Ultima semana do Festival Palco Giratório recebe espetáculos de dança e drama

Palco do Espaço Cultural Escola Sesc recebe ultimas peças às 19h30, grátis

O Festival Palco Giratório – evento que acontece no Espaço Cultural Escola Sesc – e traz atrações do Brasil inteiro entre espetáculos de teatro e dança, oficinas, intervenções artísticas e debates, chega a sua última semana. O projeto tem como objetivo promover um intercâmbio das artes cênicas, através de uma programação que reúne 20 grupos de várias regiões do Brasil, além de grupos do Rio de Janeiro especialmente convidados para esta edição.

Na segunda-feira(30), o palco do Espaço Cultural Escola Sesc recebe o espetáculo “A Projetista“. A bailarina e coreógrafa Dudude Herrmann, de Belo Horizonte (MG), apresenta em cena, uma projetista (de projetos culturais) que transita por terrenos repletos de possibilidades de construção, na qual só a imaginação alcança. Um espetáculo lírico, performático que traz uma discussão a respeito das leis de incentivo e suas contradições envolvendo o artista nos planos da criação e da burocracia.

A coreógrafa carioca Marcela Levi e a coreógrafa argentina radicada no Rio de Janeiro, Lucía Russo criaram a peça de dança “Mordedores“, que se apresenta no Espaço Cultural Escola Sesc , na terça-feira (31). Uma dança feita com corpos esquisitos, seres estranhos, meio animais. Essa é a força de um trabalho que desconstruiu o corpo perfeito, apresentando dançarinos cujos corpos têm uma incrível capacidade de afetar e de ser afetados. A montagem foi escolhida como um dos 10 melhores espetáculos de dança de 2015 na lista do jornal O Globo.

Na quarta-feira(01) é a vez da Cia Stravaganza (RS) apresentar “Pequenas violências – silenciosas e cotidianas” que fala sobre um atropelamento sem vítimas fatais contado do ponto de vista de diferentes testemunhas. O texto acaba revelando que por detrás desse acontecimento ‘banal’ algo mais terrível está para ocorrer. O modo como intolerâncias do dia a dia podem culminar em tragédias, como o massacre de Realengo em 2011, é o mote do texto do dramaturgo Fernando Kike Barbosa, premiado no Rio Grande do Sul.

Encerrando as programações do Espaço Cultural Escola SESC, na quinta-feira (01), o espetáculo “Benedita“, da Cia. Sino, representa o estado da Bahia no Festival Palco Giratório 2016. A Premiada peça traz à tona a preservação de Patrimônio Imaterial Cultural com atuação, texto e direção de Bruno de Sousa, que encarna uma mulher curandeira, lavadeira e feiticeira. Promove reflexões sobre o tema e, através de contações de histórias, mergulha na cultura popular.

30/05/2016 – Segunda-feira
Espetáculo: A projetista
Dança – Dudude (artista/intérprete) – Belo Horizonte (MG)
Horário: 19:30
Local: Palco
Duração: 70 Minutos
Capacidade: 600 lugares
Classificação Etária: 12 anos

Sinopse: Em um projeto não existe nada além de um enorme espaço vazio a ser ocupado. Sua nutrição é a vontade, o desejo de existir, de voar. A Projetista transita por terrenos áridos, secos, desnutridos, muito rasos. Todos repletos e plenos de possibilidades de construção, onde só a imaginação alcança. Ela se utiliza do nada para preencher o vazio do mundo, projetando-se no espaço um pouco mais à frente.

FICHA TÉCNICA Concepção, intérprete e texto: Dudude • Direção: Cristiane Paoli Quito • Assistência: Lydia Del Pichia • Figurino: Marco Paulo Rolla • Trilha sonora: Natalia Mallo & Danilo Penteado • Desenho de luz: Bruno Cerezoli • Técnico de luz: Rodrigo Campos • Captura de imagem e vídeo: Joacelio Batista e Frederico Herrmann • Suporte técnico de som e imagem: Frede- rico Herrmann • Cenotécnico: Helvécio Izabel • Produção: Patricia Imaculada de Matos • Agente: Jacqueline Castro

31/05/2016 – Terça-feira
Espetáculo Convidado: Mordedores
Horário: 19:30
Local: Palco
Duração: 50 Minutos
Capacidade: 60 lugares
Classificação Etária: 14 anos

Sinopse: Em 2014 Marcela Levi e Lucia Russo deram início a um processo de longa duração que demandava a participação colaborativa de jovens performers numa pesquisa sobre a violência, entendida e experimentada para além de suas conotações imediatas de aniquilamento, morte e destruição. Contrariando o imaginário (e as políticas culturais e sociais) que visam pacificar a violência por meio de uma dopagem, de um esvaziamento de energia – também eles, evidentemente, violentos – realizados em nome de harmonia edificante, Marcela Levi e Lucia Russo incorporam a energia da violência como disparadora de uma espiral de forças em tensão. Ao corpo contemporâneo blindado e asséptico, na desesperada busca de uma fortaleza auto-protetora envolvido em fantasias cosméticas contrapõe-se um corpo permeável, mais elástico, que pode romper, que suja e se suja, que pensa e é pensado, morde e é mordido.

FICHA TÉCNICA Direção artística: Marcela Levi & Lucía Russo • Performance e co-criação: Daniel Passi, Gabriela Cordovez, Ícaro Gaya, João Vitor Cavalcante, Leonardo Carvajal, Lucía Russo e Tamires Costa • Co- laboração dramatúrgica: Laura Erber • Colaboração no processo de criação: Ana Maria Krein, Kandyê Medina, Marilena Manuel Alberto, Thiane Nascimento e Tony Hewerton • Desenho de luz: Andrea Capella e Isadora Giuntini • Desenho de som: toda a equipe figurino: Paula Stroher • Programação visual: Paula Delecave • Regis- tro audiovisual: Leo Nabuco e Luiz Guilherme Guerreiro • Registro fotográfico: Paula Kossatz e Renato Mangolin

01/06/2016 – Quarta-feira
Espetáculo: Pequenas violências-silenciosas e cotidianas
Drama (teatro adulto) – Cia. Stravaganza – Porto Alegre (RS)
Horário: 19:30
Local: Teatro
Duração: 55 Minutos
Capacidade: 600 lugares
Classificação Etária: 14 anos

Sinopse: O texto parte de um fato corriqueiro e aparentemente sem maior gravidade: um atropelamento no qual não há vitimas fatais. A partir do olhar de diferentes testemunhas desse acidente a trama evolui como um quebra-cabeça, e acaba revelando que por detrás desse acontecimento “banal” algo mais terrível está para ocorrer. O texto foi vencedor, em 2011, do Prêmio de Dramaturgia Ivo Bender da Prefeitura de Porto Alegre e do Instituto Goethe. Em 2014 recebeu o Prêmio Açorianos de Melhor Dramaturgia e os Prêmios Braskem de Melhor Espetáculo e Melhor ator no 21º Porto Alegre em Cena.

FICHA TÉCNICA Texto e direção: Fernando Kike Barbosa • Elenco: Cassiano Ranzolin, Janaina Pelizzon, Liane Venturella, Rafael Guerra e Rodrigo Mello • Figurino: Coca Serpa • Iluminação: O Grupo • Trilha sonora original: Paulo Arenhart • Fotografia: Vilmar Carvalho • Programação visual: Ariel  Aguiar

02/06/2016 – Quinta-feira
Espetáculo: Benedita
Drama – Cia. Sino – Salvador (BA)
Horário: 19h30
Local: Teatro
Duração: 60 Minutos
Capacidade: 100 lugares
Classificação Etária: 12 anos

Sinopse: O espetáculo traz à tona a preservação de Patrimônio Imaterial Cultural com humor e densidade quando leva o público a conhecer de perto Benedita, uma misteriosa senhora contadora de histórias. Ela carrega uma gigantesca trouxa na cabeça. Em meio aos panos que traz, existem roupas sujas de cores vivas. Benedita conta a história dessas indumentárias especiais – peças que marcaram sua vida centenária. Sua apresentação é um ritual de passagem que passeia entre o trágico e o cômico para a construção de uma personagem genuinamente brasileira. Uma mulher-mito, contadora de histórias, lavadeira-curandeira-bruxa-feiticeira, no limite da vida. Benedita tece destinos através dos casos que conta, relatando uma história arquetípica e mitológica.

FICHA TÉCNICA Texto, direção e atuação: Bruno de Sousa • Orientação: Fábio Vidal e Danilo Pinho • Cenografia: Rodrigo Frota • Trilha sonora: Leandro Villa • Figurino: Diana Moreira • Desenho de luz: Pedro Dultra • Maquiagem: Ramona Azevedo • Operação e montagem de luz: Elton Pinheiro • Produção: Em Cartaz produções artísticas (Martha Avelar e Thais Teixeira)

DEIXE UM COMENTÁRIO