Prêmio Sesc de Literatura anuncia os ganhadores da edição 2016

13º ano da premiação contou com 1503 livros inscritos, sendo 709 na categoria Conto e 794 na categoria Romance

O Prêmio Sesc de Literatura já possui dois novos ganhadores. O pernambucano José Mario Rodrigues foi o vencedor da edição 2016, na categoria Conto, com “Receita para se fazer um monstro”, e o baiano Franklin Roosevelt foi escolhido com o Romance “Céus e Terra”.  Lançado em 2003, o Prêmio Sesc de Literatura tem o objetivo de identificar novos escritores, cujas obras possuam qualidade literária para edição e circulação nacional. 

“Além de abrir caminhos para que o meu trabalho seja divulgado em todo o país, essa conquista é um importante reconhecimento à minha produção literária”, destaca José Mário Rodrigues, 38 anos, de Garanhuns/PE. Pós-graduado em língua portuguesa, o autor é professor de português, literatura e redação. Sua obra, “Receita para se fazer um monstro”, é uma coletânea de contos curtos que tem como inspiração inicialcenas da infância – em um recorte temporal bem específico dos anos 80. A narração das brincadeiras, das descobertas, das personalidades e dos amores compõe um pano de fundo sentimental para quem vivera no início da década. A  linguagem, segundo o autor,  é trabalhada no limite da dureza e da ironia. 
  
Já o jornalista baiano Franklin Roosevelt, 47 anos, vencedor na categoria Romance com “Céus e Terra”, é pós-graduado em Direito e Processo do Trabalho e assessor de imprensa do Tribunal do Regional do Trabalho. O livro conta a história do menino Galego, que aos doze anos é convocado para salvar um cigano crucificado e acaba morrendo. Transcendendo a morte, Galego acompanhará uma família de pessoas bastante simples do sertão baiano, observando seus momentos de alegria e de dor, bem como o comportamento geral da cidade no que tange à religião e à morte. Segundo o autor, o romance tem a pretensão de chamar atenção das viúvas e mulheres em geral,  além de crianças, que são as personagens mais vulneráveis do sertão e, por isso mesmo, as que mais usam da criatividade, e constroem entre si uma rede de solidariedade. “Embora escrito por um homem, o livro é repleto de memórias de mulheres  que lembram – às vezes com alegria, às vezes com mágoa – de seus maridos e filhos desaparecidos”, reforça o autor. 
  
Os ganhadores do Prêmio estão confirmados na programação do Centro Cultural Sesc Paraty, durante a Flip 2016, que acontece de 29 de junho a 3 de julho de 2016, e também serão premiados  em cerimônia na Academia Brasileira de Letras, no segundo semestre, por ocasião do lançamento dos livros. Os trabalhos vencedores serão publicados e distribuídos pela editora Record em todo o país, com uma tiragem de 2.000 exemplares.   

Desde a sua criação, o Prêmio Sesc de literatura já revelou 23 novos autores, entre eles, a carioca Marta Barcellos e a paulista Sheyla Smanioto Macedo, vencedoras da edição 2015 nas categorias Conto e Romance, com os livros “Antes que seque” e “Desesterro”, respectivamente. Escritores revelados em anos anteriores já conquistaram importantes premiações literárias, como Marcos Peres, com “O Evangelho Segundo Hitler”, vencedor do Prêmio SP de Literatura 2014 na categoria estreantes; Alexandre Rodrigues, com a obra “Parafilias”, finalista do Prêmio Jabuti 2015; e Debora Ferraz, autora do livro “Enquanto Deus não está olhando”, vencedora do Prêmio São Paulo de Literatura 2015.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário
Por favor, digite seu nome aqui