“Silêncio”, de Renata Mizrah, volta em temporada de duas semanas de graça no Espaço Cultural Furnas

Mais uma oportunidade para ver a peça indicada a vários prêmios e a laureada atriz Suzana Faini emocionando o público como uma matriarca judia

Foto: Renato Mangolin
Foto: Renato Mangolin

Depois da aplaudida apresentação no Festival de Teatro de Curitiba e de vários prêmios e indicações desde a estreia em 2014, a peça “Silêncio!”, com texto de Renata Mizrahi, volta para mais uma temporada carioca. Serão duas semanas entre 24 de julho e 2 de agosto no Espaço Furnas Cultural, em Botafogo, com sessões gratuitas às 20h nas sextas e nos sábados, e às 19h nos domingos. Já são três prêmios no currículo – Melhor Atriz para Suzana Faini no Prêmio Cesgranrio e no Prêmio Fita, e Melhor Ator para Jitman Vibranovski (nesta temporada substituído por Léo Wainer) no Prêmio Fita, os três em 2014 – e seis indicações: Melhor Texto no Prêmio Cesgranrio e no Prêmio FITA, Melhor Espetáculo Júri Popular no Prêmio FITA, Melhor Atriz para Suzana Faini no Prêmio Shell, Melhor Atriz Coadjuvante para Verônica Reis e Revelação para o ator Vicente Coelho, ambos no Prêmio FITA; todas no ano passado.

 ”Humor, drama, histeria, compaixão, crueldade, saudosismo. Assim é o clima de “Silêncio!”, peça de Renata Mizrahi. O espetáculo leva à cena temas tabus como a discussão sobre as judias polacas (jovens do Leste Europeu que vieram para o Brasil no final do século 19 e início de século 20, e aqui se tornaram prostitutas), as relações familiares, os conflitos de gerações e os preconceitos.  

 A direção do espetáculo é da própria autora com Priscila Vidca, dupla indicada ao prêmio revelação de Melhor Direção na FITA 2013 por “Os Sapos.  No elenco, estão a veterana Suzana Faini, Léo Wainer, Elisa Pinheiro (na personagem que foi de Karen Coelho), Verônica Reis (que se reveza com Paula Sandroni), Alexandre Mofati, Gabriela Estevão e Vicente Coelho.

Um jantar judaico é o pano de fundo para a discussão de um tema tabu até hoje: as jovens judias que vieram do Leste europeu no final do século XIX e início do século XX, e que se tornaram prostitutas na América, as famosas “polacas”. Os conflitos de gerações regem a peça que apresenta uma grande virada no final. O espetáculo tem diálogos dinâmicos, com boa dose de humor ácido e perturbador.

O texto foi escrito por meio do Edital Apoio à Pesquisa e Criação Artística 2010 do Governo do Estado do Rio de Janeiro e da Secretaria de Estado e Cultura. A autora foi selecionada para elaborar uma obra sobre seu tema de pesquisa: as chamadas “judias polacas” no Rio de Janeiro. A pesquisa contou com orientação de dramaturgia do diretor Moacir Chaves. Renata escreveu um texto que se passa nos dias atuais durante uma reunião familiar e, em seguida, foram realizadas três leituras dramatizadas na cidade. A tirar por essas leituras, o público vai se identificar de imediato com a história, baseada em afetos e comportamentos que frequentemente surgem nas reuniões familiares: humor, histeria, crueldade, compaixão e saudosismo.

SINOPSE: A história se passa nos dias de hoje, num jantar de família judaico, em que o patriarca David (agora interpretado por Léo Wainer), marido de Esther (Suzana Faini), conta que está escrevendo um livro sobre sua vida. As revelações provocam indignação, brigas e um final surpreendente. O texto de Renata Mizrahi apresenta diálogos dinâmicos, mesclando drama e humor. O cenário do espetáculo é de Nello Marrese; a iluminação de Renato Machado e o figurino é de Bruno Perlatto.

Esta temporada é patrocinada por Eletrobras Furnas.

Sobre a autora e diretora: Em 2014 novembro,no CCBB, o texto “Galápagos”, pelo qual venceu o Prêmio Shell e que está em circulação no Festival de Inverno do Sesc e em breve em cartaz no Rio. A história de “Galápagos” vai virar livro a ser lançado no final deste ano.   Ainda em 2014, foi indicada para o Prêmio Cesgranrio e o Prêmio FITA na categoria Melhor Texto pela peça “Silêncio!”.  Em agosto, estreia no Sesc Tijuca com a peça “War”, novo espetáculo da Cia Teatro de Nós, com texto e trilha sonora de Renata Mizrahi e direção de Diego Molina. É uma das roteiristas dos episódios da nova temporada da série “Os homens são de Marte e é para lá que eu vou”, com direção de Susana Garcia e Herson Capri, estrelada por Mônica Martelli.

Foi vencedora do Prêmio Shell ZilkaSalaberry 2010 e 2012, na categoria Melhor Texto, pelas peças “Joaquim e as Estrelas” e “Coisas que a gente não vê”. Já a peça “Os sapos” foi indicada a melhor texto do Prêmio Cesgranrio 2014 e do FITA 2013. Ao lado de Priscila Vidca, Renata foi indicada também ao prêmio revelação de melhor direção na FITA 2013 por “Os sapos”.  Indicada ao prêmio ZilkaSalaberry 2013 pelo texto “Nadistas e Tudistas”. Escreveu também: “Bette Davis e a Máquina de Coca-Cola” (com Jô Bilac – 2012), “Francisco e o Mundo”, “Cuide bem das Orquídeas”, “Rua dos Sonhadores”, “Nada que eu disser será suficiente até que o sol se ponha” e “5 Atos”. Em parceria com Julia Spadaccini, escreveu “Um dia Anita”, e, com Fernando Caruso e César Amorim, “Lar…”. Escreveu ainda a peça inédita “O aviador”. . Em 2014, lançou – com mais 19 autoras – o livro “Manual Literário para amar os homens (ou não)”, do qual participa com o texto “Recortes do não dito”.  Em outubro do mesmo ano, esteve também em Londres (Inglaterra), onde seu texto “Isso é apenas uma cena curta” foi encenado no 503 Theatre, um espaço inovador para a nova dramaturgia da América Latina, que tem parceria do Instituto CAL de Arte e Cultura no Brasil (Faculdade de Artes Cênicas CAL).

TEXTO E IDEALIZAÇÃO
RENATA MIZRAHI 

DIREÇÃO
PRISCILA VIDCA E RENATA MIZRAHI

ELENCO
SUZANA FAINI
LÉO WAINER
ELISA PINHEIRO
VERÔNICA REIS / PAULA SANDRONI
ALEXANDRE MOFATI
VICENTE COELHO
GABRIELA ESTEVÃO

STAND-IN
PAULA SANDRONI
DANIEL CHAGAS 

CENÁRIO
NELLO MARRESE 

ASSISTENTE DE CENOGRAFIA
LAURA DINIZ

FIGURINO
BRUNO PERLATTO

ILUMINAÇÃO
RENATO MACHADO

ASSISTENTE DE DIREÇÃO
FLAVIA MILIONI 

DESIGN GRÁGICO
MÁRCIO FREITAS

FOTOGRAFIAS
RENATO MANGOLIN

PRODUÇÃO EXECUTIVA
TAMIRES NASCIMENTO

ADMINISTRAÇÃO
ALAN ISÍDIO

DIREÇÃO DE PRODUÇÃO
SANDRO RABELLO

REALIZAÇÃO
ISÍDIO PRODUÇÕES E DIGA SIM! PRODUÇÕES

SERVIÇO: Espetáculo “Silêncio!”

Local: Espaço Furnas Cultural
Endereço: Rua Real Grandeza, 219 – Botafogo
Dias: 24, 25, 26 e 31 de julho e 1º e 2 de agosto
Horário: 20h (sextas e sábados) e 19h (domingos)
De graça

Os ingressos serão distribuídos a partir das 14h, nos dias dos espetáculos,1  (um) ingresso por pessoa, limitados à capacidade do auditório

Duração: 80 minutos
Classificação etária: 14 anos
Capacidade de público por sessão: 192 lugares
Informações: 2528-5166

DEIXE UM COMENTÁRIO