Teatro documental de Coimbra faz turnê pelo Brasil

foto: Carlos Gomes
foto: Carlos Gomes

Uma criação do diretor português Ricardo Correia, à frente da Casa da Esquina, o espetáculo documental O meu país é o que o mar não quer, vai circular pelo Brasil, passando pelo Rio de Janeiro, São Paulo e Belo Horizonte, onde participará do Festival Internacional de Teatro – FIT. No Rio, o grupo se apresenta nos dias 7 e 8 de maio (sábado e domingo) na Cia de Teatro Contemporâneo, em Botafogo, onde também vai ministrar oficinas de interpretação e cenário.

O espetáculo nasceu da estadia de Ricardo Correia em Londres, quando esteve no país como bolseiro da Fundação Calouste Gulbenkian, uma instituição portuguesa sem fins lucrativos destinada a fomentar o conhecimento e  a melhorar a qualidade de vida das pessoas através das  artes, da beneficência, da ciência e da educação.

A peça é construída através do testemunho de emigrantes portugueses que tiveram de sair de Portugal devido às medidas de austeridade europeia, ou que deixaram o País por vontade própria mas que não conseguiram regressar por falta de perspetivas de futuro na sua terra de origem.  

foto: Carlos Gomes
foto: Carlos Gomes

Os relatos foram obtidos por meio de entrevistas, cartas, fotos e e-mails e conta também com o testemunho do diretor. “Além de ser retrato da atual conjuntura econômica portuguesa, é uma história de uma geração dividida entre partir e ficar”, comenta Ricardo Correia.

“Sinto um vazio enorme no meu coração, longe da minha gente, e ver tudo a desmoronar à distância parece um espectáculo mórbido e eu estou na plateia.”

(trecho do espetáculo O meu país é o que o mar não quer)

Sinopse: A peça é construída através do testemunho de emigrantes portugueses que tiveram de sair de Portugal devido às medidas de austeridade europeia, ou que deixaram o País por vontade própria mas que não conseguiram regressar por falta de perspetivas de futuro na sua terra de origem

Casa da Esquina
A sede do grupo Casa da Esquina, situada no centro de Coimbra, é um novo ponto na rede cultural de Coimbra e de Portugal, onde se cruzam experiências e por onde passam novos projetos com artistas nacionais e internacionais, nas mais diversas áreas, entre elas o teatro,  a escrita e as artes plásticas.

SERVIÇO / AGENDA CULTURAL

O meu país é o que o mar não quer
Criação, interpretação e direção: Ricardo Correia
Dias 7 e 8/5, às 21h30
Local: Cia de Teatro Contemporâneo – Rua Conde de Irajá, 253, Botafogo.
Telefone: (21) 2537-5204.

DEIXE UM COMENTÁRIO