Petrópolis será palco da 1ª Edição da Festa Literária da Serra Imperial

Evento idealizado pelo Instituto Oldemburg de Desenvolvimento em parceria com o Museu Imperial inaugura nova etapa no calendário literário nacional

Pedro Vasquez, Guiomar de Grammont, Claudio Gomide, Cristina Oldemburg e Maurício Vicente Ferreira Jr

Petrópolis será palco da 1ª Edição da Festa Literária da Serra Imperial, evento idealizado pelo Instituto Oldemburg de Desenvolvimento em parceria com o Museu Imperial inaugura nova etapa no calendário literário nacional.

O Museu Imperial, unidade do Instituto Brasileiro de Museus do Ministério da Cultura, vai receber a primeira Festa Literária da Serra Imperial – FLISI com a presença de autores reconhecidos nacionalmente, entre os dias 15 e 17 de abril. Idealizado por Cristina Oldemburg, presidente do Instituto Oldemburg de Desenvolvimento, em parceria com o Museu Imperial, a FLISI terá como tema “A Memória”. A curadoria das mesas é da escritora Guiomar de Grammont, coordenadora do Fórum das Letras de Ouro Preto e professora da Universidade Federal de Ouro Preto.

A curadoria reuniu um time de peso, autores como a imortal Nélida Piñon, e os escritores e pesquisadores Nei Lopes, Mary Del Priore, Isabel Lustosa, entre outros, que celebrarão o universo da literatura, história, memória e das artes, durante os três dias da festa.

Para Cristina Oldemburg, a realização da Festa Literária da Serra Imperial irá se configurar como instrumento vivo de mobilização cultural em prol do livro e da literatura nacional na Região Serrana do Estado do Rio. “A FLISI, além de incentivar o participante a conhecer novos escritores, estimulará o pensamento crítico, por meio de palestras, debates, exposições, encontro com artistas e lançamentos literários, valorizando a comunidade cultural da região e impulsionando a cultura e a economia criativa do entorno de Petrópolis. A primeira edição da FLISI com certeza entrará para o calendário nacional literário, não só pela qualidade dos convidados, mas pela importância da cidade no contexto histórico e cultural do país”.

De acordo com Maurício Vicente Ferreira Jr., Diretor do Museu Imperial, a “Primeira Edição da Festa Literária da Serra Imperial é um convite à reflexão sobre as dimensões da História e da Memória a partir da relação do indivíduo com a literatura. Assim, o Museu Imperial amplia seu público, bem como a oferta de oportunidades para a fruição do acervo histórico e artístico sob sua responsabilidade.”

No primeiro dia, a programação tem início às 19h com a Cerimônia de Abertura, seguida da palestra “Literatura e Memória: O Livro das Horas”, com a escritora Nélida Piñon, fechando o primeiro dia do evento.

No segundo dia, quem abre a festa Mary Del Priore e Isabel Lustosa, às 10h, no Cine Teatro do Museu Imperial, com a mesa “Reinado e Império em um tempo de transformação e contradições”. Em seguida, às 14h, os autores Luiz Antônio Simas e Nei Lopes, comandam a mesa “Música, Memória e Literatura”, também no Cine Teatro. Ainda no dia 16, “Doze horas em diligência: guia do viajante de Petrópolis a Juiz de Fora”, livro que conta a trajetória de Revert Henrique Klumb, Fotógrafo da Casa Imperial, que, em 1872, publicou o interessante guia que descreve a Estrada União e Indústria, que liga Petrópolis a Juiz de Fora. A mesa terá como convidados Pedro Vasquez e dom João de Orleans e Bragança. Às 18h30 terá início “Um Sarau Imperial”, através de uma dramatização interativa que representa a sociedade da corte no século XIX. O espetáculo é embalado por modinhas imperiais e convida o público a participar com canções, declamações de poesias. Para encerrar o segundo dia de evento, o espetáculo Som e Luz promete encantar o público.

A programação do dia 17 será focada em diversas Vivências Literárias, sob a curadoria de Cristina Oldemburg. De manhã, o produtor Claudio Gomide conversa com o dramaturgo e diretor teatral, Caio de Andrade. Em seguida, haverá visita guiada à casa onde viveu e morreu o importante escritor Stefan Zweig. Às 14h, o poeta Marcio Negócio autografa o livro “Moenda”, no foyer do Museu Imperial, com participação de artistas petropolitanos. No mesmo horário, Henrique Rodrigues conversa com o público e autografa seu novo livro “O Próximo da Fila”, na sala multimídia da Inter TV.

Ainda dia 17, Luciana Bassous e Claudio Portes falam do livro “Petrópolis: Fotografia e Curiosidades”, às 16h no Foyer do Museu Imperial. No mesmo horário o Projeto

Coletivo Poesia vai reunir novos talentos da literatura, lançados pela FLUPP Pensa, no Varal de Poesia, na Galeria da Inter TV. Às 17h o artista plástico Luiz Aquila fecha o último dia recebendo convidados no atelier, para um bate-papo sobre o artista, a arte e o viver na cidade.

O Instituto Oldemburg de Desenvolvimento, em parceria com o Museu Imperial e com personalidades da vida literária, transformou um sonho coletivo em realidade. O Instituto investiu recursos próprios, de sua receita anual, na realização da FLISI, obedecendo à lei que regula as organizações não governamentais e permite o reinvestimento de recursos apenas em projetos próprios. Uma forma consciente de devolver à sociedade civil os benefícios dela recebidos, transformando moeda em riqueza cultural.

Data:
15, 16 e 17 de abril

Local:
Museu Imperial
Rua da Imperatriz, 220 / Centro – Petrópolis – RJ

Festa Literária da Serra Imperial

Tema: Memória 

A primeira Festa Literária da Serra Imperial celebra a memória da bela cidade de Petrópolis, destino aprazível para reis e imperadores, e também para alguns dos mais importantes escritores de nossa época, como Stefan Zweig.

Período: 15 a 17 de abril de 2016

PROGRAMAÇÃO

1º dia – 15 de abril / sexta-feira
19h00 – Cerimônia de abertura
19h15 – Palestra: “Literatura e Memória: o livro das horas”

Nélida Piñon

Apresentação: Christiane Michelin (Presidente da Academia Petropolitana de Letras)

A mais renomada escritora contemporânea do Brasil desfia memórias afetivas que emergem a partir de um vertiginoso turbilhão de lembranças e emoções. Nélida conviveu com os mais importantes escritores de sua época, como Garcia Marques, Vargas Llosa e Carlos Fuentes, entre outros. Nessa palestra, porém, mais uma vez ela revive sua intensa e duradoura história de amor: com a palavra. Após a palestra, autógrafos da escritora, no foyer. Vinho de honra.

Local: Museu Imperial – Cine Teatro

2º dia – 16 de abril / sábado

MANHÃ

10h00 – Mesa: “Reinado e Império em um Tempo de Transformações e Contradições”

Mary Del Priore, Isabel Lustosa

Mediação: Bruno Tamancoldi

Toda a biografia é uma janela para o passado. A intimidade da família imperial, nas últimas décadas do século XIX, consumida por traições, intrigas, amores e profunda melancolia. O destino muitas vezes dramático das princesas europeias, cujos casamentos eram contratados em virtude de interesses políticos e econômicos. Após a palestra, autógrafos dos escritores convidados, no foyer.

Local: Museu Imperial – Cine Teatro

TARDE

14h00 – Mesa: “Música, Memória e Literatura”

Nei Lopes, Luiz Antônio Simas

Mediação: Leandro A. Rodrigues

A partir dos impactos da abolição da escravatura, os autores falarão sobre o Rio de Janeiro das primeiras décadas do século 20 como uma cidade de “pequenas áfricas”, enfatizando a cultura das ruas e as formas associativas que as comunidades negras desenvolveram no período, tais como o surgimento das escolas de samba. O recorte da fala se estabelecerá em perspectiva sociocultural, destacando a importância do samba e do carnaval nos debates sobre a construção da identidade nacional brasileira. Após a palestra, autógrafos dos escritores convidados, no foyer.

Local: Museu Imperial – Cine Teatro

16h00 – Mesa: “Doze Horas em Diligência: guia do viajante de Petrópolis a Juiz de Fora”

Pedro Vasquez, Dom João Bragança

Mediação: Mauricio Vicente Ferreira Júnior

Essa estrada foi inaugurada com a presença da família imperial, que efetuou a viagem a Juiz de Fora. Os imperadores ficaram hospedados na quinta do comendador Mariano Procópio Ferreira Lage (atual sede do Museu Mariano Procópio). Klumb fotografou a inauguração da estrada em 1861, e depois começou a produzir o seu livro, que demorou 11 anos para ser editado. A publicação ocorreu em 1872, ano da morte de Mariano Procópio, que não chegou a ver pronta a obra que Klumb dedicou à sua memória. “Doze Horas em Diligência: guia do viajante de Petrópolis a Juiz de Fora”, de Revert Henry Klumb, foi o primeiro livro de fotografia integralmente produzido e impresso no Brasil. Após a palestra, autógrafos dos escritores convidados, no foyer.

      18h30 – Sarau Imperial

      20h00 – Show  “Som e Luz”

      Local: Museu Imperial – Cine Teatro

3º dia – 17 de abril / domingo

Vivências Literárias, Históricas e Artísticas

Dia 17 Manhã

Encontro com Caio de Andrade

O produtor Cláudio Gomide conversa com o dramaturgo e diretor teatral que vem construindo, ao longo dos anos, uma ponte entre o teatro e a história do Brasil.

Esse encontro irá esmiuçar o processo de construção do espetáculo, inspirado ou baseado em fatos históricos, notadamente no Brasil. A pesquisa histórica ocorre simultaneamente à formação das cenas, através de discussões ou questões propostas ao elenco, que se transformam em temas para improvisações. Após a palestra, autógrafos do escritor convidado, no foyer.

Local: Museu Imperial – Cine Teatro   

TARDE            

12h00 – Viver Stefan Zweig

   Kristina Michahelles 

Local: Casa de Stefan Zweig

Aberto ao público

Nessa vivência na casa onde morreu, o grande escritor Stefan Zweig, celebraremos os 80 anos de sua primeira vinda ao Brasil. Após longas viagens a trabalho pelo país, o autor escolheu Petrópolis como a cidade onde viveria o exílio junto com sua esposa, Lotte, depois da ocupação nazista. Zweig tinha muitos planos e projetos para essa estada no Brasil, como registrou em seus diários. Em sua casa em Petrópolis, Stefan Zweig consumou o gesto trágico que simbolizou o desespero de toda uma geração, do mundo inteiro, diante do horror da guerra.

14h00 – Tarde de Autógrafos do livro “Moenda” 

          O poeta Marcio Negócio autografa o seu novo livro, com participação de artistas petropolitanos.

          Local: foyer do Museu Imperial

          Aberto ao público

14h00 – Palestra e tarde de autógrafos do livro “O Próximo da Fila”

        O escritor Henrique Rodrigues conversa com o público e autografa seu novo livro. 

         Local: Sala Multimídia da Inter TV (40 participantes – inscrições no local, duas horas antes do evento)

16h00 – Tarde de Autógrafos do livro “Petrópolis Fotografias e Curiosidade” 

Os organizadores Luciana Bassous e Claudio Partes revisitam a história dessa cidade, reconhecida como uma das mais belas do país. Os verbetes partiram de uma pesquisa histórica e também foram traduzidos para o inglês.

Local: Foyer do Museu Imperial 

Aberto ao público

16h00 – Projeto Coletivo Poesia Varal de Poesia

         Os novos talentos lançados pela FLUPP Pensa autografam seus livros.

         Local: Galeria da Inter TV

         Aberto ao público

        (Duas horas antes do evento, serão distribuídas 40 senhas que darão direito ao livro, para autógrafos)

17h00 – Conversa de Atelier

        O artista plástico Luiz Aquila recebe convidados no seu atelier, para um bate-papo sobre o artista, a arte e o viver na cidade.
        Local: Residência do artista. 

       (20 participantes – inscrições no foyer do Museu Imperial, duas horas antes do evento)

DEIXE UM COMENTÁRIO