Sol | Concepção, coreografia e interpretação Juliana Moraes | Preparação de intérprete Gustavo Sol | Iluminação Cristiano Pedott | Adaptação de desenho de luz Fernando Pereira | Montagem e operação de luz e som Armando Junior | Produção Gustavo Sanna e César Ramos / Complementar Produções | Canção None but the lonely heart (Op.6 No.6), de Pyotr Tchaikovsky. Interpretação de Christianne Stotijn e Julius Drake.

www.julianamoraes.art.br

Duração 40 min | Classificação indicativa 14 anos

 

20h30 – Centro Cultural Olido – Sala Paissandu. Centro

Olhar De Neblina – Cia Dança Sem Fronteiras

Inspirado na obra de Evgen Bavcar, fotógrafo e filósofo esloveno que perdeu a visão aos 12 anos, “Olhar De Neblina” estabelece um paralelo entre a construção coreográfica – que parte da individualidade dos intérpretes com habilidades mistas (com e sem deficiência) e formações diversas – e a ideia de que a fotografia não pertence somente a quem enxerga. No escopo identitário e imagético de “Olhar de Neblina”, a fotografia também está conectada à noção de um “ver-através-da-palavra”, onde o toque e as múltiplas alternâncias sensoriais permitem uma experimentação sem limites.

Direção Fernanda Amaral | Atuação Fernanda Amaral, Camilla Rodrigues, Jaqueline de Souza, Beto Amorim, Lucineia dos Santos, Icaro Rodrigues e Gabriel Sousa | Dramaturgia Teresa Athayde | Consultoria Literária Ricardo Barberena |

Trilha Original Beto Sporleder e Daniel Muller | Figurino e cenografia David Schumaker | Iluminação André Lemes | Fotografia Ricardo Teles (imagens parte do espetáculo e de divulgação) | Projeções Rodrigo Papa | Produtor Roberto Campos |

Produção Dança sem Fronteiras

Site: https://patuadanceability.wordpress.com/

Duração 60 min | Classificação indicativa Livre.

 

21/10, SEXTA      

14h30 – Vale do Anhangabau. Centro

Dança por correioZumb.boys

“Dança por Correio” tem o desejo de comunicar-se com os transeuntes – viajantes de sua própria cidade e turistas de uma vida dedicada ao infinito trabalho e busca pelo conforto –, utilizando seus corpos para traduzir as sensações de um “ser urbano”. A intenção é interferir nos fluxos cotidianos, na paisagem urbana, fazendo com que as pessoas escolham uma carta e, a partir dessa escolha, o intérprete-criador traduzirá os sentimentos e sensações que a carta expressou, diluindo a arte no cotidiano.

Direção Geral Márcio Greyk I Intérpretes Criadores Danilo Nonato, David Castro, Eddie Guedes, Guilherme Ferreira, Igor Souza e Márcio Greyk I Operador de som Alex Araújo I Produtor Kelson Barros [Cazumbá Produções Artísticas]

Duração 45 min | Classificação indicativa Livre.

 

19h – Centro de Referência da Dança. Centro

Não te abandono mais, morro contigo – Cia Carne Agonizante

“Não te abandono mais, morro contigo” apresenta dois amantes cansados e desiludidos pelo fim de uma paixão que se diluiu por conta da inevitável ação do tempo. O que prevaleceu foi o amor, como sentido de ausência de toda esperança. Ambos já estão mortos desde o momento em que se olham e se tocam. Suas almas, há tempos, partiram cabisbaixas para o desconhecido. Como um grito abafado no ar, se entrelaçam desesperadamente, numa espécie de dança da morte, completamente destituídos de tudo, exceto de uma inevitável necessidade de sexo para celebrar o desenlace. O desejo de se libertarem deste nó górdio os faz cúmplices e os torna terrivelmente unidos.  

Concepção, coreografia e direção Sandro Borelli | Intérpretes Alex Merino e Everton Ferreira | Intérpretes da Cia Alex Merino e Amanda Santos, Everton Ferreira, Laia Mora, Mainá Santana e Rafael Carrion | Assistente de coreografia Rafael Carrion | Trilha sonora Gustavo Domingues e Beethoven | Luz Sandro Borelli |

Figurino e cenário Grupo | Fotografia: Júnior Cecon | Preparação corporal Jose Ricardo Tomaselli e Vanessa Macedo | Produção executiva Júnior Cecon

www.ciacarneagonizante.com.br

Duração 45 min | Classificação indicativa 16 anos.

 

20h – percurso entre CRDSP e OLIDO

Puntear – Cia Damas Em Trânsito E Os Bucaneiros

“Puntear” é uma performance de ocupação de espaços urbanos e não convencionais em que a Cia., por meio da improvisação em dança e em música, faz uma leitura corporal e sensorial do lugar, valendo-se da sua arquitetura, sons, dinâmicas. Nesta proposta de intervenção, criada em 2007, a Cia. busca distribuir-se pelo espaço, causando a diluição do foco, chamando a atenção do público para diferentes ângulos e novas possibilidades de olhar, habitar e intervir no espaço no momento presente. A dança pode acontecer em solos, duetos ou em grupo, pode-se dançar no silêncio ou com a música construída ao vivo pelo grupo. Os habitantes desse lugar passam de espectadores a construtores, transformadores e vivenciadores de seus próprios espaços cotidianos. Concepção Cia Damas em Trânsito e os Bucaneiros | Direção Alex Ratton Sanchez |

Intérpretes-criadores Alex Ratton Sanchez, Carolina Callegaro, Ciro Godoy, Clara Gouvêa e Larissa Salgado | Figurino Iara Wisnik, Larissa Salgado e Cia |Músicos convidados Ângelo Ursini, Bruno Duarte | Produção Paula Sassi

http://ciadamasemtransito.com.br

Duração 50 min | Classificação indicativa Livre.

 

20h30 – Centro Cultural Olido – Sala Paissandu. Centro

Uma Coisa Muda – Núcleo EntreTanto

“Uma Coisa Muda” se configura a partir do diálogo com “O Inominável”, de Samuel Beckett.

…essa necessidade de parar, essa impossibilidade de parar, encontrando por quê, não encontrando mais, reencontrando, não reencontrando mais, não procurando mais, procurando ainda, encontrando ainda, não encontrando mais, não procurando mais, procurando ainda, não encontrando nada, encontrando enfim, não encontrando mais, falando sempre, sedento sempre, procurando sempre, não procurando mais, falando sempre, procurando ainda, se perguntando quê, de que se trata…

Projeto Onde Agora? Quando Agora? Quem Agora? –  18º Fomento à Dança

Direção, pesquisa corporal, criação e interpretação Wellington Duarte e Suiá Ferlauto | Dramaturgista Donizeti Mazonas | Ambientação cenográfica Suiá Ferlauto e Wellington Duarte | Ambientação sonora e desenho de luz Wellington Duarte | Operação de luz e som Rafael Petri | Produção executivaMoviCena Produções Artísticas | Fotos Keiny Andrade | Excertos “O Inominável”, de Samuel Beckett | Realização Núcleo Entretanto, da Cooperativa Paulista de Teatro

Duração 50 min | Classificação indicativa Livre.

 

22 /10, SÁBADO

19h às 24h– Praça das Artes. Centro

Encontros Perversos – Cia Perversos Polimorfos

Ensaios Perversos é uma ação cultural mensal da Companhia Perversos Polimorfos,  que propõe gerar um espaço de convivência para compartilhamento de trabalhos artísticos e conversas entre distintas opiniões e modos de produção artística. Acontece em três momentos independentes: “Conversas Sem Fim”, encontro aberto com um convidado para falar sobre políticas culturais e uma possível economia para a dança, seguida de “Preliminares”, onde artistas podem apresentar seus trabalhos em processo, e “Dance Floor”, que fecha o programa com um DJ convidado para aquecer a pista de dança até à meia-noite.

Direção e concepção Ricardo Gali | Realização Cia Perversos Polimorfos | Produção Rafael Limongelli | Direção de produção José Renato Fonseca de Almeida | Produção administrativa Cais Produção Cultural

www.facebook.com/CiaPerversosPolimorfos/?ref=ts&fref=ts

www.perversospolimorfos.com.br/

Duração 5 horas | Classificação indicativa Livre.

.

OFICINAS

 

 8/10, sábado

10h às 13h – Casa de Cultura M´Boi Mirim (Zona Sul)

Oficina de Dança/Arte do Movimento 

Maria Mommensohn – Minik Momdó

Oficina de Dança/Arte do Movimento segundo os princípios de Rudolf Laban. A Oficina se propõe a, por meio da prática de exercícios nas quatro categorias de movimento – Corpo/ Esforço/ Forma/ Espaço –, proporcionar aos participantes uma visão ampliada do sentido de funcionalidade e expressão do bailarino/ator/educador em arte.

http://minikmomdo.blogspot.com.br/

Duração: 3 horas | Público aberta aos interessados

 

10/10, SEGUNDA

14h às 17h – Centro de Referência da Dança. Centro

Novas Fronteiras do Olhar
Fernanda Amaral – Cia. Dança Sem Fronteiras 

Conduzida pela coreógrafa Fernanda Amaral, com participação dos bailarinos com e sem deficiência do elenco da Cia. Dança sem Fronteiras, a oficina irá trabalhar, por meio de técnicas de consciência corporal, improvisação, dinâmicas de DanceAbility e dança-teatro, com uma abordagem na cultura corporal do movimento acessível a todos, acolhendo a diversidade. Ao mesmo tempo, possibilitará explorar e incorporar noções básicas e essenciais para o processo de improvisação.

Duração 3 horas | Público estudantes e profissionais das artes do corpo

 

10 e 14/10, SEGUNDA e SEXTA

14h às 18h – Centro de Referência da Dança. Centro

Estudos em Dramaturgia Coreográfica e Direção

Ricardo Gali – Cia Perversos Polimorfos

A proposta é formar um grupo de estudos, com 15 participantes, especializados em dança ou não, sob orientação de Ricardo Gali, com o objetivo de estimular a discussão a respeito da dramaturgia e direção em dança contemporânea. O intuito é expor as relações e princípios advindos de outras áreas artísticas, como o cinema e o teatro, e a utilização desse material em nossas encenações.

A noção de dramaturgia vem sendo entendida, por nós, como discurso de cumplicidade, uma vez que em cada obra nasce uma dramaturgia própria, que parte da subjetividade do coletivo de artistas envolvidos na sua criação.

https://www.facebook.com/CiaPerversosPolimorfos/?ref=ts&fref=ts

http://www.perversospolimorfos.com.br/

Duração 2 dias/4horas cada | Vagas 15 | Público aberto aos interessados

 

11, 13 e 14/10, TERÇA, QUINTA e SEXTA

14h às 17h – Centro de Referência da Dança. Centro

Exercícios entre a Graça e a Gravidade

Marcos Moraes – A Cozinha Performática

Este trabalho é dirigido a todos os interessados em desenvolver suas aptidões expressivas, corporais e solidárias, especialmente aqueles com atenção voltada às artes performativas (dança, teatro, música, performance), não importando o grau de experiência anterior ou a idade.

www.acozinhaperformatica.com

Duração 2h30 | Público aberta aos interessados

 

13/10, QUINTA

14h às 16h – Centro de Referência da Dança. Centro

Improvisação e Composição

Luiz Fernando Bongiovanni – Mercearia de Ideias

Esta oficina busca instrumentalizar os participantes com ferramentas teórico-práticas para que possam, tanto iniciar reflexões sobre coreografia, quanto colaborar em processos coreográficos. Tem como objetivo principal introduzir e desmistificar o assunto para aqueles que pouco ou quase nada fizeram de improvisação. A técnica se baseia na relação que pode ser criada a partir de interações entre partes corporais e espaço e no conceito de tarefas, com propostas de enunciados teóricos que demandam do aluno uma resolução prática.

Duração 2 horas | Público alunos de dança e teatro

 

13 e 14/10, QUINTA e SEXTA

15h às 17h – Centro de Referência da Dança. Centro

Método de Ensino Zumb.boys

Márcio Greyk – Zumb.boys

Trabalhando com a movimentação da dança de rua no estilo b-boy, a aula desperta elementos que são utilizados para qualquer linguagem corporal, seja dança, outros tipos de arte cênica ou apenas a movimentação cotidiana. Com uma preparação física, reflexões teóricas e práticas, objetiva ser um facilitador para a dança que será apresentada.

www.zumbboys.com

Duração 2 horas | Público aberta aos interessados

 

14/10, QUINTA e SEXTA

14h às 17h – Centro de Referência da Dança. Centro

Compartilhamento #3 – Estudos Coreográficos e Dramatúrgicos para espaços públicos e paisagens urbanas. 

Cia. Artesãos do Corpo

A Cia. Artesãos do Corpo convida para o terceiro compartilhamento do projeto “Tempo Suspenso”, contemplado pelo 18º edital do Fomento À Dança. O projeto prevê quatro encontros reservados ao exercício da escuta, para criar, por meio do contato com o público, colaboradores e provocadores convidados, uma rede de afetos, interesses e confluências. O terceiro encontro, “Estudos Coreográficos e Dramatúrgicos”, tem o desejo de compartilhar com os participantes os estudos coreográficos que a Cia. desenvolve, desde 1999, nos espaços públicos da cidade, com a proposta de “Dançar a rua, na rua, com a rua e apesar da rua“.

www.ciaartesaosdocorpo.art.br

Coordenação: Mirtes Calheiros e Ederson Lopes

Inscrições: enviar uma pequena carta de interesse (5 linhas), para contato@ciaartesaosdocorpo.art.br

Vagas 20  | Público aberto aos interessados

 

15 e 16/10, SÁBADO e DOMINGO

14h às 18h – Centro Cultural São Paulo – Sala Adoniran Barbosa

Novas Fronteiras do Olhar
Fernanda Amaral – Cia. Dança Sem Fronteiras 

Conduzida pela coreógrafa Fernanda Amaral, com a participação dos bailarinos com e sem deficiência do elenco da Cia. Dança sem Fronteiras, a oficina aborda a cultura corporal do movimento acessível a todos, acolhendo a diversidade. Serão trabalhadas técnicas de consciência corporal, improvisação, dinâmicas de DanceAbility e dança-teatro, ao mesmo tempo em que possibilitará explorar e incorporar noções básicas e essenciais para o processo de improvisação

Duração 4 horas | Público  estudantes e profissionais das artes do corpo

 

ENCONTROS | PALESTRAS

 

10/10, SEGUNDA

19h – Centro de Referência da Dança. Centro

V ENCONTRO DAS ARTES DO CORPO – PUC-SP

Aberto ao público em geral, os Encontros, organizados pelos alunos do curso de Comunicação das Artes do Corpo da PUC-SP, reúne estudantes, professores e artistas de todas as áreas, de dentro e fora da Universidade, para dialogar sobre questões relacionadas à arte. Modos de produção, difusão, compartilhamento, políticas públicas, leis de incentivo, manutenção de trabalhos artísticos, mercado e economia para a  Arte são alguns dos temas abordados no debate.

 

14/10, SEXTA

16h – Centro Cultural São Paulo – Sala Adoniran Barbosa 

Fórum: Diversidade, um Direito de Cidadania  

Cia Dança Sem Fronteiras

O Fórum tem como objetivo compartilhar o conhecimento e diversas experiências em práticas acessíveis e inclusivas de sucesso, incentivando o diálogo e a reflexão sobre a participação de todos como um direito de cidadania. Pautado em um dos conceitos fundamentais da educação, de que para educar é necessário aprender com o outro e com as diferenças, o Forum trará exemplos de como, por meio das artes, é possível trabalhar com grupos de pessoas com idades e habilidades diversas quebrando preconceitos e limites.

Projeto Novas Fronteiras do Olhar – 20º Fomento à Dança.

Participação Fernanda Amaral, diretora da Cia. Dança sem Fronteiras, e elenco da Cia. | Convidados Cássia Navas (professora, pesquisadora em Dança e Doutora em Artes); Ana Terra (Professora Doutora em Educação e Mestre em Artes) e Leonardo Castilho (Educador surdo das equipes MAM Educativo e Acessibilidade do MAM).

Duração 3 horas | Público todos os interessados

 

17 e 18/10, SEGUNDA, das 14h às 20h; TERÇA, das 10h às 17h

Centro de Referência da Dança. Centro

Encontro Agenda Brasil Frente Política Permanente Nacional da Dança
(Gestores de Dança do Brasil)

Antecedendo a abertura oficial do Encontro Latino-Americado dos Gestores de Dança, nos dias 17 e 18, haverá rodada nacional de rearticulação de gestores nacionais, com vistas a debater, avaliar e acompanhar o conjunto de leis, decretos, projetos de lei em tramitação e portarias que regulamentam a atuação e a participação social dos profissionais da Dança, seja nas relações trabalhistas, na condução da formação artística, nos aspectos educacionais, nas questões autorais, entre outras.

Coordenação Rui Moreira

18 a 22/10, TERÇA a SÁBADO

Centro de Referência da Dança. Centro

Encontro Latino-Americano de Gestores de Dança – Mobilidade, Identidades e Estratégias de Cooperação

18/10, 20h30 – Abertura

Com a participação de representantes Argentina, Uruguai, Bolívia, Chile, Colômbia, Venezuela, México e Equador, além de 14 estados do Brasil e várias cidades do interior e região metropolitana de São Paulo, o Encontro Latino-Americano de Gestores da Dança tem o objetivo de colaborar no fortalecimento das estratégias de cooperação, desenvolver as capacidades dos fazedores de dança e integrar as redes existentes de intercâmbio e circulação de artistas e obras na América Latina.

As palestras e rodas de conversa acontecem a partir de 19 de outubro, diariamente das 9h às 17h30, e encerram no sábado, das 14h às 17h.

Realização: CRDSP – parceria da Secretaria Municipal de Cultura de São Paulo, com a Cooperativa Paulista de Trabalho dos Profissionais de Dança.

Inscrições e informações: https://business.facebook.com/events/136994720086625/

OUTRAS AÇÕES

 

Dia 13/10, QUINTA

19h – Centro Cultural Olido – Cine Olido. Centro

Lançamento Caderno Impresso e exibição de Esquiva, ensaio audiovisual Cia Oito Nova Dança

Como produtos finais do projeto “Xondaro – da experiência de campo à intervenção urbana”, contemplado pela 18ª edição do Fomento à Dança da cidade de São Paulo, a Cia.Oito Nova Dança lança o Caderno Impresso contendo fotos e pequenos relatos de pessoas que participaram ativamente do projeto, e o ensaio audiovisual “Esquiva”, um compilado de imagens e sons captados durante o processo de imersão na aldeia Guarani Mbya Kalipety e das apresentações da intervenção urbana de mesmo nome.

Xondaro – da experiência de campo à intervenção urbana

Direção geral Lu Favoreto | Concepção de projeto e coordenação de produção Cia Oito Nova Dança – Camila Venturelli, Fernanda Gusso, Lu Favoreto e Raoni Garcia | Antropólogos orientadores Valéria Macedo, Lucas Keese e Renato Sztutman | Mediação e organização de encontro de Xondaros Jera Guarani | Orientação de estudos da performance Eleonora Fabião | Videasta Wera Alexandre e Lucas Keese | Edição Luiza Mandetta | Fotografia Vitor Vieira | Produção Danielle Cristine e Bianca Dorini

20h – Esquiva – ensaio audiovisual – Cia Oito Nova Dança

Pesquisa de linguagem e direção de movimento Lu Favoreto | Direção musical Andrea Drigo e Gregory Slivar | Orientação vocal Andrea Drigo | Criação e performance Andrea Drigo, Camila Venturelli, Fernanda Gusso, Gregory Slivar, Lu Favoreto e Raoni Garcia | Performers convidados Andréa Barbour, Beatriz Tomaz, Bia Rangel, Caio Franzolin, Caio Marinho, Carolina Gomes Moreira, Cristina Eira, Elen Minhoto, Fernanda Sanches, Gabriel Küster, Gabriela Pas, Gisele Penafieri, João Bienemann, Juliana Russo, KatherinaTsirakis, Larissa Pretti, Leticia Mourão, Lucas Dantas, Luciana Hoppe, Marilia Persoli, Nathalia Leter, Paloma Fraga, Rodrigo Andrade, Sofia Osório, Tarsila Varallo, Veronica Avellar, Vinicius Brasileiro.

Duração 120 min | Classificação indicativa Livre.

 

Dia 14/10, SEXTA

19h30– Centro Cultural Olido – Cine Olido. Centro

Jet Lagged – exibição de vídeo

Nucleo Mirada

“Jet Lagged” é uma criação videográfica dos artistas Danilo Pêra e Gustavo Pêra, sobre a “Ocupação 24 Horas Obra-Procedimento”, realizada pelo Núcleo Mirada, na Casa Tombada. Na Ocupação, o Núcleo esteve em ação por 24 horas consecutivas abertas ao público, a partir de um roteiro de procedimentos, estados cotidianos e experimentos coreográficos criados sobre as materialidades provenientes dos Procedimentos Obras, realizados ao longo do desenvolvimento do projeto Rede Cala, contemplado pela 18ª edição do Programa Municipal de Fomento à Dança.

[*jet lag: distúrbio do sono que pode afetar aqueles que viajam em curtos intervalos de tempo para lugares com diferentes fusos horários].

Criação Núcleo Mirada – Karime Nivoloni, Liana Zakia e Christiana Sarasidou | Video Danilo Pera e Gustavo Pera | Som Renata Roman | Cenotécnicos Rodrigo Galdino e Anderson Vital | Produção Executiva Cais Produção Cultural | Direção de Produção José Renato Fonseca de Almeida | Assistente de Produção Isis Andreatta

Duração 50 min | Classificação indicativa Livre.

 

Dia 15/10, sábado

19h30 – Centro Cultural Olido – Cine Olido. Centro

Sobre Ruas e Rios

Cia Damas Em Transito e os Bucaneiros

Videodança criado a partir de intervenções cênicas realizadas nas ruas de São Paulo e seus arredores, “Sobre Ruas e Rios”  mostra os diversos olhares e relações de cada intérprete-criador com a cidade, procurando evidenciar não apenas o que é visível, mas, sobretudo, aquilo que está submerso e invisível na imaginação da cidade. Assim como seus rios, invisíveis, canalizados, escondidos e contidos, o filme traz imagens que estão prestes a transbordar, sendo o corpo e a dança o meio para isso.

Direção: Alex Ratton | Intérpretes: Carolina Callegaro, Ciro Godoy, Clara Gouvêa, Laila Padovan e Larissa Salgado | Fotografia: Filipe Augusto | Montagem: Vinicius Augusto (olhos vesgos) | Produção: Paula Sassi.

Duração 45 min | Classificação indicativa Livre.

 

EXPOSIÇÃO

De 10 a 22/10 – Centro de Referência da Dança. Centro

(segunda, das 13 às 21h; terça a sábado, das 10, às 21h)

Exposição de fotos “Damas em Trânsito – 10 Anos” com exibição contínua do vídeo “Sobre Ruas e Rios”

Cia Damas em Trânsito e os Bucaneiros

DEIXE UM COMENTÁRIO