Teatro Inominável encerra temporada de repertório no Centro Cultural Justiça Federal

Vazio é o que não falta, Miranda (foto: Maíra Barillo)
Vazio é o que não falta, Miranda (foto: Maíra Barillo)

O Centro Cultural Justiça Federal encerra neste mês de abril a temporada da INOMINÁVEL OCUPAÇÃO com duas criações de repertório da companhia carioca Teatro Inominável: a comitragédia ‘Vazio é o que não falta, Miranda’ (06 a 21 de abril) e a performance ‘O Narrador’ (27 e 28 de abril). As sessões acontecem as quartas e quintas, às 19h, com ingresso a R$30.

A comitragédia ‘Vazio é o que não falta, Miranda’ apresenta quatro atrizes-atores e um diretor na tentativa, sem sucesso, de encenar a peça Esperando Godot, de Samuel Beckett. Nesta criação, a cada noite, os artistas da companhia se revezam entre os papéis, apresentando uma peça sempre refém do instante em que acontece, marcada pela presença incontornável do erro e da instabilidade. Miranda percorreu inúmeros festivais por todo o Brasil, além de ter cumprido inúmeras temporadas no Rio de Janeiro.

Lembranças, poemas, cartas e troca de e-mails compõem O Narrador, um encontro entre Diogo Liberano e o público através do gesto de contar histórias.  A partir do texto homônimo de Walter Benjamin (1892-1940), Liberano compartilha vivências próprias ligadas à morte de parentes e amigos buscando lançar um olhar renovador sobre a experiência da vida. Performance indicada pela dramaturgia aos Prêmios Shell e Cesgranrio no Rio de Janeiro.

Com um histórico de seis criações, além de duas edições da mostra hífen de pesquisa-cena (indicada na categoria especial ao Prêmio Questão de Crítica em 2012), atualmente, a companhia Teatro Inominável começa a produzir a terceira edição da mostra (prevista para novembro de 2016), bem como está – simultaneamente – desdobrando duas novas criações cênicas: o espetáculo Sob o amor, com direção da inominável Natássia Vello e uma performance solo composta pelo inominável Márcio Machado, intitulada Yellow Bastard, com direção e dramaturgia de Diogo Liberano.

SERVIÇO

INOMINÁVEL OCUPAÇÃO

Local: Centro Cultural Justiça Federal
Endereço: Av. Rio Branco, 241 – Centro – Rio de Janeiro/RJ
Dias e horários: quartas e quintas às 19h
Lotação: 141 lugares
Duração: entre 60 e 90 minutos
Classificação: 16 anos
Telefone: 3261-2565
Bilheteria: 16h às 19h
Ingresso: R$30 | $15

Datas:

 ‘Vazio é o que não falta, Miranda: 06 a 21 de abril.

‘O Narrador’: 27 e 28 de abril

Teatro Inominável
O Inominável surgiu em 2008 na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) pelo encontro dos artistas-pesquisadores Adassa Martins, Caroline Helena, Diogo Liberano, Flávia Naves e Natássia Vello. Desde 2014, a companhia é composta por mais sete artistas: Andrêas Gatto, Clarissa Menezes, Gunnar Borges, Laura Nielsen, Márcio Machado, Thaís Barros e Thiago Pimentel.

Em sua investigação, o Inominável busca articular teatro, performance e cidade, investindo em poéticas autorais que visem problematizar a realidade tal como se apresenta. Além da criação de peças e performance, a companhia realiza também a Mostra Hífen de Pesquisa-Cena, mostra bienal de artes da cena, que terá terceira edição em novembro de 2016 no Rio de Janeiro.

Com suas criações, para além do Rio de Janeiro, a companhia já percorreu diversos estados brasileiros e festivais de destaque, tais quais: TEMPO_FESTIVAL (Rio de Janeiro/RJ), Festival de Teatro de Curitiba (Curitiba/PR), Mostra Rumos Cultural – Itaú Cultural (São Paulo/SP), Festival Nacional de Teatro de Presidente Prudente (Presidente Prudente/SP), Festival Internacional de Teatro de São José do Rio Preto (São José do Rio Preto/SP), Festival Estudantil de Teatro (Belo Horizonte/MG), Festival Palco Giratório (Porto Alegre/RS), dentre outros.

DEIXE UM COMENTÁRIO