De tempos em tempos surgem obras como “Under the Skin” (2014), pondo abaixo paradigmas hollywoodianos. O longa é dirigido por Jonathan Glazer (Sexy Beast), que se inspirou no livro de mesmo nome, escrito por Michel Faber e consegue mostrar uma nova tentativa de ser fazer cinema.  E Possivelmente irá pregar uma peça nos desprevenidos que irão ao cinema apenas para ver a musa Scarlett Johansson totalmente nua.

No filme, a protagonista (Scarlett Johansson) é uma alienígena sem nome que percorre as estradas da Escócia dirigindo uma van em busca de homens para devorar. Literalmente devorar. Para isso, utiliza seu charme inerente com os incautos, levando-os para seu lar. A premissa podem lembrar um filme B de terror, porém sua execução e direção de arte transformam o filme em uma obra reflexiva e perturbadora.

under-the-skin03

Em nenhum momento há o elemento de terror propriamente dito. A narrativa é  feita através de mensagens subjetivas. A parte em que os humanos são consumidos pelo “ser” é realizada em um quarto totalmente escuro com os dois atores, no qual a musa (totalmente nua!) vai caminhando e sendo seguida pela “pobre” vítima que aos poucos afunda em uma substância viscosa. A cena é acompanhada por uma trilha sonora aterrorizante , composta por violinos.

Embora seja uma premissa simples, a obra aborda temas que ousam ir além disso. A atuação de Johansson é excelente e consegue passar a idéia de um ser frio, ignorando nossa natureza e realizando apenas a função pela qual veio. Isso pode ser visto em uma cena perturbadora na praia, envolvendo um bebê. Aos poucos a personagem começa a ganhar empatia pelos seres humanos, questionando-se profundamente sobre a sua ética e moral. A trajetória da protagonista deixa o espectador questionando-se sobre sua própria ética e moral em relação a alguns fatos da vida.

under-the-skin01

No que diz respeito aos aspectos técnicos, o filme é praticamente impecável. Uma trilha sonora minimalista (quase não há música e diálogos) e bem executada, acompanhada de uma fotografia original, em especial nas cenas em que a protagonista está devorando suas vítimas. A ambientação do filme é cinza e escura, já que grande parte se passa em dias chuvosos e nublados. Um ponto interessante da produção: a atriz saiu em sua van pelas ruas da Escócia e algumas cenas são realizadas com pessoas comuns, que posteriormente descobriram que era uma produção cinematográfica.

Under the Skin é um filme diferente e não irá agradar a todos, pelo contrário. Possui uma sinopse feita para “vender ingressos”, mas irá decepcionar os espectadores que procuram Scarlett Johansson, terror e sangue. Esses elementos só irão aparecer no final, de forma subjetiva; é um filme reflexivo que precisa ser visto e depois revisto, para interpretá-lo e entender sua mensagem. Para todos os efeitos, há a Scarlett Johansson totalmente nua.

Ficha Técnica:
Ano: 2014
Título: Sob a Pele
Título original: Under the Skin
Direção: Jonanthan Glazer
Roteiro: Jonanthan Glazer eWalter Campbell
Elenco: Scarlett Johansson, Jeremy McWilliams, Lynsey Taylor Mackay

under-the-skin02

Patrick "Rick" Ribeiro - Arquivista nas horas vagas. Viciado em Games, Cinema, Séries de TV e Livros. Escreve sobre games aqui pois acha que são a maior sopa cultural de todas.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário
Por favor, digite seu nome aqui