“Plinio – A História do Maldito Bendito”, se despede do Teatro Gláucio Gill, em Copacabana

Espetáculo que conta a história do dramaturgo paulista Plinio Marcos tem texto de Maurício Arruda Mendonça e direção de Silvio Guindane

foto: Eduardo Tarran

Última semana para conferir o monólogo de Roberto Bomtempo “Plinio – A História do Maldito Bendito” em cartaz no Teatro Gláucio Gill em Copacabana. Nascido em 1935, o escritor, dramaturgo, jornalista, ator, palhaço e figura chave para o teatro brasileiro, Plinio Marcos, completaria 80 anos em 2015 se estivesse vivo.

A montagem ficará em cartaz de sexta a segunda às 20h, até o dia 28 de março.

Primeiro dramaturgo a colocar personagens que vivem à margem da sociedade como protagonistas, Plinio é autor de peças como “Barrela”, “Abajur Lilás”, “Navalha na Carne”, “Homens de papel”, “Quando as maquinas param”, “Dois perdidos numa noite suja”, “A balada de um palhaço”, dentre vários espetáculos importantíssimos para o nosso teatro.

“O Plinio foi umas figuras mais perseguidas artisticamente no Brasil. O submundo se tornou protagonista em suas mãos. O Monólogo traz para os palcos não só uma história biográfica, mas sim uma grande história de vida que atinge o espectador em geral”, conta Bomtempo.

foto: Eduardo Tarran
foto: Eduardo Tarran

O texto é inédito, baseado em diversos livros escritos pelo próprio autor e tem a dramaturgia assinada por Mauricio Arruda Mendonça. Dirigido por Silvio Guindane, a peça conta com o humor implacável de nosso protagonista, este que sempre lhe foi peculiar, mesmo passando por diversas dificuldades em sua trajetória de vida e carreira. Um espetáculo dinâmico, arrebatador e emocionante, que transita entre o trágico e o cômico, atual e extremamente reflexivo para o homem contemporâneo.   

“Devido a tanta Censura, a obra e a vida de Plinio Marcos ficaram esquecidas no tempo, mesmo após o fim da ditadura militar. O autor que pegou a fama de “Maldito”, seguiu com sua imagem estereotipada, causando um afastamento do grande público, com isso só quem perdeu durante todos estes anos foi o próprio público”, diz Bomtempo.

Sinopse:
Passado nos últimos meses de vida do autor, a personagem Plinio Marcos faz um panorama de suas andanças pela vida, desde a sua infância em Santos, sua imersão no circo como o palhaço Frajola, suas primeiras peças, a constante censura em suas obras, filhos, casamentos, sua vida de camelô e principalmente seu eterno amor pelo teatro.

Ficha técnica:

Texto: Mauricio Arruda Mendonça.
Direção: Silvio Guindane
Elenco: Roberto Bomtempo
Pesquisa: Carin Louro, Silvio Guindade e Roberto Bomtempo
Iluminação: Daniel Galvan
Cenário: Daniele Geammal
Figurino: Mel Akerman
Assistência de Direção: Janaina Moura e Sergio Maciel
Diretor de Palco e Operador de Som: Gigante César
Fotografia: Eduardo Tarran
Produtor Assistente: Igor Miranda
Direção de Produção: Miriam Freeland e Valéria Alves
Co- Produção: Sevla Produções
Realização: Movimento Carioca Produções Artísticas e Vira Lata Produções

Serviço:

Plinio – A História do Maldito Bendito

Local: Teatro Gláucio Gill – Praça Cardeal Arco-Verde – Copacabana – Telefone – 2332 7904
Horário: De sexta a segunda às 20h
Ingresso: R$ 30,00 (inteira)
Temporada: 26 de fevereiro a 28 de março.
Duração: 75 minutos
Gênero: Comédia Dramática
Funcionamento da Bilheteria: De segunda a domingo, das 16h às 20h
Classificação: Livre para todos os públicos
Capacidade: 102 lugares

DEIXE UM COMENTÁRIO