Sergio Gonçalves Galeria apresenta exposição de Felipe Barbosa sobre arte e esporte

Sergio Gonçalves Galeria
Opção de lazer, a exposição gratuita “Arte Funcional” do artista Felipe Barbosa está em cartaz até 17 de setembro na Sergio Gonçalves Galeria. O espaço fica no centro histórico do Rio de Janeiro, atrás do CCBB e bem pertinho da Orla Prefeito Luiz Paulo Conde. A mostra dialoga com o clima que a cidade do Rio de Janeiro vive desde o início das Olimpíadas Rio 2016 e que continua com as Paraolimpíadas.

Nesta mostra tem destaque a relação Arte/Esporte – Como ambos se inserem na natureza humana se apresentando como essenciais a ela. O artista procura traçar esse paralelo, aonde os esportes e a arte, vão ao longo do tempo procurando elementos que desafiem o homem a superar seus limites. Em como tanto uma quanto outra atividade tem se apoiado na tecnologia para essa busca. A mostra por fim, questiona a função tanto da arte como do esporte nessa busca pelo futuro.

Felipe Barbosa explica: “os objetos que escolho não são organizados de maneira aleatória. É super importante a forma que eles vão tomar a partir da função que eles tem. Outro aspecto é que a palavra “funcional” tem sido incorporada pelo esporte e fiquei pensando como eu poderia incorporá-la a arte. Refleti a relação do funcionamento do corpo, dos objetos escolhidos e da arte. E o grande questionamento é qual é a função desses elementos”.

Para a exposição o artista selecionou sete obras inéditas construídas ao longo dos dois últimos anos, todas utilizando materiais esportivos.

Dentre as obras que serão apresentadas, destacam-se: Swing 2016 (obra composta por 24 tacos de golfe em rotação) onde o movimento dos tacos de golfe repete o movimento que o jogador faz na tacada. Nesse caso o jogador é o próprio espectador da obra.

E a instalação “Turning Point” 2015-2016, que ocupará todo térreo da galeria, criando uma espécie de vortex  com cerca de 80 raquetes de tênis emulando movimento de uma jogada. Também neste trabalho o movimento do espectador é crucial para sua leitura. Essa obra conta com o apoio da marca de raquetes Head.

Em “Olimpíadas nos Trópicos 2016”, cinco faixas de Judô conectadas formam o símbolo dos jogos com um duplo sentido.

A exposição tem entrada franca e fica em cartaz até 17 de setembro. Os interessados podem visitar a galeria de terça a sexta, de 11h às 19h, e aos sábados, de 11h às 18h. A galeria não funcionará nos dias 05 de agosto e 07 de setembro.

Felipe Barbosa (Reprodução/Facebook)
Felipe Barbosa (Reprodução/Facebook)

Sobre o artista

Felipe Barbosa vem utilizando material esportivo em seus trabalhos há cerca de 10 anos, desde bolas de futebol, basquete, chuteiras, camisas, até seus mais recentes trabalhos com raquetes de tênis e tacos de golfe. Suas obras já participaram de exposições em diversos lugares do mundo, incluindo uma exposição ainda em cartaz no Museu Olímpico de Lausanne – Suíça.

Com formação em pintura e é mestre em Linguagens Visuais pela Universidade Federal do Rio de Janeiro com a dissertação: A Experiência da Arte Pública 2003/2004, Felipe Já expôs em Boston, Cuba, Nova Iorque, Miami, Argentina, Alemanha, Lisboa, Espanha, entre outros. Suas obras estão presentes nas coleções Gilberto Chateaubriand, Museu de Arte Moderna – Rio de Janeiro, Fundação Patrícia Phelps de Cisneiros, Museu de Arte moderna Aluísio Magalhães (MAMAM) –Recife e João Satamini no Museu de Arte Contemporânea – Niterói.

Serviço:

Exposição: “Arte Funcional”, de Felipe Barbosa.

Local: Sergio Gonçalves Galeria – Rua do Rosário, 38, Centro, Rio de Janeiro (próximo ao CCBB e Centro Cultural dos Correios).

Até 17 de setembro, de terça a sexta, de 11h às 19h, e aos sábados, de 11h às 18h. A galeria não funcionará nos dias 05 de agosto e 07 de setembro.

Entrada franca.

Telefone: (21) 2253-0923

contato@sergiogoncalvesgaleria.com