“Sacco e Vanzetti”- o julgamento do século reestreia no Armazém da Utopia

Primeira criação da Companhia Ensaio Aberto para o Armazém da Utopia, sob direção de Luiz Fernando Lobo, o espetáculo reestreia dia 03 de junho

Foto: Vitor Vogel
Foto: Vitor Vogel

A Companhia Ensaio Aberto reestreia o espetáculo SACCO E VANZETTI no dia 03 de junho, no Armazém da Utopia. Com direção de Luiz Fernando Lobo e espaço cenográfico de J.C. Serroni, a primeira montagem brasileira do texto do autor argentino Maurício Kartun narra o célebre caso de Nicola Sacco e Bartolomeu Vanzetti, imigrantes italianos, acusados injustamente e mortos na cadeira elétrica em 1927, nos Estados Unidos.

Após realizar uma temporada bem sucedida, representou o Brasil na Quadrienal de Braga em 2015 e recebeu indicações ao Prêmio Shell (trilha original) e Prêmio Questão de Crítica (Cenografia), o espetáculo integra o repertório da Companhia Ensaio Aberto ao lado de outras produções como Missa dos Quilombos, Havana Café e Estação Terminal.

A dramaturgia tem como ponto de partida o texto Sacco y Vanzetti de Mauricio Kartun e da farta documentação que existe sobre o julgamento histórico. Este foi considerado o “julgamento do século”  e suscitou uma enorme repulsa e uma campanha internacional de defesa que se converteu em símbolo de uma luta por justiça, igualdade e liberdade.

“O caso Sacco e Vanzetti revelou toda a anatomia de vida nos Estados Unidos, com todas as classes e pontos de vista e todas as suas relações, isso colocou todo questionamento fundamental de nosso sistema político e social.” disse Edmundo Wilson. Nas décadas que se seguiram desde que Sacco e Vanzetti morreram na cadeira elétrica, o caso continuou ressoando. Em diversas etapas da história serviu para saber que a natureza da repressão e da luta seguem, em essência, sendo a mesma.

Temor vermelho, temor amarelo, temor muçulmano. Judeus, árabes, italianos, orientais, muçulmanos. Demonizar o outro e criar um clima propício para a perseguição. Terrorismo como política de Estado. No lugar do Estado garantidor de direitos, o Estado violador de direitos. Dois homens que se definiam a si mesmos como sendo “um bom sapateiro e um pobre vendedor ambulante de peixe”, que morreram pelas suas crenças. A crença de que podiam criar um mundo livre de pobreza e exploração. A crença de que um outro mundo é possível.

A Ensaio Aberto e o Armazém da Utopia
Ensaio Aberto ocupa desde 2010 o Armazém da Utopia, no Cais do Porto do Rio de Janeiro. Neste período mais de 400.000 pessoas frequentaram nosso Armazém, realizando, de fato, a revitalização da região, com um projeto de democratização de acesso aos bens culturais para as classes populares.

“Não por acaso escolhemos Sacco e Vanzetti para ser nossa primeira criação a ser realizada na nossa nova sede”, diz o diretor Luiz Fernando Lobo.

Nos 7 anos que Sacco e Vanzetti permaneceram presos, nos Estados Unidos, a classe operária brasileira se manteve totalmente solidária, com a realização de diversos atos em várias cidades brasileiras.

No Rio de Janeiro os portuários e os operários têxteis sempre estiveram à frente destas mobilizações, realizando atos e greves. Um dos atos públicos aconteceu nas escadarias do Theatro Municipal, reunindo mais de 5 mil manifestantes. A polícia dispersou os manifestantes com golpes de sabre e a cavalaria. Apesar da forte repressão policial o movimento não arrefeceu e, a cada ano, mobilizou mais pessoas.

Durante uma greve no Rio de Janeiro o portuário José Leandro foi preso, quando a categoria lutava pela jornada de 8 horas de trabalho e a polícia, seguindo o exemplo da polícia americana, esperava que sua prisão fosse um exemplo para deter o movimento operário.

Em 2016 o espectador poderá chegar ao Armazém da Utopia de VLT, descendo  em frente ao Armazém, na Parada Utopia, na recém inaugurada Orla Conde.

FICHA TÉCNICA:

Texto: Maurício Kartun

Direção: Luiz Fernando Lobo

Direção de Produção: Tuca Moraes

Elenco:

Adriano Soares (Cesare Rossi), Bruno Peixoto (Katzmann), Danielle Oliveira (Mary Splaine), Diego Diener (Bartolomeu Vanzetti), Timóteo Heiderick (Stewart), Geovane Barone (Anarquista), Gilberto Miranda (Nicola Sacco), João Rafael Schuler (Levangie), João Raphael Alves (Thompson), Luiz Fernando Lobo (Thayer), Luiza Moraes (Agnese), Moisés Salazar (Medeiros), Nathália Marçal (Rosa Sacco), Tuca Moraes (Luigia Vanzetti), Virgínia Bravo (Anarquista)

Cenografia e espaço cênico: J.C. Serroni
Iluminação e direção técnica: César de Ramires
Figurinos: Beth Filipecki e Renaldo Machado
Música e Direção Musical: Luiz Felipe Radicetti
Diretor Assistente: João Batista
Assistente de Direção: Semírace Araujo e Nady Oliveira
Produção: Renata Stilben
Preparação de set: Cris Tavares
Preparação Corporal: Tuca Moraes
Preparação Vocal (música): Calú Silveira
Programação Visual: Marcos Apóstolo e Marcos Becker
Assessoria de Imprensa: Lead Comunicação
Ciência do Novo Público: João Raphael Alves, Agnes de Freitas, Gustavo Soares, Tânia Ferreira
Realização: Companhia Ensaio Aberto

SERVIÇO:

Temporada: De 3 de junho até 3 de julho de 2016
Estreia: 3 de junho de 2016, às 20h
Horário:  sextas 20h, sábados e domingos 19h
Local: Armazém da Utopia – Tel: 2253-8726 /2516-4857 / 98909-2402 (WhatsApp)
Endereço: Orla Marítima Prefeito Luiz Paulo CondeArmazém 6 – Cais do Porto
Preço: R$ 40,00 (inteira) R$20,00 (meia)
Classificação: 12 anos
Duração: 1h40
Capacidade: 200 lugares

Informações, agendamento de grupos e promoções: publico@ensaioaberto.com22538726 / 25164893/ 98909-2402 (WhatsApp)

DEIXE UM COMENTÁRIO