Premiada comédia “As Mulheres da Rua 23” retorna a Curitiba, comemorando oitavo ano de encenação

Elenco traz ator integrante do reativado Teatro de Comédia do Paraná (TCP)

Nesta quinta-feira, dia 25 de agosto, a premiada comédia carioca “As Mulheres da Rua 23” retorna a Curitiba em curtíssima temporada, no palco do aconchegante Estúdio Delírio, espaço fundado pelo diretor e dramaturgo Edson Bueno, em janeiro de 2016. 

A reestreia comemora o oitavo ano de encenação do espetáculo que soma 24 prêmios nos maiores festivais de teatro do país em um total de 224 apresentações até o fim da temporada curitibana. A peça também traz no elenco o ator Leo Campos que atualmente integra o corpo de atores do Teatro de Comédia do Paraná (TCP) que fez uma temporada de reativação com o espetáculo “O Homem Desconfortável”.

“Trazer `As Mulheres da Rua 23`, logo após minha participação na reativação do TCP, tem um gosto mais que especial, pois agora além de mostrar, mais uma vez, este trabalho para o público curitibano, que sempre nos recebeu muito bem, poderei também apresentar este trabalho para grandes amigos que fiz aqui”, diz Leo Campos.

O diretor Edson Bueno assistiu ao espetáculo em 2013, quando fez parte do júri técnico do Festival Nacional de Teatro de Campo Mourão (PR), onde o espetáculo ganhou os principais prêmios de encenação. Desde então Bueno passou a ser um entusiasta da montagem que traz a linguagem ‘nonsense’ para dar vida as personagens Jovelina e Catharina, interpretadas pelos atores Leandro Bertholini e Leo Campos, respectivamente.

“Há muito mistério em `As Mulheres da Rua 23`. Há o mistério dessas duas mulheres de um tempo passado, que se encontram para trocar suas histórias estranhas, engraçadas e originais. Há o mistério do seu destino inacreditável! O mistério dos seus passados surpreendentes. Há também o mistério dos atores. Leandro Bertholini e Leo Campos, mais do que interpretam, incorporam de uma maneira inacreditável, Catharina e Jovelina, e oferecem, generosamente, ao público, um dos mais belos exercícios de interpretação do teatro. Incrível! Apaixonante! Imperdível!, ressalta.

Escrita por dois jovens autores (Leandro Bertholini e Raphael Miguel) e com influência do Teatro do Absurdo, “As Mulheres da Rua 23” conta com humor a história de duas amigas que se encontram todos os dias, no mesmo horário e local, para contar casos e histórias de vida. Denominado “Rua 23” o lugar apresenta uma atmosfera misteriosa que vai sendo desvendada pelas personagens ao longo da trama.

Sem nomes definidos, as mulheres utilizam pseudônimos de flores para não serem descobertas no ambiente. A ação acontece em um banco de praça e um poste de meados do século XIX. A história se desenvolve a partir da morte dos respectivos maridos das personagens, revelando um final surpreendente ao público.

“Observei ao longo destes anos um amadurecimento significativo em todas as esferas dramáticas que compõem a ação. Jovelina e Catharina estão mais vivas do que nunca. A dinâmica encontrada pelos atores durante as cenas tornou os diálogos mais graciosos, leves, engraçados e ainda cheios de conflitos jogados para o público de forma sutil”, ressalta o diretor da montagem Carlos Alexandre.

Oito anos de sucesso
Surgida em 2008 entre amigos, o grupo fez suas primeiras apresentações no Centro Cultural Marista, na Tijuca, Zona Norte do Rio, revelando ao público um espetáculo despretensioso, que até hoje rende frutos positivos para a trupe: “As Mulheres da Rua 23”. Após quatro grandes temporadas no Rio e excelentes críticas, a Cia. parte para uma trajetória de viagens onde esteve em 22 cidades e 8 estados sendo selecionada por curadorias dos maiores festivais de teatro do Brasil, elevando o espetáculo ao nível de peças, apontadas pelos especialistas como as melhores do país.

Para o ator, Leo Campos, após 8 anos da estreia que marcou a trajetória do grupo, a Cia. hoje conta com um canal de divulgação na internet, por meio das redes sociais. “Temos inúmeros recados de pessoas que assistiram à peça pedindo nossas apresentações, falando sobre as personagens e dando ideias e opiniões sobre o espetáculo. O inesquecível bordão ‘Cordeiro de Deus’ falado pelas personagens Jovelina e Catharina durante o espetáculo é uma das frases mais faladas pelos visitantes da nossa página no Facebook”, conta Leo Campos.

Leandro Bertholini, idealizador do projeto, ressalta que existem pouquíssimos dramaturgos brasileiros influenciados pelo gênero Absurdo.

“Ao escrever este texto tive a preocupação de trazer uma proposta dramática pouco usual já que vemos muitas comédias sendo produzidas mais poucas em cima da linguagem non sense. Há anos que queria trazer o espetáculo para Niterói. Vai ser uma grande festa”, conclui Bertholini.

Serviço:

Espetáculo: “As Mulheres da Rua 23”
Texto: Leandro Bertholini e Raphael Miguel
Direção: Carlos Alexandre
Elenco: Leo Campos e Leandro Bertholini
Duração: 60 minutos
Local: Estúdio Delírio – Tel: (41) 3016-3769
Endereço: Rua Saldanha da Gama, 69, Centro, Curitiba
Capacidade: 30 lugares 
Temporada: 25 de agosto a 4 de setembro
Horário: quinta a sábado – 20h, domingo – 19h
Ingressos: R$ 40 (Inteira), R$ 20 (Meia – Estudantes, Idosos)  R$ 15,00 (Filipetas promocionais)
Classificação Etária: 12 anos

Ficha Técnica:
Elenco: Leandro Bertholini e Leo Campos
Direção: Carlos Alexandre
Texto: Raphael Miguel e Leandro Bertholini
Figurinista: Juçara Pereira
Maquiagem: Bianca Lage
Iluminação: Dans Souza
Cenário: Cia de Teatro Autoral
Designer: Fabio Estellita
Fotografia: Morvan Neto
Voz-off: Jorge Rosa e Raquel Câmara

Assistente de Produção: Cristina Vieira
Produção Excecutiva: Pequena Mari Produções – pequenamari.com.br
Direção de Produção: Leo Campos
Realização: Cia de Teatro Autoral

DEIXE UM COMENTÁRIO