Uma noite de ode ao rap com Criolo, Rael e Marechal

Criolo em show na Barra (Foto: Roberto Porlan)

Uma aula de cultura hip hop foi apresentada no Metropolitan, tradicional casa de shows da Barra da Tijuca, na última sexta (16). Rodrigo, Israel e Kleber, mais conhecidos, respectivamente, por Mc Marechal, Rael e Criolo, deram voz ao melhor do rep nacional. O show marcou a turnê de releitura do primeiro disco de Criolo.

Ainda há tempo, e ainda há música de alta qualidade no país. Quem foi embora ao fim da sequência de três shows certamente não discordará dessa afirmação. Em boa parte, graças ao primeiro a subir ao palco, Marechal. Com um flow indiscutível e letras repletas de conhecimento e conteúdo, o respeitado rapper apresentou um show curto, mas com alguns dos seus maiores sucessos. “Espírito Independente” e “Griot” foram cantadas em coro por um público que ainda teve a oportunidade de ouvir uma música inédita, feita em parceria com Mart’nália, que estará presente no seu primeiro disco, aguardado em breve.

O tapete vermelho já estava estendido, e com reverência, subiu ao palco um dos artistas mais aclamados na atualidade, Rael. Com uma setlist que mesclou músicas do seu último EP, “Diversoficando”, faixas do “Ainda Bem Que Segui As Batidas do Meu Coração” além de músicas do seu antigo grupo “Pentágono”, o cantor fez uma apresentação impecável, até quando o microfone falhou. E ainda brindou o público com acapella do single ‘Rouxinol’, que será lançado nessa terça (20) e dá nome ao próximo CD do rapper. A música formou um medley com ‘Envolvidão’, que já aparece há um tempo entre as mais tocadas do país, e elevou a voz da plateia, balançando os corações ‘envolvidões’. O show também contou com a participação de Marechal, na música “O Hip Hop é Foda”.

Rael divide palco com Marechal (Foto: Pedro Drago / Sopa Cultural)
Rael divide palco com Marechal (Foto: Pedro Drago / Sopa Cultural)

Já na madrugada de sábado, uma representação em desenho de Criolo apareceu andando no telão do Metropolitan. Conforme se aproximava, subia ao palco o dono do show mais esperado da noite. O espetáculo de imagens e luzes era o cartão de visita para a apresentação engajada e forte que viria. Criolo mostrou que o posicionamento e a atitude podem vir aliadas de músicas bem escritas e arranjadas. E foram essas as características mais marcantes da apresentação que mostrou faixas do seu trabalho “Ainda há tempo”, uma releitura do seu primeiro disco.

Acompanhado do Dj DanDan nos vocais, e de DJ Marco nas pick-ups, o rapper cantou também músicas de seus outros trabalhos, “Convoque seu Buda” e “Nó na Orelha“, e entre uma música e outra mostrou o engajamento de sempre. Além de mensagens como “Diretas Já” e “Fora Temer” aparecendo no telão, ele falou sobre a violência contra a mulher. “Uma mulher não é um objeto!”, disse, arrancando palmas do público.

A apresentação manteve a qualidade até o final. E, diferentemente do show que fez em julho na Fundição, onde só foi apresentada acapella, a música que dá nome ao trabalho, ‘Ainda há tempo’, foi cantada completa, e terminou o show com o público em êxtase. Criolo cantou a igualdade, o respeito, a representatividade e acima de tudo o sentimento que segundo ele deveria permear todas as relações. “Em primeiro lugar é o amor, irmão”, enfatizou.

DEIXE UM COMENTÁRIO