Petrópolis será palco da 1ª Edição da Festa Literária da Serra Imperial

Evento idealizado pelo Instituto Oldemburg de Desenvolvimento em parceria com o Museu Imperial inaugura nova etapa no calendário literário nacional.

Petrópolis será palco da 1ª Edição da Festa Literária da Serra Imperial, evento idealizado pelo Instituto Oldemburg de Desenvolvimento em parceria com o Museu Imperial inaugura nova etapa no calendário literário nacional.

O Museu Imperial, unidade do Instituto Brasileiro de Museus do Ministério da Cultura, vai receber a primeira Festa Literária da Serra Imperial – FLISI com a presença de autores reconhecidos nacionalmente, entre os dias 15 e 17 de abril. Idealizado por Cristina Oldemburg, presidente do Instituto Oldemburg de Desenvolvimento, em parceria com o Museu Imperial, a FLISI terá como tema “A Memória”. A curadoria das mesas é da escritora Guiomar de Grammont, coordenadora do Fórum das Letras de Ouro Preto e professora da Universidade Federal de Ouro Preto.

A curadoria reuniu um time de peso, autores como a imortal Nélida Piñon, e os escritores e pesquisadores Nei Lopes, Mary Del Priore, Isabel Lustosa, entre outros, que celebrarão o universo da literatura, história, memória e das artes, durante os três dias da festa.

Para Cristina Oldemburg, a realização da Festa Literária da Serra Imperial irá se configurar como instrumento vivo de mobilização cultural em prol do livro e da literatura nacional na Região Serrana do Estado do Rio. “A FLISI, além de incentivar o participante a conhecer novos escritores, estimulará o pensamento crítico, por meio de palestras, debates, exposições, encontro com artistas e lançamentos literários, valorizando a comunidade cultural da região e impulsionando a cultura e a economia criativa do entorno de Petrópolis. A primeira edição da FLISI com certeza entrará para o calendário nacional literário, não só pela qualidade dos convidados, mas pela importância da cidade no contexto histórico e cultural do país”.

De acordo com Maurício Vicente Ferreira Jr., Diretor do Museu Imperial, a “Primeira Edição da Festa Literária da Serra Imperial é um convite à reflexão sobre as dimensões da História e da Memória a partir da relação do indivíduo com a literatura. Assim, o Museu Imperial amplia seu público, bem como a oferta de oportunidades para a fruição do acervo histórico e artístico sob sua responsabilidade.”

No primeiro dia, a programação tem início às 19h com a Cerimônia de Abertura, seguida da palestra “Literatura e Memória: O Livro das Horas”, com a escritora Nélida Piñon, fechando o primeiro dia do evento.

No segundo dia, quem abre a festa Mary Del Priore e Isabel Lustosa, às 10h, no Cine Teatro do Museu Imperial, com a mesa “Reinado e Império em um tempo de transformação e contradições”. Em seguida, às 14h, os autores Luiz Antônio Simas e Nei Lopes, comandam a mesa “Música, Memória e Literatura”, também no Cine Teatro. Ainda no dia 16, “Doze horas em diligência: guia do viajante de Petrópolis a Juiz de Fora”, livro que conta a trajetória de Revert Henrique Klumb, Fotógrafo da Casa Imperial, que, em 1872, publicou o interessante guia que descreve a Estrada União e Indústria, que liga Petrópolis a Juiz de Fora. A mesa terá como convidados Pedro Vasquez e dom João de Orleans e Bragança. Às 18h30 terá início “Um Sarau Imperial”, através de uma dramatização interativa que representa a sociedade da corte no século XIX. O espetáculo é embalado por modinhas imperiais e convida o público a participar com canções, declamações de poesias. Para encerrar o segundo dia de evento, o espetáculo Som e Luz promete encantar o público.

 A programação do dia 17 será focada em diversas Vivências Literárias, sob a curadoria de Cristina Oldemburg. De manhã, o produtor Claudio Gomide conversa com o dramaturgo e diretor teatral, Caio de Andrade. Em seguida, haverá visita guiada à casa onde viveu e morreu o importante escritor Stefan Zweig. Às 14h, o poeta Marcio Negócio autografa o livro “Moenda”, no foyer do Museu Imperial, com participação de artistas petropolitanos. No mesmo horário, Henrique Rodrigues conversa com o público e autografa seu novo livro “O Próximo da Fila”, na sala multimídia da Inter TV.

Ainda dia 17, Luciana Bassous e Claudio Portes falam do livro “Petrópolis: Fotografia e Curiosidades”, às 16h no Foyer do Museu Imperial. No mesmo horário o Projeto

Coletivo Poesia vai reunir novos talentos da literatura, lançados pela FLUPP Pensa, no Varal de Poesia, na Galeria da Inter TV. Às 17h o artista plástico Luiz Aquila fecha o último dia recebendo convidados no atelier, para um bate-papo sobre o artista, a arte e o viver na cidade.

O Instituto Oldemburg de Desenvolvimento, em parceria com o Museu Imperial e com personalidades da vida literária, transformou um sonho coletivo em realidade. O Instituto investiu recursos próprios, de sua receita anual, na realização da FLISI, obedecendo à lei que regula as organizações não governamentais e permite o reinvestimento de recursos apenas em projetos próprios. Uma forma consciente de devolver à sociedade civil os benefícios dela recebidos, transformando moeda em riqueza cultural.

Data:
15, 16 e 17 de abril

Local:
Museu Imperial
Rua da Imperatriz, 220 / Centro – Petrópolis – RJ


 

Festa Literária da Serra Imperial

Tema: Memória 

A primeira Festa Literária da Serra Imperial celebra a memória da bela cidade de Petrópolis, destino aprazível para reis e imperadores, e também para alguns dos mais importantes escritores de nossa época, como Stefan Zweig.

Período: 15 a 17 de abril de 2016

PROGRAMAÇÃO 

1º dia – 15 de abril / sexta-feira

19h00 – Cerimônia de abertura

Palestra: “Literatura e Memória: o livro das horas”

Nélida Piñon

Apresentação: Christiane Michelin (Presidente da Academia Petropolitana de Letras)

A mais renomada escritora contemporânea do Brasil desfia memórias afetivas que emergem a partir de um vertiginoso turbilhão de lembranças e emoções. Nélida conviveu com os mais importantes escritores de sua época, como Garcia Marques, Vargas Llosa e Carlos Fuentes, entre outros. Nessa palestra, porém, mais uma vez ela revive sua intensa e duradoura história de amor: com a palavra.

Após a palestra, autógrafos da escritora, no foyer.
Brinde de honra
Local: Museu Imperial – Cineteatro


 

2º dia – 16 de abril / sábado

10h00 – Mesa: “Reinado e Império em um Tempo de Transformações e Contradições”

Mary Del Priore, Isabel Lustosa

Mediação: Bruno Tamancoldi

Toda a biografia é uma janela para o passado. A intimidade da família imperial, nas últimas décadas do século XIX, consumida por traições, intrigas, amores e profunda melancolia. O destino muitas vezes dramático das princesas europeias, cujos casamentos eram contratados em virtude de interesses políticos e econômicos.

Após a palestra, autógrafos dos escritores convidados, no foyer.

Local: Museu Imperial – Cineteatro


 

14h00 – Mesa: “Música, Memória e Literatura”

Nei Lopes, Luiz Antônio Simas

Mediação: Leandro A. Rodrigues

A partir dos impactos da abolição da escravatura, os autores falarão sobre o Rio de Janeiro das primeiras décadas do século 20 como uma cidade de “pequenas áfricas”, enfatizando a cultura das ruas e as formas associativas que as comunidades negras desenvolveram no período, tais como o surgimento das escolas de samba. O recorte da fala se estabelecerá em perspectiva sociocultural, destacando a importância do samba e do carnaval nos debates sobre a construção da identidade nacional brasileira.

Após a palestra, autógrafos dos escritores convidados, no foyer.

Local: Museu Imperial – Cineteatro


 

16h00 – Mesa: “Doze Horas em Diligência: guia do viajante de       Petrópolis a Juiz de Fora”

Pedro Vasquez, Dom João Bragança

Mediação: Mauricio Vicente Ferreira Júnior

Estrada inaugurada com a presença da família imperial, que efetuou a viagem a Juiz de Fora. Os imperadores ficaram hospedados na quinta do comendador Mariano Procópio Ferreira Lage (atual sede do Museu Mariano Procópio). Klumb fotografou a inauguração da estrada em 1861, e depois começou a produzir o seu livro, que demorou 11 anos para ser editado. A publicação ocorreu em 1872, ano da morte de Mariano Procópio, que não chegou a ver pronta a obra que Klumb dedicou à sua memória. “Doze Horas em Diligência: guia do viajante de Petrópolis a Juiz de Fora”, de Revert Henry Klumb, foi o primeiro livro de fotografia, integralmente produzido e impresso no Brasil.

Após a palestra, autógrafos dos escritores convidados, no foyer.

     20h00 – Show  “Som e Luz”

     Local: Museu Imperial – Cineteatro

3º dia – 17 de abril / domingo

Vivências literárias, históricas e artísticas


 

Dia 17 Manhã

10h00 Encontro com Caio de Andrade

O produtor Cláudio Gomide conversa com o dramaturgo e diretor teatral que vem construindo, ao longo dos anos, uma ponte entre o teatro e a história do Brasil.

Esse encontro irá esmiuçar o processo de construção do espetáculo, inspirado ou baseado em fatos históricos, notadamente no Brasil. A pesquisa histórica ocorre simultaneamente à formação das cenas, através de discussões ou questões propostas ao elenco, que se transformam em temas para improvisações.

Após a palestra, autógrafos do escritor convidado, no foyer.
Local: Museu Imperial – Cineteatro                            

12h00 Viver Stefan Zweig

Kristina Michahelles
Local: Casa de Stefan Zweig
Aberto ao público

Nessa vivência na casa onde morreu o grande escritor Stefan Zweig, celebraremos os 80 anos de sua primeira vinda ao Brasil. Após longas viagens a trabalho pelo país, o autor escolheu Petrópolis como a cidade onde viveria o exílio junto com sua esposa, Lotte, depois da ocupação nazista. Zweig tinha muitos planos e projetos para essa estada no Brasil, como registrou em seus diários. Em sua casa em Petrópolis, Stefan Zweig consumou o gesto trágico que simbolizou o desespero de toda uma geração, do mundo inteiro, diante do horror da guerra.


 

14h00 Tarde de autógrafos do livro “Moenda” 

O poeta Marcio Negócio autografa o seu novo livro, com participação de artistas petropolitanos.

Local: Foyer do Museu Imperial
Aberto ao público 

14h00 – Palestra e tarde de autógrafos do livro “O Próximo da Fila”

O escritor Henrique Rodrigues conversa com o público e autografa seu novo livro. 
Local: Sala Multimídia da Inter TV
(40 participantes inscrições no local, duas horas antes do evento)

15h00 – Projeto Coletivo Poesia Varal de Poesia

Os novos talentos lançados pela FLUPP Pensa autografam seus livros.

Local: Galeria da Inter TV
Aberto ao público

(Duas horas antes do evento, serão distribuídas 40 senhas que darão direito ao livro, para autógrafos)


 

16h00  Tarde de autógrafos do livro “Petrópolis Fotografias e Curiosidade” 

Os organizadores Luciana Bassous e Claudio Partes revisitam a história dessa cidade, reconhecida como uma das mais belas do país. Os verbetes partiram de uma pesquisa histórica e também foram traduzidos para o inglês.

Local: Foyer do Museu Imperial 
Aberto ao público


 

16h30 –  Tarde de autógrafos do livro: “Contando e Cantando os Sonhos de Dumont”

A escritora Catarina Maul lança seu novo livro para o público infantojuvenil, enaltecendo a vida e obra de um dos maiores heróis nacionais, Alberto Santos Dumont. O evento contará com exposições das ilustrações originais do livro, de Rodrigo Santana CB.

Local: Galeria da Inter TV
Aberto ao público


 

17h00 Encontro com as academias

A Academia Petropolitana de Letras e a Academia Brasileira de Poesia, comungando interesses, convidam  para uma tarde conjunta de autógrafos de alguns de seus escritores, reunindo o melhor da literatura petropolitana.

Escritores convidados: Gerson Valle, Andréa C. Lopes Garcia, Fernando Augusto Magno, Fernando Antônio de Souza Costa, Paulo César Santos, Almir Tosta, Cleber Francisco Alves, Ângelo Romero, Antonio Menezes Rodrigues, Andrea Pachá, Christiane Michelin, Catarina Maul, Leandro Garcia, Sergio Gerônimo, Mozart Carvalho, Carmem Teresa Elias, Paulo Roberto Cunha, Laura Baltar da Silva e Cristiano Romão. 

Local: Local: Foyer do Museu Imperial 
Aberto ao público


 

17h00 Conversa de atelier

O artista plástico Luiz Aquila recebe convidados no seu atelier, para um bate-papo sobre o artista, a arte e o viver na cidade.

Local: Residência do artista  
(20 participantes – inscrições no foyer do Museu Imperial, duas horas antes do evento)

 

DEIXE UM COMENTÁRIO