Prêmio Sesc de Literatura anuncia os ganhadores da edição 2016

13º ano da premiação contou com 1503 livros inscritos, sendo 709 na categoria Conto e 794 na categoria Romance

O Prêmio Sesc de Literatura já possui dois novos ganhadores. O pernambucano José Mario Rodrigues foi o vencedor da edição 2016, na categoria Conto, com “Receita para se fazer um monstro”, e o baiano Franklin Roosevelt foi escolhido com o Romance “Céus e Terra”.  Lançado em 2003, o Prêmio Sesc de Literatura tem o objetivo de identificar novos escritores, cujas obras possuam qualidade literária para edição e circulação nacional. 

“Além de abrir caminhos para que o meu trabalho seja divulgado em todo o país, essa conquista é um importante reconhecimento à minha produção literária”, destaca José Mário Rodrigues, 38 anos, de Garanhuns/PE. Pós-graduado em língua portuguesa, o autor é professor de português, literatura e redação. Sua obra, “Receita para se fazer um monstro”, é uma coletânea de contos curtos que tem como inspiração inicialcenas da infância – em um recorte temporal bem específico dos anos 80. A narração das brincadeiras, das descobertas, das personalidades e dos amores compõe um pano de fundo sentimental para quem vivera no início da década. A  linguagem, segundo o autor,  é trabalhada no limite da dureza e da ironia. 
  
Já o jornalista baiano Franklin Roosevelt, 47 anos, vencedor na categoria Romance com “Céus e Terra”, é pós-graduado em Direito e Processo do Trabalho e assessor de imprensa do Tribunal do Regional do Trabalho. O livro conta a história do menino Galego, que aos doze anos é convocado para salvar um cigano crucificado e acaba morrendo. Transcendendo a morte, Galego acompanhará uma família de pessoas bastante simples do sertão baiano, observando seus momentos de alegria e de dor, bem como o comportamento geral da cidade no que tange à religião e à morte. Segundo o autor, o romance tem a pretensão de chamar atenção das viúvas e mulheres em geral,  além de crianças, que são as personagens mais vulneráveis do sertão e, por isso mesmo, as que mais usam da criatividade, e constroem entre si uma rede de solidariedade. “Embora escrito por um homem, o livro é repleto de memórias de mulheres  que lembram – às vezes com alegria, às vezes com mágoa – de seus maridos e filhos desaparecidos”, reforça o autor. 
  
Os ganhadores do Prêmio estão confirmados na programação do Centro Cultural Sesc Paraty, durante a Flip 2016, que acontece de 29 de junho a 3 de julho de 2016, e também serão premiados  em cerimônia na Academia Brasileira de Letras, no segundo semestre, por ocasião do lançamento dos livros. Os trabalhos vencedores serão publicados e distribuídos pela editora Record em todo o país, com uma tiragem de 2.000 exemplares.   

Desde a sua criação, o Prêmio Sesc de literatura já revelou 23 novos autores, entre eles, a carioca Marta Barcellos e a paulista Sheyla Smanioto Macedo, vencedoras da edição 2015 nas categorias Conto e Romance, com os livros “Antes que seque” e “Desesterro”, respectivamente. Escritores revelados em anos anteriores já conquistaram importantes premiações literárias, como Marcos Peres, com “O Evangelho Segundo Hitler”, vencedor do Prêmio SP de Literatura 2014 na categoria estreantes; Alexandre Rodrigues, com a obra “Parafilias”, finalista do Prêmio Jabuti 2015; e Debora Ferraz, autora do livro “Enquanto Deus não está olhando”, vencedora do Prêmio São Paulo de Literatura 2015.

DEIXE UM COMENTÁRIO