Valsa nº 6 em curta temporada no Teatro Dulcina

Valsanº6 - Flávia Reis (Celso Pereira)
Valsanº6 - Flávia Reis (Celso Pereira)

Monólogo de Nelson Rodrigues tem uma boneca no papel de Sônia, manipulada pelos atores Flávia Reis, Julia Schaeffer, Ana Moura e Guilherme Miranda

Com direção de Alexandre Boccanera, a peça faz curta temporada no Teatro Dulcina

Sônia, personagem de Nelson Rodrigues no monólogo Valsa nº 6, escrito em 1951, foi assassinada aos 15 anos. Em cena, ela tenta se lembrar do que aconteceu e, aos poucos, vai reconstruindo suas memórias. Na montagem da Cia Teatro Portátil, Sônia é uma boneca, manipulada pelos atores Flávia Reis, Julia Schaeffer, Ana Moura e Guilherme Miranda. Com direção de Alexandre Boccanera, a peça estará em cartaz no Teatro Dulcina a partir de 11 de março. A temporada será de sexta a domingo, até 27 de março, com ingressos a preços populares: R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia).

A linguagem de animação, que permeia a trajetória da companhia, destaca a poesia presente no texto. “Nelson foi um inventor de linguagem e merece ser tratado como tal”, afirma Alexandre Boccanera. A proposta de encenação busca valorizar a essência do texto, já que “a peça tem o formato de um poema dramático”, conclui o diretor.

Em cena Flávia Reis e Julia Schaeffer, Ana Moura e Guilherme Miranda (também diretor musical), manipulam a protagonista: a boneca Sônia. Sem descaracterizar o monólogo, que é levado ao palco na íntegra, ela contracena com seus manipuladores para dar vida a este universo poético. Um piano fragmentado e projeções de desenhos animados compõem o cenário de memórias da personagem que busca remontar a sua história.

A ideia de encenar uma obra de Nelson Rodrigues com animação partiu da atriz Flávia Reis. Nos espetáculos anteriores a Cia Teatro Portátil, que desenvolve uma pesquisa sobre a linguagem da animação, criou o próprio roteiro de encenação. A atriz destaca que a temática do texto foi primordial para a escolha. “A peça questiona nossa existência. Colocar uma boneca – um objeto inanimado – em cena, cheio de vida, indagando ao espectador sobre o que é estar vivo, representa para mim uma metáfora dessa questão”, explica Flávia.

As memórias de Sônia são projetadas em filmes de animação, criação da dupla de Beatriz Carvalho e Diogo Nii Cavalcanti. A proposta é trabalhar com diferentes dimensões narrativas e metafóricas, reais e fictícias, presentes na peça. “É uma experiência estética muito especial”, define Flávia.

A temporada de “Valsa nº6”, no Teatro Dulcina, integra a programação do “Projeto Palco Portátil – 3ª edição” patrocinado pelo Ministério da Cultura, Governo Federal, Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro, Secretaria Municipal de Cultura, Valid, Promon, Crase Sigma, KS Esporte Cultura e Lazer, Ancar Ivanhoe Shopping Centers, Servenco e Projectlab.

COMPANHIA TEATRO PORTÁTIL
Há dez anos sediada na cidade do Rio de Janeiro, a Cia Teatro Portátil desenvolve uma pesquisa continuada sobre a linguagem da animação. Um trabalho de reflexão e experimentação que busca misturar diferentes linguagens. Com o material dessa pesquisa, criou os espetáculos “2 Números”, “As Coisas”, “Valsa N°6”, “Bonitinha, mas Ordinária” e se apresentou em mais de 50 cidades no Brasil e no exterior, alcançando uma plateia de aproximadamente 100 mil espectadores.

“Valsa nº6”, estreou em 2012, no Centro Cultural Banco do Brasil Rio de Janeiro. Em janeiro de 2013, esteve em cartaz no Teatro de Arena da Caixa Cultural do Rio de Janeiro. Foi selecionada pelo Programa Petrobras Distribuidora de Cultura 2013/2014 e contemplada com o Prêmio Funarte de Teatro Myriam Muniz/2013 para circular por diversos estados brasileiros.

Visite o site: www.teatroportatil.com.br

SOBRE O DIRETOR
Alexandre Boccanera é formado em direção teatral na Universidade do Rio de Janeiro, em dança contemporânea na Escola Angel Vianna e na London Contemporary Dance School. Foi bolsista do Programa de Bolsas Vitae de Artes. Trabalhou com importantes diretores do teatro brasileiro como Luis Antônio Martinez Correa, Bia Lessa, Moacir Chaves e João Falcão. É fundador e diretor da Cia Teatro Portátil, dirigiu os espetáculos “2 Números”, “As Coisas” ,“Valsa Nº 6” e “Bonitinha, mas Ordinária”.

FICHA TÉCNICA
Texto: Nelson Rodrigues
Direção: Alexandre Boccanera
Elenco: Flávia Reis, Guilherme Miranda, Ana Moura e Julia Schaeffer
Desenho Animado: Beatriz Carvalho e Diogo Nii Cavalcanti
Trilha Sonora: Guilherme Miranda
Cenário: Suiá Burger Ferlauto
Figurino: Antônio Guedes
Boneca: Raimundo Bento
Iluminação: Aurélio de Simoni
Maquiagem: Mona Magalhães
Preparação corporal: Joana Ribeiro e Marito Olsson-Forsberg
Produção Executiva: Clarissa Quintieri
Produção: Boccanera Produções Artísticas
Realização: Teatro Portátil

SERVIÇO
Espetáculo: Valsa nº 6
Temporada: De 11 a 27 de março de 2016.
Local: Teatro Dulcina (Rua Alcindo Guanabara 17 – Centro)
Informações: (21) 2240-4879
Dias e horários: Sexta e sábado, às 19h. Domingo, às 18h.
Capacidade: 429 lugares
Duração: 50 minutos
Classificação indicativa: 14 anos
Gênero: Drama
Ingressos: R$10 (meia) e R$20 (inteira)
Horários da bilheteria:
De quarta a domingo, das 14h às 20h.

Assessoria de imprensa do espetáculo

Bianca Senna (21) 9 5100-6557| 97928-0055 | bianca@astrolabiocom.com.br
Paula Catunda (21) 98795-6583 | 2286-6583 | paula.catunda@gmail.com

DEIXE UM COMENTÁRIO