Sérgio Menezes no cinema e teatro

Sergio MenezesLançado em maio, o filme “Pelé – o nascimento de uma lenda”, traça a trajetória do jogador de sua infância em Minas Gerais até a consagração na Copa do Mundo de 1958, quando tinha apenas 17 anos. O longa, coprodução Brasil/Estados Unidos dirigida e escrita por Jeff Zimbalist e Michael Zimbalist (de “Favela rising” e “The two Escobars”, ambos documentários) e produzida por Brian Grazer (ganhador de um Emmy e de um Oscar), tem um toque hollywoodiano (é todo falado em inglês) e traz em seu elenco brasileiro: Rodrigo Santoro, Milton Gonçalves, Diego Boneta, André Mattos, Vincent D’Onofrio, Seu Jorge, Kevin de Paula – que interpreta Pelé e Sérgio Menezes, no papel de Mário Américo, massagista da seleção campeã em 58.

Menezes revela que adorou gravar em inglês, pois se sente à vontade falando o idioma. “Quando uso o inglês no trabalho, ou na vida, procuro não pensar em tradução. Tento pensar na língua como ela é. Entendi essa estratégia quando morei em Vancouver – Canadá”, diz o ator. Sobre o papel, ele diz que o personagem foi uma espécie de pai do Pelé dentro seleção, pois era super protetor.

– Pelé tem uma importância absoluta para o povo brasileiro. É um dos atletas mais relevantes da história e levou o nome do Brasil para o mundo, em um momento em que não havia globalização – completa.

O ator comemora o sucesso da longa temporada de “Ou tudo Ou nada” (2015/2016) em circuito nacional e agora embarca em um novo projeto: o musical “Love Story”. A peça, uma adaptação do filme homônimo, tem direção de Tadeu Aguiar e entra em cartaz no Imperator (RJ). O personagem de Menezes é o pai da protagonista e se chama Phill Cavilleri, dono de uma delicatessen com motivos italianos. “Além de ser um homem bastante intenso, Phill um pai que ama profundamente sua filha. O sonho de Phill é que Jenny se torne a grande pianista”, finaliza Sergio.

DEIXE UM COMENTÁRIO