Sarau da Justiça tem edição com Corujão da Poesia, um dos mais tradicionais do Rio

Realizado desde 2005 e um dos mais conhecidos do Rio de Janeiro, o Corujão da Poesia – Universo da Leitura é o convidado da terceira edição do Sarau da Justiça, na quarta-feira, 21 de setembro, às 19h. Variada, a programação começa com a exibição do curta-metragem “Corujão da Poesia”, de Raphael Geyer Aguinaga, e tem na sequência performance musical, louvação à lusofonia com poesias de Fernando Pessoa, José Régio e José Saramago, vozes da juventude e, especialmente para a ocasião, roda de advogados e participação de poetas servidores do TJRJ.

Como já é tradição, haverá microfone aberto ao público e o encerramento terá “libertação de livros” – iniciativa que arrecada livros para distribuir em bibliotecas e nos chamados “pontos de libertação de livros”: delegacias, hospitais, orfanatos, lan houses e associações de moradores. Desde o início do projeto já foram arrecadados e distribuídos mais de 800 mil volumes por todo o Brasil e também no Haiti, onde as doações de livros colaboraram para a montagem da primeira biblioteca após o terremoto que devastou o país, em 2010.

Durante seis anos, o Corujão da Poesia aconteceu na extinta Livraria Letras&Expressões, no Leblon, da meia-noite às seis da manhã. Nomes consagrados das artes – como os compositores Jorge Ben Jor e Caetano Veloso -, poetas experientes e iniciantes passaram por lá e continuam prestigiando o evento, iniciativa de extensão e cultura da Universidade Salgado de Oliveira-UNIVERSO, coordenada pela assessoria de cultura da instituição. O projeto é desenvolvido em parceria com uma comunidade de artistas das mais variadas linguagens, entidades culturais, associações comunitárias, festas literárias, escolas, hospitais, fábricas, orfanatos, livrarias, cinemas, teatros e outros locais que manifestem o interesse em receber os saraus. Atualmente, o Corujão tem três polos de atuação permanente: encontros semanais no Rio de Janeiro, encontros quinzenais em Niterói e encontros mensais em São Gonçalo.

O Sarau da Justiça tem curadoria do Coletivo Peneira e de junho a novembro ocupa o antigo Palácio da Justiça com sessões de poesia, música, performance e outras intervenções artísticas. O CEP 20.000 foi o primeiro convidado, em junho. Em julho, foi a vez do Sarau Pedra Pura Poesia, do Coletivo Mulheres de Pedra. Em novembro, a programação ficará a cargo do Sarau do Escritório.

A ação faz parte do programa Cultura é Justiça, e é realizado pela Diretoria-Geral de Comunicação e Difusão de Conhecimento (DGCOM) do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro.

Serviço:

SARAU DA JUSTIÇA 2016

CORUJÃO DA POESIA – UNIVERSO DA LEITURA
Quarta-feira, 21/9 – 19h
Antigo Palácio da Justiça – Rua Dom Manuel, 26, Centro
Entrada gratuita

Próxima edição:
5/11 – SARAU DO ESCRITÓRIO

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário
Por favor, digite seu nome aqui