“Tempo, um monólogo circense” se apresenta de graça na Penha

Na sessão de sábado haverá recurso de audiodescrição para deficientes visuais

foto: Fernanda Tomaz
foto: Fernanda Tomaz

‘Tempo, um monólogo circense’ encerra a sua temporada de circulação pelas arenas culturais da Prefeitura, com sessões gratuitas nos dias 22 e 23 de outubro às 19h, na Arena Carioca Dicró (Parque Ari Barroso, s/nº. Penha). 

‘Tempo’ é um monólogo circense onde a personagem, o próprio artista de circo, divide com o público suas experiências na arte e na vida, incitando o espectador a pensar sobre o tempo. “Quanto tempo dispomos para realizar nossos sonhos, construir uma história, recomeçar? O que nos restará quando não houver mais tempo? Nada como o tempo! Todo o tempo é pouco! Tempo é dinheiro!”

O ator e acrobata Bruno Carneiro utiliza-se de técnicas de contorção, acrobacia de solo e aérea e divide com o público suas experiências, oferecendo lembranças de sua vida durante os tempos áureos em que era um artista de renome do Circo Tradicional. As lembranças saem de uma caixa de Pandora, como um convite para vivenciar um momento íntimo e pessoal do próprio artista. Em “Tempo” a força física se encontra com a doçura do movimento, numa interpretação forte e marcante, mas ao mesmo tempo sutil, delicada e tocante.

“Nada escapa ao tempo, nem as artes que mudam para se adequar às tendências do mercado e aos movimentos estéticos de sua época. O circo mudou suas formas ao longo dos anos e neste espetáculo, um recorte do hoje e do ontem são postos em uma mesma página a fim de revelar o efeito do tempo na história do circo”, explica Bruno.

Raquel Rache, codiretora artística do grupo francês CREAC – ARCHAOS, dirige o espetáculo e assina a dramaturgia em parceria com Bruno.

“Dirigir e contribuir para a construção dramatúrgica de “Tempo” foi uma novidade, pois foi a primeira vez que dirigi um solo. Normalmente dirijo grupos com muitos artistas, e estar com um só foi uma bela aventura. Levei o Bruno à outros lugares do imaginário e ele me respondeu com propostas criativas que me levavam à outros lugares do imaginário dele. O dialogo e o jogo foram a base de nosso trabalho”, afirma Raquel, que também é a produtora e organizadora da Bienal Internacional das Artes do Circo, em Marsella, na Franca.

Trajetória
‘Tempo, um monólogo circense’ estreou em 2015, em Marsella, na França, dentro da programação da Bienal Internacional das Artes do Circo, considerado o maior evento circense do mundo com a produção e organização da Archaos/Pôle National des Arts du Cirque – instituição francesa voltada para o desenvolvimento do circo de criação.  O solo, coproduzido pelo PINAC em parceria com o artista Bruno Carneiro, permaneceu um mês em cartaz apoiado pela Escola Nacional de Circo\FUNARTE e o Crescer e Viver. No mesmo ano, a montagem foi adaptada para encenações ao ar livre e se apresentou em praças de Aracaju, Recife e Belo Horizonte, contemplado pelo Prêmio Funarte Arte de Rua 2013. Em 2016, fez sua estreia nos palcos do Rio de Janeiro se apresentando nas Arenas Culturais da Prefeitura.

SERVIÇO

Tempo, um monólogo circense

Data: 22 e 23 de outubro às 19h
*sábado (22) haverá recurso de audiodescrição para deficientes visuais

Arena Carioca Dicró
Endereço: Parque Ari Barroso, s/nº. Penha
Telefone: (21) 3486-7643
Capacidade: 338 lugares
Classificação: 14 anos
Entrada franca
Duração: 60 minutos. 

FICHA TÉCNIA

Intérprete: Bruno Carneiro
Autores: Bruno Carneiro e Raquel Rache
Direção: Raquel Rache
Olhar coreográfico: Sylvie Guillermin, Paula Maracajá
Preparação de ator: Maíra Kestenberg 
Músicas: Pedro Tie e Tauan Pim
Consultoria de trapézio: Delizier Rethy, Dorinha Vianna
Cenário e figurino: Gabi Windmuller e Edvalda Moura
Cenário: Bruno Dante
Identidade visual: Diogo Monteiro
Coprodução: CREAC- ARCHAOS
Parceiros: Escola Nacional de Circo/Funarte , Circo Crescer e Viver e Espaço ARTRIC.
Produção: Pagu Produções
Realização: Cia Bruno Carneiro

DEIXE UM COMENTÁRIO