Virada Cultural 2016 terá segunda edição do concurso Rainha da Virada

Yara Sofia, participante do programa RuPaul’s Drag Race, entregará a coroa à vencedora, além de se apresentar ao longo das batalhas

DivulgaçãoSão Paulo – O Largo do Arouche será palco da segunda edição do concurso Rainha da Virada, campeonato de lipsync (dublagens de músicas) entre artistas performáticas da noite LGBT, durante a Virada Cultural 2016, que acontece nos dias 20, 21 e 22 de maio. O concurso abrirá a programação da Virada no Palco Arouche no sábado, dia 21, às 18h.

Serão 16 participantes e apenas uma será coroada a Rainha da Virada 2016 que, além do título, faixa e coroa, ganhará R$ 1.500,00. Também haverá premiação em dinheiro para quem chegar ao segundo e o terceiro lugares. O concurso terá quatro fases e a seleção musical será composta apenas por canções de artistas nacionais, antigas ou mais recentes. Maquiagem, brilho, figurino e pluma garantem a beleza da apresentação, mas o que conta, de fato, é a interpretação da música escolhida.

A apresentadora Penélope Nova, a transexual Luisa Marilac e a drag Fátima Fastfood fazem parte da equipe de juradas desta edição. O público também terá papel fundamental durante o campeonato e irá ajudar na votação com palmas e gritos de apoio para a artista que merecer ser a ganhadora, contabilizando dois pontos. Yara Sofia, conhecida também como a Miss Simpatia da terceira temporada de RuPaul’s Drag Race, será a convidada especial desta edição, responsável por entregar a coroa à vencedora.

A porto riquenha, que vive nos EUA é conhecida por seus cabelos de penteados intrincados, roupas exóticas confeccionadas por ela mesma e por performances de alta energia, incluindo dublagens de Daniela Mercury. Durante o evento, Yara Sofia fará três apresentações e promete animar ainda mais o público presente.

A primeira edição do concurso Rainha da Virada aconteceu na Virada Cultural de 2015, idealizada por Ariel Velloso, e foi um sucesso. Segundo, Velloso, a proposta do concurso é disseminar a cultura LGBT e qualquer vertente semelhante a de transexuais, drag queens, crossdressers e transformistas que façam performances em boates, clubes e eventos, independente dos anos de experiência. “Buscamos um mix entre veteranas e novatas, onde todo mundo pode ter chance”, explica. 

Outra característica do Rainha da Virada é valorizar a cultura nacional, onde apenas músicas nacionais serão interpretadas na competição: “Esse é o diferencial do concurso, que promove um lado inesperado, uma vez que geralmente nessas batalhas de dublagem são utilizadas canções de artistas pop internacionais. Dará um tempero brasileiro à performance”, conclui Velloso.

As inscrições para participar do concurso Rainha da Virada 2016 estão abertas até a próxima sexta-feira, dia 06 de maio. O regulamento e o formulário estão disponíveis no link: https://goo.gl/0tl3We

DEIXE UM COMENTÁRIO